6

Idosas passam dias “internadas” em cadeiras na UPA da Cidade Operária…

Descaso e abandono da Secretaria de Saúde mostra a falência – em apenas um ano de governo Flávio Dino – de um dos serviços mais elogiados e reconhecidos até dezembro de 2014

 

Idosas jogadas em cadeiras na UPA que já foi de excelência

Idosas jogadas em cadeiras na UPA que já foi de excelência

As imagens acima foram todas registradas na tarde de terça-feira, 26, na UPA da Cidade Operária.

Estas senhoras, algumas com mais de 80 anos, estão há dois, três, quatro dias aguardando em uma cadeira de dentista por que a unidade – que prestava serviço de excelência até dezembro de 2014 – não tem leito para acomodá-las.

E elas ainda têm que dividir espaço com um homem suspeito de estar com tuberculose.

Quando atendia com excelência, esta UPA tinha serviço de triagem, para atender com prioridade e encaminhar as idosas a hospitais de alta complexidade.

Hoje, experimenta a falência de um dos serviços mais elogiados do governo passado.

A mais velha das idosas, de 87 anos (terceira da esquerda para a direita), é diabética, hipertensa, precisa fazer uma angioplastia e sofreu infarto no domingo, 24.

Aguarda na cadeira desde então, sem que ninguém tome qualquer providência.

A última imagem é de outra idosa, que tem uma apêndice suturada.

Também sofre sentada na cadeira.

De acordo com uma das acompanhantes, nem soro parece ter mais na UPA da Cidade Operária.

É o retrato do fracasso da mudança no setor de Saúde no Maranhão…

Marco Aurélio D'Eça

6 Comments

  1. A Direção da Cidade Operaria, nem lá comparece pro conhecer a realidade dos sofrimentos dos pacientes, o diretor Clinico Guilherme Aguiar alem de ser funcionário fantasma desse governo, ele ta preocupado é com a eleição dele pra Prefeito de Primeira Cruz. Os demais diretores e coordenadores são imcompetência em pessoa.
    Povo desumano com o povo que recorre a esta UPA.

  2. A MUDANÇA tá só começando! – viram como já MUDOU o atendimento nas UPAs?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *