59

Quadrilha que monopoliza shows em São Luís tenta minar espetáculo Creedence/Abba

A quadrilha que monopoliza os shows de São Luís está disseminando, via internet, uma série de mensagens mentirosas tentando desqualificar o espetáculo Creedence/Abba the Show, marcado para novembro, em São Luís.

É a mesma quadrilha que fez de tudo para impedir o show da banda alemã Scorpíons, um dos melhores espetáculos já vistos na capital maranhense.

A quadrilha é um cartel que monopoliza tudo o que é evento na cidade. Controla parte do Axé, com suas asneiras baianas, e monopoliza o forró, com sua bandas do tipo “Porcaria com Mel” ou “Aviões da Baixaria”.

Gente acostumada a enganar o cidadão de bem, vendendo shows de baixa qualidade e baixo custo a um preço de espetáculo – e que não aceita a abertura do mercado para pessoas com intenção de dar eventos de qualidade.

A quadrilha axé-forrozeira – que chegou a oferecer US$ 50 mil apenas para o Scorpions não vir a São Luís – agora anda dizendo que o show do Abba é cover.

Ora, mas ninguém está vendendo o evento como original. Até porque, o Abba original já está aposentado e seus integrantes estão an casa dos 80 anos.

A festa que será apresentada em São Luís é o espetáculo Abba The Show, montado pelos membros da banda e devidamente autorizados pelos integrantes do Abba.

O espetáculo está estourado no mundo inteiro – é o mesmo da montagem de Mamma Mia, há cinco anos em cartaz na Brodway e que originou o filme homônimo, com Meril Streep.

Já o Creedence é o mesmo original, que muito sucesso fez nos anos 80.

A festa Creedence/Abba The Show acontece no dia 19 de novembro, no Centro Histórico.

Para desespero da quadrilha dos shows…

Marco Aurélio D'Eça

59 Comments

  1. Impossível o Creedence ser o riginal: todos os intergrantes originais já morreram. O grupo atual é composto pelos que foram substituindo sucessivamente os finados…

    Resp.: E ainda assim são melhores que Aviões do Forró e Cláudia Leitte juntos. Pode ter certeza.

  2. Have you ever seen the rain e Dancing Queen, mesmo que fossem cantadas por bandas covers, são melhores do que “Chegou o tsunami” e “Abre a mala”…

    resp.; perfeita a análise. Mas eles sabem disso, estes produtores de submúsica. A questão é que estas porcarias são também de custo menor. por isso eles podem traz4er aos montes. Juntam cinco ou seis num só show, pagam apenas por um e cobram dos incautos o mesmo preço de um Scorpions, por exemplo. E ainda têm a vantagem de o público, anda exigente, aceitar estrutura falha, serviço falho e som ruim.

  3. Nossa cara, você responde de maneira infantil aos comentários do pessoal, jornalista sério e adulto responderia de maneira menos desequilibrada, seja sereno e mais responsável com seus comentários, talvez suas respostas e comentários ficariam melhor em um garoto de 13 anos, respeitar os estilos musicais e a produção alheia também não seria nada mau, deixe de picuinhas e de diminuir os comentários das pessoas, tente ser imparcial, você faz seu blog parecer um comunidade de orkut com tanta resposta mal criada.

    Resp.; Então, tá! Mas seu comentário ficaria melhor se você tivesse pontuado nos lugares certos, sem este excesso de vírgulas. Isso também é coisa de garoto de 13 anos, que não sabe escrever.

    • Só não entendi até agora porque o título da matéria é “(…) tenta minar espetáculo Creedence/Abba”… Afinal o próprio autor escreveu em uma das respostas: “Se você tem mais de 35 anos, sabe que o ABBA já não existe desde 1980”.
      Tô confuso agora..

      rsp.; Pois vmos desconfundir: O tíitulo é assim porque as histórias na Net de que não são o Abba e Creedence verdadeiros, foram espalhadas exatamente perla turma do Axé/Forró, como tentantiva de desqualificar o evento para outros públicos. Ou seja, uma tentativa de minar o espetáculo. Isto porque o público do Abba sabe que o Abba não toca mais. A preocupação da turma do axé/forró era impedir que este show atraísse também o seu público, geralmente mais desinformado.

      • Concordo sobre as críticas da “turma” do axé/forró, q tbm n gosto (das músicas) e do monopólio desses shows!!! Só acho errado colocar no título “espetáculo Creedence/ABBA”, dá a entender q quem vem é o ABBA… Para quem já viu no youtube uma demonstração do abba the show, sabe que estão milhas abaixo do abba original, tô sendo sincero, apesar de serem profissionais! Pelo menos a produção do show, já preocupada, tem divulgado panfletos esclarecendo um pouco mais a questão, pq antes diziam que vinha a LENDA, o que nos leva a pensar em ABBA, e não o cover que vem..
        Creedence sim, é uma banda que apesar de diferente da original, leva o mesmo nome.. pena que não conta c o John Fogerty, guitarrista principal, compositor de todas as músicas do Creedence antigo além de ser considerado dono de uma das mais belas vozes do rock.. Fora isso, espero que acabe esse monopólio de shows primitivos q temos por aqui.. temos que ter mais rock, mpb tbm, só gostaria que viessem artistas mais “originais”.. ia ser legal ver um iron maiden, como há rumores sobre, precisamos disso!

  4. Caro Marcos,
    Não fiquei surpreso com toda essa briga entre os organizadores de shows em São Luís. Na verdade, nas duas últimas cidades que andei, Teresina e Fortaleza, assistindo shows, quando falo de festas, as pessoas me perguntam se ainda tem índio aqui: 1° pelos tipos de bandas que já não tocam mais em outras capitais e ainda vão tocar aqui e 2° pela prisão ou dependência para termos grandes nomes da música, realizando shows em nossa cidade. Dizem que somos muito atrasados.

    resp.; neste aspecto, meu caro, de fato somos. O Black Eyed Peas acabou de passar por várias cidads do país – entre elas Fortaleza – e não veio aqui por falta de interesse dos produtores. Por isso é que temos que louvar iniciativas como a que trouxe o Scorpions. E banir – banir de vedade – aqueles que pensam que São Luís é tereiro de forró e axé.

  5. VERGONHA ALHEIA!!! Foi o sentimento que me dominou ao ler a falta de educação contida em sua respostas. Não é assim que se trata visita, ô rapaz! Shame on you!!!

  6. Parabéns pela atitude, Sr. Marco.

    Falta muita coragem e compromisso com a verdade em todas as esferas da comunidade maranhense, e nas áreas da comunicação e do entretenimento não é diferente.

    Pena que falar a verdade dói no calo de pessoas que vão aos shows de pseudo-forró e aê-aê-aê-ô-ô-ôô-axé para fornicarem e se drogarem, pois isso é o que vejo quando passo diante de um evento desses.

    Já fui a alguns, há muito tempo, mas decidi não ir mais quando percebi o quanto é ridículo isso tudo. Os eventos, as músicas, as bandas, e principalmente as pessoas fazendo exatamente a mesma coisa em todos os shows e “festas” como MaraFolia e Expoema.

    As verdades foram lançadas e sempre há quem se sinta ofendido por se identificar como vítima ou mesmo companheiro dos organizadores e promotores de eventos que nada trazem de bom para a comunidade ludovicense.

    Continue com essa gana e mantenha o seu compromisso com a palavra e a verdade.

    Saúde e Paz.

  7. Não sou frequentadora de nenhum forró, mas com certeza somente agora tomei conhecimento de que se tratava de uma imitação.
    Nas propagandas televisivas são a nítida certeza de se tratar do verdadeiro ABBA, afinal o público não é obrigado a saber que o grupo não existe mais.
    Na minha opinião significa propaganda enganosa, estelionato.
    Querem vender gato por lebre sim.
    Triste!

    resp.; Se você tem mais de 35 anos, sabe que o ABBA já não existe desde 1980. E se não sabe, é por que não curtiu o ABBA. E todos que curtiram o ABBA, sabem que o ABBA THE SHOW é a melhor apresentação autorizada pelos ex-integrantes. Portanto, para quem é fã da banda, para quem viveu os anos 80 de forma intensa, essas explicações são desnecessárias. Agora, para quem só ouviu falar – e ouviu uma ou outra música – de fato, precisa estudar mais a história da banda sueca antes de decidir ir ao show. Eu vou. E me divertirei muito.

  8. Ah, e não mente. Você não vai pros bailes da alta sociedade porque não é convidado.
    Mas continua babando o ovo dessa galera. Quem sabe algum dia te chamem pra servir os canapés e as doses de uísque!

    resp.; ôh, minha filha, se você quiser os próximos convites eu lhe dou. É só dizer onde entregar. Quem sabe você não se diverte um pouquinho.

  9. Não fiz menção alguma sobre apreciar shows de baixa qualidade. A menção que fiz, de maneira muito clara, foi à baixa qualidade e conteúdo de confiabilidade rasteira de seu blog. Sua pobreza de argumentos seria cômica se não fosse trágica, e vice-versa.
    Você tem muito que aprender, tanto com alunos de primeiro período de faculdade quanto com os do primeiro ano fundamental, pois sua falta de sendo ético, educação e sua infantilidade são chocantes.
    Lamento em minha insignificância você se dar tanta importância, sendo tão insignificante quanto eu.
    A minha diferença é que não sofro de insegurança, não necessito de auto-afirmação, nem sou parasita política, e desempenho minha insignificância com muita humildade e dignidade.
    Mas te mando um chapeuzinho de Napoleão, quando voltar da minha turnê na França.

    resp.: Sou eu que estou dando importância a você? reflita minha filhinha. Não chamei você pra vim aqui. Você acessa o blog se quiser. Agora, se você comenta, tenho que responder. Se você não comentar, garanto que nem me lembrarei de você, mesmo que continue lendo o blog. Aqui ou na frança, tanto faz. isso pra mim, não tem a menor importância.

  10. Marco Aurélio,
    o Blog de Zema é muito bem visitado e lido, justamente por se tratar de um espaço aonde se pode encontrar notícias e cultura de qualidade, com teor crítico inteligente, elegante e sem erros crassos de português.
    Zema é um grande jornalista, que cumpre com êxito o compromisso de informar com clareza e verdade.
    Você me parece ser só mais uma das pessoas que alimenta a vergonha que sentimos do subjornalismo irresponsável, agressivo e capcioso praticado por quem sobrevive da mídia sarneísta, no Maranhão.
    Não leio seu blog e sinceramente passo a lamentar por quem o lê para outros fins que não sejam o de dar risada.
    Lamento igualmente por você ter esquecido os anseios e preceitos que possuia nos primeiros anos do curso de jornal (se é que você os tinha), pois é geralmente nesta época que alimentamos os desejos mais sinceros por lisura, verdade, mudança… Essas coisas românticas de intelectualóides que bebem em bares fétidos, e não nas festas do Palácio dos Leões , ou da Mirante.
    Ah. Sugiro que procure aulas de Yoga e português. (E análise, boas maneiras, outro curso de jornalismo, enfim…)

    Resp.; Lamente, minha filha. Lamente em sua total insignificância. Daqui a alguns anos, quando voce conseguir – e se conseguir – superar as bobagens do primeiro período. Mas cuidado, porque alguns – como este que você defende – ficam aprisionados neste período. E só pra você saber: não vou em bailes do Palácio dos Leões ou coisas do tipo. Não gosto da cafonice da alta sociedade maranhesne, se você quer saber. Considero tão vazia quanto vazios são estes shows de axé e forró que você – e este que você defende – parecem defender com unhas e dentes. Mas isso também é coisa de alienada do primeiro período. As vezes passa…

  11. Ridículo, burro metido a jornalista, demente e jogando merda no ventilador da própria empresa em que trabalha!
    Dessa vez ganha aumento salarial pelo ataque, ou perde o emprego por detonar o proprio grupo!
    Patético!

    Resp.: Patética é você, que não tem capacidade para entender o que lê. Não ataquei empresa alguma, apenas denunciei um cartel que tenta controlar o mercadod e shows na captial maranhense. Coisa que todos vocês deveriam apoiar. Mas não, o problema de vocês é ser contra Sarney. E se alguém que possa ter ligações com o grupo Sarney diz uma coisa, mesmo que vocês achem o certo, preferem atacar. É lamentável, inclusive, que você use talita_rock89 em seu endereço eletrônico. Isto sim é uma contradição, minha cara.

  12. O QUE VC TEM CONTRA A MUSICA NOREDESTINA E BRASILEIRA ???

    resp.; Não tenho nada conta a música nordestina. mas você quer dizer que um grupo que pega qulquer música, do ritmo que for – até internacional – e põe nela um som sintético imitando sanfona por deser considerada música nordestina? Aliás, meu caro, não pode ser considerada nem mesmo música. E é isso que faz aviões do forró, solteriões do forró, meninha assalda, moleca sem-vergonha e outras porcarias do gênero. Posso te garantir que nem os locutores das rádios que tocam esta merda gostam de ouvir.

  13. Aprenda a escrever e a pensar antes de publicar um texto como esse. A título de informação, esses dados precisam ser passados, pra que não seja vendido gato por lebre.Ninguém desqualificou os trabalhos dos “covers”, vc é apenas um coitado a desserviço de uma empresa que não pratica nem de longe um jornalismo de referência e com imparcialidade.Eu vou assistir aos shows,mas sem a expectativa de que sejam os originais. Apenas isso. Só pessoas desprovidas de inteligência e senso crítico interpretaram de outra forma. E os quadrilheiros meu caro, com certeza não são os esquerdistas e a empresa que você trabalha não tem tradição em promover shows de qualidade. Se informe, se forme pra depois vir a público escrever matérias tendenciosas e de extremo mau gosto como essa.

    Resp<: De onde saiu mais esse?!? Mais um pobre coitado em busca de seus 15 minutos de fama? Pronto, já teve.

    • Como conheço bem pessoas com seu perfil, vim conferir a resposta que sabia que teria. Os 15 minutos de fama você já ganhou ao preferir escrever inverdades e fazer uma postagem de impacto do que prestar o serviço que um jornalista que se preze e respeite a profissão que escolheu realmente deve fazer.Espírito pobre e de porco. Isso é Marco Aurélio D´Eça.

      Resp.: Só um esclarecimento a você: quando escrevi o texto sobre os shows, estava me referindo única e exclusivamente ao cartel que domina os eventos em São Luís e reivindica para si um tal “direito de Arena”. Este cartel – ou quadrilha como chamei – é formado também em parte por pessoas ligadas ao grupo Marafolia. E também pelos empresários dos shows de forró. São estas pessoas que minam todos os shows de outros gêneros em São Luís. Tentaram também minar o show de Scorpions, mas não conseguiram. E agora, tentam desqualificar o show Creedence/Abba The Show. Foi especificamente disto que tratou o post.
      Apareceu este tal que você defendeu – Zema Ribeiro – se sentindo ofendido com o texto (não sei se sinceramente ofendido ou apenas para publicizar seu blog sem acesso) e partiu com agressões a mim. Revidei na mesma moeda, até porque nunca imaginei que pudesse existir um blog deste tal Zema Ribeiro (e falo isso com a sinceridade do amor às minhas filhas). Não li o texto dele nem antes nem depois do meu post. Posso te garantir que nunca vi este cidadão na minha vida. Se passar por mim, não sei quem é.
      Escrevi o texto da quadrilha após uma conversa com o colega Raimundo Garrone, que levantou a polêmica em relação ao Abba The Show – este sim, eu li e leio. E ele pode ser testemunha do que digo.
      Portanto, meu caro, meu debate é contra o cartel de shows em São Luís – e isto está claro no texto.
      Mas você poderia elencar aqui as inerdades postadas no texto da quadrilha? Seria bom para que pudéssemos debater com clareza da situação, não acha?
      Por exemplo, é mentira que existe uma quadrilha que monopoliza shows em São Luís?
      É mentira que a campanha do evento mostra claramente o nome Abba The Show?
      É mentira que o tal Zema Ribeiro me agrediu, me chamando de irresponsável e desqualificando meu trabalho?

      • Realmente seria bom se realmente houvesse uma quadrilha que monopolizasse shows de qualidade em São Luis do MA, até mesmo pq acontecimentos como estes que são raríssimos.Não é verdade que o Zema Ribeiro desqualificou seu trabalho e o agrediu.Você sim o fez ao utilizar palavras de baixíssimo calão.A questão não é mais sobre Abba e Creedence, a questão é essa postura fajuta de formador de opinião que em nada contribui para que chegue ao leitor informações corretas.Caro colega, jornalistas tem de estar a serviço da informação e você poderia rever essa atitude e palavras utilizadase colocar suas opiniões de maneira mais elegante. É no mínimo tendencioso classificar de quadrilha pessoas as quais vc ñ cita o nome/grupo(que o fez agora em sua resposta ao meu comentário).Apenas reveja sua atitude e que seja sempre claro à todos que infelizmente São Luis é a “cidade panela”, e aqui apenas poucos participam das coisas.Que os blogs, jornais, revistas que circulam estejam a serviço da informação e não de grupos políticos ou empresariais. Peço desculpas em tê-lo chamado de espírito de porco,mas é pq me enfureci e me entristeci ao ler suas palavras reacionárias.
        Grato,
        J.Henrique

        Resp.: Da mesma forma que eu me enfureci com as assertivas de Zema Riubeiro. Vamos a elas:
        1 – “Se você tivesse compromisso com a informação e a verdade diria quem é a quadrilha”.
        2 – “você, cujo único compromisso é com seus patrões, jamais ergueria a voz contra eles”
        Se isto não é ofensa gratuita, o que seria?
        Como você mesmo diz, ele poderia cobrar referência ao texto do seu blog – que, volto a repetir, não havia lido – de forma mais elegante.
        O problema meu caro, é que as pessoas que se posicionam como anti-Sarney, nos vêem com o preconceito do sectarismo e já no início de qualquer conversa tentam nos desqualificar – e olha que, no texto do seu blog (que eu tive o desprazer de ver) ele ainda é mais agressivo.
        E ainda aparecem outras pessoas – como um certo Rogério Thomáz Júnior – outro que eu nunca vi na vida, para sair em defesa do colega com agressões tão violentas quanto.
        Pergunto: onde estaria o reacionarismo de minhas palavras? Na denúncia contra a quadrilha? Não estaria eu trabalhando a favor do mercado de shows ao denunciar um cartel? Ou, só porque trabalho no grupo Sarney, não tenho dirteito de fazê-lo?
        Reflita sobre isso, meu caro. Reflita…

  14. Parabéns lourinho. Devia ser sempre assim. Se tivesse esse mesmo despreendimento nos posts políticos seria o maior blogueiro do Maranhão. Mas o pessoal do Marafolia deve pedir tua cabeça. E Viva o Rockroll de qualidade.

  15. É assim mesmo, meu caro…. já posso até fazer a previsão das super produções para 2011: trivela do asa, chiclete com banana, ivete sangalo, aviões do forró, timbalada, claudia leite … eles mandam em tudo! E vamos ter q continuar indo apenas ao adventure… pq eles vão barrar as grandes atrações…. fizeram isso na época do maranhão pop music que aconteceu lá no castelão, lembra????

  16. Mas se não são os verdadeiros que vem pra ca ou se estão incompletos eles deveriam avisar os interessados,não fazendo isso é evidente que se trata de propaganda enganosa e assim,os promotores desse evento deveriam sim, estarem eram todos presos,ou voçê concorda com o que eles estão fazendo?E não fique em cima do muro por !

  17. Xi, Tá queimando Dulce Brito e o pessoal da CENTRAL MARAFOLIA.
    Fernando Sarney não vai gostar de ouvir comentários assim.

  18. Imagina e tu nao fosse nos shows do Marafolia. O que iria falar?

    resp.: Que shows, os de axé? Nuinca fui e não tenho interesse de ir. Não gosto do estilo. Sou pop/rock, meu caro. só me interessam os anos 80 – e alguma coisa atual, bem restrita.

  19. Você parece que viu o galo cantar, mas não sabe onde. Não se trata da Banda que acompanhava o ABBA. Trata-se de 01 (hum). Eu disse, UM músico da banda.

    resp.; Um músico do Abba vale mais que mil músicos do axé baiano ou do forró plastificado, que fazem shows em bares do Ceará e da Paraíba e aqui são vendidos como espetáculos.

  20. Imagine o “APOTEÓTICO” show que não aconteceu do Beatles, mais com Eric Clapton no lugar de George. Seria perfeito para qualquer amante de música!!! Mas o Zema Ribeiro não iria querer ir, o show seria “cover”.

    resp.: Mais uma vez a pergunta: quem diabos é Zema Ribeiro???

  21. Marco, em uma coisa vc tá correto: essas bandas de axé, forró eletrônico, sertanejo universitário (o que é isso?), pagode eletrônico são a escória da música.

    resp.; Tudo o que não presta, desde o início dos anos 90 – a década sem identidade – é batizado de “universitário”. Já teve pagode universitário, fórro universitário e agora tem o sertanejo universitário. Sabe porque? Porque é no 1º período da universidade que os garotos e garotas buscam a identidade cultural. E, ainda sem formação cultural e intelectual sólida, seguem o rebanho para se auto-afirmar. É a msma coisa que acontece com a formação político-ideológica – no primeiro períodos é que se tem contato com as idéias esqerdóides, que começam a parecer romãntcias. O problema é que muitos acabam se aprisionando na cultura do 1º período e se perdem no tempo e no espaço.

  22. Só queria deixar claro uma coisa:

    Quando Freddie Mercury morreu, o Queen continuou fazendo shows com outro vocalista, certo? Quando os Cavalera saíram do Sepultura, a banda continuou existindo. Quando o Raimundos praticamente se dissolveram, continuou ainda como Raimundos, mesmo com o Tico Santa Cruz nos vocais.

    Impressionante como algumas pessoas não conseguem (ou não querem) enxergar algo tão simples. Ou vai me dizer que a Banda Eva acabou depois que Ivete Sangalo saiu?

    Todas essas pessoas que gostam de trollar na internet têm uma coisa em comum… forever alone.

    Resp.; Volto a repetir: qualquer show na voz de caio Monteiro, lá no Adveture, cantando os clássicos da música pop, é melhor que qualquer espetáculo de axé e forró. Simples assim.

  23. Parabéns Ovelha,

    Sou seu fã mais ainda depois deste post. O único blogueiro que não tem papas na língua e fala a mais pura verdade.
    Fora pseudo-shows de São Luís. Axé, forró, pagode e similares deveriam ser proibidos aqui.
    COntinue sempre assim.

    Abraços,

  24. FALTOU A DIFUSORA POIS POIS…
    MUSICA BOA MEU CARO MARCO, NÃO ENCHE OS BOLSOS DE DINHEIRO!
    E SIM PAGODE, REGGAE, TECNOBREGA, AXÉ, FORRO, GOSPEL (QUE TOCA TODOS OS GENEROS), ENFIM SOBRA PROS ALIENADOS BOTAR DIM DIM NO BOLSO DESSES QUE SE DIZEM EMPRESÁRIOS DA MUSICA

  25. Meu caro amigo Marco, é difícil não se chatear com tanta bobagem, mas deixe isso de mão. Conheço esse ZEMA, desde a epoca da Faculdade e a única coisa que todos da turma da faculdade poderiamos imaginar é que ele se tornaria um Blogueiro, pois ele sempre foi um ZEMANÉ, um ZENINGUÉM e pelo jeito continua assim. Ligue não, MALUCO.

  26. Caro Marco D’eça, parabenizo-lhe pela sua postura de independência e coragem ao expor esse artigo sobre a monopólio de determinado grupo q domina o cartel de show realizados na ilha, com destaque para os shows de axé music e forró. Todos os maranhenses sabem que a carapuça caiu como uma luva ao grupo Marafolia pertencente ao Sistema Mirante de Comunicação, empresa ao qual vc faz parte, mas que nem por isso, profissionalmente, deixa de tecer críticas, e que espera-se, por parte dos mesmos, tenham caráter construtivista e engrandecedor. Parabéns!!!

  27. PARABÉNS MARCO, MELHOR POST DA TUA VIDA!!!
    RESPEITO QUE GOSTA DE QUALQUER GÊNERO, MAIS MINHA FILHA NUNCA VAI PARTICIPAR DUMA BAIXARIA DESTAS DE FORRÓ E AXÉ, NEM SOBRE MEU CADÁVER…

  28. Aqui em Imperatriz vivemos o mesmo problema, ou ouvimos brega e forró ou forró e brega, parece um cabaré. Não vem um show que presta aqui, tem uma turma que monopoliza e morre de ganhar dinheiro às custas de idiotas que se dispõem a ir a esses eventos, e se já não bastasse isso, a merda dessa tal de Mais FM tambem se instalou aqui pra botar mais cocô nos ouvidos do povo.
    De quem é a culpa? Das radios e seus programadores que entopem o ouvinte porcaria, é a base do toca até se acostumar.

  29. Eu acho Zema Ribeiro o ó!

    resp.: mas, afinal, quem é, ou o que é, Zema Ribeiro???

  30. Meu Caro Amigo Marco,

    Meus parabéns pela coragem, assino embaixo.
    Posso sugerir uma coisa:
    Se candidate a vereador, precisamos de vozes firmes como a sua.

    Resp.: Obrigado, amigo. Mas acho que, aqui, minha voz tem mais ressonância. Até porque, abre o esaço para o contraditório, o que na Câmara, ocorre apenas entre os próprios pares. De qualquer forma, obrigado.

  31. ESSA QUADRILHA MARCO É A MESMA QUE COLOCOU UM MONTE DE BOI EM CIMA DE TRIO ELÉTRICO NA LITORANEA CHAMANDO DE BUMBAILHA.
    AINDA BEM QUE SÓ ALGUNS – O TRADICIONAIS – SE PRESTARAM A ESSE PAPEL, SÓ LAMENTO MAIOBA E MARACANÃ. QUANTO AO RESTO MORROS, AXIXÁ E NINA NÃO FOI DE SE ESPANTAR.
    PARABÉNS AOS ORGANIZADORES DO SHOW COM AS MÚSICAS INESQUECIVEIS DO ABBA. VALE A PENA.
    MEU OUVIDO E COM CERTEZA DO MARCO AGRADE.

    resp.; E para quem gosta de ouvir música, recomendo as sextas à noite no Adenture Beach Bar, ao som de caio Monteiro e os flashback dos anos 70/80. Também no Por Acaso, meu caro Guilherme Júnior faz um som especial, com muita música de qualidade e, claro, no fim da festa, o revival dos 80. melhor que qualquer porcaria de forró espalhada por São Luís.

  32. É por isso sou seu fã. Mesmo com divergências no campo da política não me impedem de aplaudi-lo de pé por iniciativas como essa de defender a abertura de mercado e de ouvidos para a população maranhense.

    Mais uma vez reafirmo: Se tem um jornalista decente nesse estado, esse se chama Marcos D´eça.

    Parabens Marcos. Voce demonstra estar preocupado com o bem da população.

    Resp.; Obrigado, meu caro Daniel. Já é hora de São Luís sair da mesmice dos shows de forró e axé. E Todos deveriam se unir para cobrar melhor qualidade dos nossos eventos.

  33. Eu preciso de ibagens, cade as ibagens?

    resp.; O que diabos são ibagens? Você quer dizer imagens?

  34. FORRO = Sergio Linhares e +FM
    AXE = Dulce Brito, Marcelo Aragão + Mirante e Jovem Pan (nesse caso sempre com patrocinio do Estado)

    Resp.: É, né? Então tá!

  35. Se você tivesse compromisso com a informação e a verdade diria quem é a quadrilha.

    Só depois de minha postagem “De covers e letras miúdas” (http://zemaribeiro.blogspot.com/2010/10/de-covers-e-letra-miudas.html) é que a produção/assessoria começou a esclarecer algumas questões acerca do que é e do que não é cover na história e você publica algo sobre o assunto aqui.

    Não sei a serviço de quem você está, já que, por exemplo, o mercado de shows de axé em São Luís é dominado pelo Marafolia/Mirante e você, cujo único compromisso é com seus patrões, jamais ergueria a voz contra eles (seu blogue deixou, por exemplo, o imirante.com tão logo começou a campanha eleitoral, ou poucos dias antes).

    A carapuça não me cabe, mas fui o primeiro a alertar a população de que se trata não de Abba e Creedence Clearwater Revival, mas do espetáculo Abba The Show, estrelado pelo grupo Waterllo, e da banda Creedence Clearwater Revisited, que embora tenha remanescentes da banda dos irmãos Fogerty, não é a mesma banda que fez sucesso entre o fim dos anos 1960 e início dos 70, quando John Fogerty deixou a formação para se dedicar à carreira solo. A confusão é tão grande que você mesmo ilustra seu post com uma imagem da Creedence Clearwater Revival, banda que não virá à São Luís por já não mais existir.

    Ninguém é contra a realização de show nenhum e o texto escrito por mim e publicado em meu blogue (e já reproduzido em outros espaços) não está a serviço de nenhuma quadrilha, já que nem de axé e forró de plástico eu gosto. Meu compromisso é com a informação: essa, na divulgação dos shows, até então estava confusa. Meu papel é esclarecê-la, ou ao menos tentar, quer isso agrade ou desagrade a quem quer que seja.

    Resp.: Quem é você idiota, pra dizer quem tem compromisso com a verdade? Um reles idiota que nunca conseguiu evoluir do pensamento de 1º período da faculdade. Vive alienado no tempo e no espaço, esquecido em guetos esquerdóides. Nem li sua idiotices – aliás, nem sabia que você conseguia escrever. Li Garrone e recebi e-mails da quadrilha – ou de serviçais da quadrilha, onde, parece, você está inserido.
    Se o mercado de shows de axé é dominado pela Mirante/ Marafolia, você mesmo se desmente ao afirmar que meu compromisso é só com meus patrões. Se sou, porque critiquei (e não é de hoje como você sabe. Afinal, você ao contrário de mim, é leitor do meu blog). Não sou você, que sobrevive de migalhas daqueles que se declaram anti-Sanrey. Qualquer um que seja. E parece que a carapuça serviu mesmo. mas tenha certeza, insignificância, você seria a última pessoa de quem me lembraria ao falar em carapuça. Afinal, volto a repetir, nem sabia que você escrevia. Nunca ouvi falar de um blog do tal Zema Ribeiro.
    Esta briga está acima de você, caro coitado, que só sobrevive nos guetos ou em bares fétidos do decadente Centro Histórico, discutindo o sexo dos anjos da ideologia esquerdóide do 1º Período da Faculdade ou de subculturas envernizadas por intelectualóides também aprisionados no 1º período, como você. E tudo isso a soldo do setor.
    E posso te garantir uma coisa, caro serviçal da quadrilha ( e foi você quem se reveolu, não eu): qualquer show cover é melhor que o maior espetáculo de forró-zoada e axé alienante. Pode ter certeza.

    P.S.: Ah! E agora sim, você será finalmente lido fora dos guetos esquerdóides. Afinal, apareceu em um blog de referência. Tanto que fez questão de mostrar o link. Mas tudo bem, eu deixo.

    • so para ratificar a informação repassada pela pessoa acima, e que o caro marco deça faz questão de desferir palavras de baixo calão sem necessidade.
      basta jogar o nome da banda citada por zema ribeiro no google que sera visto que de fato ela existe. o site oficial da banda Creedene Revisited sera encontrado e no link da turne oficial aparece o local e data dos shows (inclusive o nosso que ainda consta com o local anteriormente noticiado).
      não importa que começou os boatos sobre uma banda cover, se trata de uma coisa muito estranha a constatação de que reporteres ditos gabaritados, ficam desesperados quando tem suas “noticias” contrariadas por outras pessoas.
      muito menos desqualificar a banda que se apresentara em são luis, pois se trata de remancentes de uma das maiores bandas da historia do rock mundial.
      a questão que deve ser esclarecida são as devidas informações e respeito para com o publico maranhense cansado dos mesmo shows todos os meses (cuja empres classificada por marco deça é de propriedade de seus patrões, o marafolia que tem varios nomes ficticios para ludibriar o publico maranhense)
      então quem quiser constatar um fato, é so clicar no link abaixo:

      http://www.creedence-revisited.com/dates.html

  36. Dê nome aos bois, Marco.
    Eu, por exemplo, sou completamente avesso a forró, axé e cia…daí não tenho a menor ideia de quem vc está a falar.

    resp.; mas você vê os anúncios de shows de forró a todo momento. Você sabe quem são as rádios que promovem o forró. Você sabe as casas que tocam forró. Todas se interligam. Simples assim.

    • Valeu pela dica.
      Pelo que andei investigando tem um quê de alegria isso…confesso que estes fatos me passavam despercebidos até então. Vou prestar mais atenção…

  37. Clap! Clap! Clap! Não preciso dizer mais nada, além de que sou seu fã até embaixo d’água. Nossas divergências no campo da política não me impedem de aplaudi-lo de pé por iniciativas como essa de defender a abertura de mercado e de ouvidos para a população maranhense.

    Infelizmente a quadrilha, que nem merece ser citada nominalmente, é mais um dos que acha-se dono do Maranhão.

    Mário, o publicitário, seu fã.

  38. Agora o sistema mirante libera para você discriminar as bandas de forró e axé mas quando tava em crise quem ajudou foi essas bandas sera que Dulce Brito chegou a ver essa materia?

    resp.: E o que eu tenho a ver com Dulce Brito?

    • Nossa Marco você até que acerta em algumas coisas. Essa magia não seria a mesma do marafolia que tem Frota e Mirante no comando.

  39. Caro Marco favor colocar os nomes e as empresas dos quadrilheiros que não querem para a festa acontecer. Um abraço.

    resp.: Precisa? Quem fazem os shows do gênero em São Luís? Onde proliferam os eventos para pitboys e piriguetis?

    • uhauahuahauhauhauahuahuahuahauhauha, meu Deus, vc é muito engraçado, marco!!!

    • o mais engraçado é que agora depois de anos de exploração do marafolia, quando surge uma “concorrente” do besterol, doi no cotovelo de quem se acha dono de tudo.
      não estou defendendo qualquer que seja o estilo musical, mas alguem que mama nas tetas de uma empresa que banca todo tipo de festa deveria ter a humildade de não ser tão mascarado se fazendo de coitadinho ancioso por musica de qualidade.
      cara, o amranhão é um caso serio: tem gente que se acha capaz de falar sobre tudo com o respaldo de seus patrões, uma famosa “costa quente”.
      ou vai me dizer que voce nunca foi ao encontro de “pitboys e piriguetis” (como voce coloca acima) nas festas do marafolia? por acaso la é diferente? la os frequentadores são diferentes? a minoria com recursos suficientes (e corajosos) para pagar (ou alguns conseguem uma cortezia por “trabalhar” para um amigo) que tem QI é mias capacitada e tem uma “base intelectual mais solida” que sirva de distinção em relação a população alienada que frequanta shows de forro ou axé da concorrente? tu conhce o conceito de massificação? pois é, ele serve para quem quer que esteja na condição de destaque em uma sociedade e portanto, qualquer que seja a minifestação cultural pode ser banalisada, de tanto que ela enche o saco de uma população.
      e no caso maranhense, a banalização começa com as praticas de um pequeno grupo que acha que pode falar de tudo e impor tudo sobre os demais.

      resp.; Meu caro, posso te garantir uma coisa: Nunca fui a um evento de axé. Nem do Marafolia de outro. Nunca fui a um show deste forró insuportável. Se alguém tiver uma foto minha nestes eventos, pode divulgar. E olha que, se quiser, tenhos abadás aos montes. Simplesmente não dá. Pra você ter uma idéia, nunca entrei em nenhum bar da Avenida São Luís rei de frbaça, simplesmente porque vejo nela o reduto das piriguetis e pitboys desmiolados. Afirmo mais uma vez: o axé baiano é insuportável. Este forró que toca nas rádios é o esgoto do esgoto da cultura popular. Simples assim.

  40. E porque só agora depois do anúncio do falso ABBA você vem dizer isso? Porque não explicaram isso antes? Não emplacou? Qual a quadrilha que você se refere? Cuidado para a população não imaginar que essa quadrilha é a mesma dos shows de axé de outrora.

    resp.: O show foi anunciado no blog de Décio Sá, inclusive explciando que tratava-se do Abba Show. É só ler o Décio Sá e verá tudo explicadinho. Só há um cartel de shows em São Luís. Portanto, a carapuça caberá em quem quiser usá-la.

    • È bem melhor um Abba Show,que ouvir e ver os gestos apelativos da “caceteira do forró”;ou não?Pelo menos a juventude ludovicense pode ver/ouvir uma banda de qualidade e não ficar alienada com o ultrapasado axé-forró-sacanagem.Um desrespeito à memória de grande Luís Gonzaga.

    • por acaso seria o marafolia dos seus patrões??????????????
      por que so eles para venderem shows da mais pecima qualidade como voce se refere.

    • É uma questão bem simples.. as 2 bandas originais acabaram há tempos! Em ambos os casos foram retomados projetos por 2 de seus músicos.. no caso de ABBA THE SHOW foram contratadas 2 cantoras de bandas covers e outros músicos tbm.. NÃO SÃO AS BANDAS ORIGINAIS, isto não está explícito nas propagandas, mas tbm n é omitido (apesar de uma das propagandas citar ABBA THE SHOW como a LENDA!!). No fim das contas é como ir ao show de Paralamas sem Hebert Viana cantando. Para quem quer ouvir os sucessos, pode ser um bom negócio, pese o preço, assista aos vídeos DESSAS bandas no youtube, etc… mas para quem quer a ORIGINALIDADE e EXCELÊNCIA dessas bandas, trata-se de um péssimo negócio.. Só não pior que show de axé e forró, isso n tem como!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *