1

Famem: lideranças ainda buscam consenso entre Júnior Marreca e José Mário

Marreca tem a simptia de boa parte dos prefeitos

As principais lideranças políticas do estado estão tentando um consenso entre os candidatos à presidência da Federação dos Municúipios – Júnior Marreca (PV), de Itapecuru-Mirim, e José Marío (PDT), de São João dos Patos. O objetivo é evitar um racha entre aliados logo no início do governo Roseana Sarney (PMDB).

O prazo de inscrinção de chapa na Famem termina hoje ao meio-dia.

Os dirigentes da entidade e os líderes políticos estaduais já teriam conseguido o apoio da prefeita de Timon, Socorro Waquim (PMDB) ao prefeito Júnior Marreca. Mas José Mário insiste no registro da chapa e também tenta cooptar Waquim.

Zé Mário tem apoio da classe política

Os atuais diretores da entidade mostravam preocupação com a disputa entre aliados roseanistas. Para o vice-presidente da entidade, Valdison Dias (PDT), o ideal seria um consenso em torno de Marreca que, na ua opinião, adquiriu o direito de presidir a Famem desde a eleição passada.

A comissão eleitoral tabalha ainda a possibilidade de trazer a eleição para a data original – entre 17 e 20 de janeiro. A data de 17 de feverero foi proposta pelo atual presidente, Raimundo Lisboa (PDT). Na opinião do diretor de finanças, Gildásio Ângelo (PTB), os prefetios consideram muito distante.

A disputa é intensa entre prefeitos e aliados – na Assembléia, no governo e até em setores do Poder Judiciário – e deve ser intensificada até o fim do prazo de inscrição das chapas, ao meio-dia de hoje.

A partir das chapas, se terá uma percepção de quem é quem na disputa pela Famem…

Marco Aurélio D'Eça

One Comment

  1. Marcos, não sou prefeito, porém, acho que a FAMEM deveria exercer um papel muito mais relevante, o que vemos e sabemos é que a entidade é nada mais nada menos, que um cabide de empregos. vale ressaltar que ela é financiada com recursos públicos e portanto deve ser fiscalizada pelo cidadão, e teria que servir como um braço a mais na cobrança do interesse público,agora mesmo os prefeitos e empreiteiros estão vivendo uma verdadeira via crúcis para receberem a segunda parcela dos convênios assinados em 2009 e 2010,obras concluídas e feitas em tempo recórde para poder atender aos interesses dos prefeitos,deputados,senadores e governadora. depois de concluídas estão dando calote, muitos dizem que isso já era esperado pois se tivesse segundo turno já teriam liberado. eu prefiro não acreditar que vamos ter que engressar na justíça pra receber o que nos é devido, esse é um momento impar para a FAMEM agir, cobrar da governadora,ser o que deveria realmente ser, uma entidade defensora de seus pares e dos cidadões do Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *