46

Só boicote explica a situação do Vasco…

Imagine a emoção de estar neste lugar...

Não há dúvidas de que os jogadores do Vasco fizeram corpo-mole nas derrotas do time nas primeiras rodadas do Carioca. Há 27 anos o Vasco não sofria três derrotas seguidas nas primeiras rodadas do campeonato.

E o time não é ruim – até os flamenguistas reconhecem – o que explica a tese do boicote.

A entrada do Santuário: só para os que têm fé

Querem derrubar quem? PC Gusmão ou Dinamite?

O afastamento do técnico resolve em parte, desde que não contratem ultrapassados, como Antonio Lopes e coisas do gênero – se bem que Lopes tem histórico de títulos na Colina.

De qualquer foma é bom tirar também os encrenqueiros – Felipe e Carlos Alberto, por exemplo.

As chances ainda existem, se não de disputar as finais do Primeiro Turno, pelo menos de recuperar-se e ganhar o viés de alta para o segundo turno.

Garantindo isso, o time engrena.

Aí é partir pra cima, com vontade, já  a partir de agora.

E adivinha quem pode pagar o pato???

Marco Aurélio D'Eça

46 Comments

    • é engraçado como apenas tres pessoas leram o que foi comentado pelo amigo Arquimedes.
      quatro dezenas de maranhenses, que representam bem a grande maioria da população do estado, em particular a população da capital que tem maior acesso à televisão, dando sua contribuição a mais um belo comentario deste eximio jornalista.
      provavelmente este meu comentario não venha asurtir efeito, afinal ja fazem mais de cinco dias que o post está na net, mas espero que o carissimo jornalista o leia.

      resp.; Acabei de ler, meu caro. Acabei de ler

  1. Olha Marco D’eça.
    Tú és ateu por isto não acredita e castigo divino, isso que está acontecendo com teu timinho não é conspiração coisa nenhuma, é castigo mesmo lembra quando o ano passado na ocasião do caso Bruno tu taxou todos os rubro negros e o time de antro de marginais? Pois é o castigo veio a cavalo teu time de santihos não ganhou este ano nem no rachão dos treinos sempre dava empate. e o Atro de Maginais tai invicto e o R 10 ainda nem jogou, nos aguarde.

  2. BANDO DE FLAMENGUITAS URUBÚS VÃO VISITAR OUTROS BLOGS E DEIXEM EM PAZ O PARCEIRO D’EÇA AH!!! AH!!! AH!!!

  3. Meu Deus, vc precisa de ajuda, além de assistir seu candidato na assembléia escorrer pelo ralo, ainda sofre por um time de futebol prestes a fechar as portas.

    Vc me causa pena…

  4. Marcos,

    Quem pagou o pato???

    hahahahahahaha….

    Teu time é uma comedia!!

    Vascú , nada pode ser menor!!!!

  5. Flamengo (100%) de vitórias e Vasco(100%) de derrotas os 2 times 100% do campeonato carioca sahusuauashusau ta tenso

  6. O Arquimedes falou tudo!
    Concordo plenamente com ele.
    Fiquei emocionado por ler um texto descrevendo opiniões que também são as minhas a muito tempo. A Globo e uma máquina manipuladora. Qualquer pessoa com pelo menos dois neuronios consegue perceber isto.

  7. RAPAZ MARCOS, SAI DA FRENTE DA SEDE DO VASCO…ELE VAI TOMBAR EM BREVE..
    ESTE SEU TIMINHO~VAIO PARA A SEGUNDONO DO RIO DE JANEIO.. NÃOQ UERO VER O FUTEBOL DO RIO SENDO HUMILHADO!!! QUE COISA TRISTE E VOCE VEM FALAR DE BOICOTE…..APRENDE BLOQUEIRO A TORCER POR UM TIME DE FUTEBOL, NÃO UMA JUNTADA DE PERNAS DE PAU!!!!!!!!!!!

  8. Cozinheiro,

    Não precisa jogar boia para salvar teu time.

    Relaxa, ninguém vai morrer!

    Afinal, MERDA NÃO AFUNDA.

    hahahahahahhaha.

  9. Quem pagou o pato, pato???
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    novo site do vasco wwwvascocombr, o primeiro site do mundo sem ponto!!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  10. Quando você diz, adivinha quem vai pagar o pato, COM CERTEZA E É CLARO E EVIDENTE, você não está se referindo ao FLAMENGO ou está ou estava. rsrsrsrs

  11. Que pena, isso existe, mais uma vez entrou na taca. 2 x 1, A SEGUNDONA ESTA PERTO, KKKKKKKK

  12. Não deu sorte posta estas fotos no seu Blog. Taça Guanabara so em 2012.

  13. R. Luciano: O seu comentário aguarda moderação…

    Aguarde modereação vai-caindo com “i”.
    Descarrega em cima do Botafogo, que é tão PATO quanto o Vasco.

  14. Taca ba mulambada. hahahahaha

    Esse ano vou torcer pro meu time ser campeão, São Januário só tem …

    Mengooooooooooooooooo.

  15. Pra que estádio? De que adianta? Seu “santuário” está mais pra muro das lamentações Marco.

  16. Marco,
    A Taça Guanabara 2011 acabou pro vasquinho, e quem fechou o caixão foi o seu maior carrasco.
    Agora só resta chorar, vascaínos !!
    Cuidado pra não serem rebaixados pra segunda divisão do cariocão…kkkkkkk
    meus pêsames, Marco
    Fabio

  17. Senhor Marco D’Eça,

    Gostaria de manifestar minha indignação com o que eu tenho lido no seu blog sobre o futebol, o senhor tem sido um ferrenho defensor do fim do futebol maranhense, um grande divulgador do futebol carioca, não quer a revitalização do Castelão e ainda corroborou com a estúpida declaração do Presidente da Federação Maranhense de Futebol quando este comentou a transferência dos jogos dos times locais para a segunda-feira.

    Caro comunicador, é sabido que a grande mídia do Sudeste do país tem como objetivo fazer com que exista no Brasil uma monarquia de clubes de futebol, dividindo os clubes brasileiros entre o que eles chamam de clubes “grandes” e clubes “pequenos”. Essa tática de alienação que ganhou força em meados da década de 80 com a transmissão ao vivo dos jogos serve de discurso ideológico para a existência e manutenção do famigerado Clube dos 13 e vem surtindo um efeito devastador no futebol deste país, notadamente nas regiões onde a existência de grupos midiáticos é limitada, como no Nordeste.

    O planejamento estratégico de grupos de comunicação como a Rede Globo e a Rede Bandeirantes de televisão é fazer com que o país inteiro se identifique com os times dos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo, acabando com o futebol regional, de modo que não seja necessário contratar profissionais do jornalismo esportivo, nem deslocar estruturas de comunicação para estados periféricos, cortando gastos. Por exemplo, não é interessante para essas emissoras contratar narradores de jogos de futebol no Maranhão, na Paraíba ou no Pará para transmitirem conteúdos regionais, é melhor colocar Luciano do Vale e Cleber Machado transmitindo um torneio Rio-São Paulo para todo o país, é mais barato e aumenta a divulgação dos clubes dos seus respectivos estados.

    Isso é o que podemos chamar de “globalização” de torcidas.

    A receita é simples: a mídia do Sudeste aproxima dos nossos torcedores times distantes e que não lhes pertencem/representam e os afastam dos times locais, seus verdadeiros representantes e com os quais eles podem interagir efetivamente, isso provoca um processo de alienação tão forte que causa efeitos devastadores para o futebol regional, como, por exemplo, a transferência dos jogos do Campeonato Maranhense para a segunda-feira para não concorrerem com a transmissão pela televisão do Campeonato Carioca, numa demonstração de falta de amor próprio que chega a irritar.

    Quando eu falo alienação não é exagero, a Rede Globo costuma colocar microfones voltados para a torcida dos clubes do eixo Rio-São Paulo toda vez que eles jogam fora de casa, a câmera trabalha em “close” quando mostra a torcida da casa e aberta ao máximo quando mostra a torcida visitante, de modo que o telespectador tem a impressão de que os torcedores do clube visitante são a maioria no estádio, manipulação que serve para enquadrar esses clubes como “nacionais” e não regionais, bem como para mostrar quem é o protagonista do jogo.

    Diferentemente do que o Senhor escreveu no seu Blog, o abandono dos times maranhenses pelo seu torcedor, não se justifica somente pela falta de estrutura, pois se fosse assim, ninguém torceria pelos clubes cariocas, já que eles também, apesar do dinheiro que monopolizam, não têm estrutura, qual clube do Rio tem um estádio descente? Qual clube do Rio tem um centro de treinamento descente? Já em São Paulo, só o clube que leva o nome do estado tem uma boa estrutura, porque os demais, embora mais bem organizados, não ficam muito distantes dos cariocas. Na verdade, à exceção do São Paulo Futebol Clube, os clubes do eixo são tão mal administrados quanto os clubes do Maranhão, ganham força, principalmente, pela divisão injusta das cotas da televisão e através de um conluio nocivo para os demais estados da federação que é o tripé maquiavélico Mídia/Clube dos 13/CBF. Sem essa armação, o futebol de São Paulo ainda teria força, já o do Rio mendigaria.

    Reconheço que, por serem de estados mais desenvolvidos economicamente, os clubes paulistas e cariocas tendem naturalmente a serem mais competitivos, mas sem esse arranjo, não haveria essa tamanha disparidade que presenciamos.

    Portanto, é revoltante ver um jornalista maranhense, que tem a função de discutir assuntos locais, desestimular o futebol do nosso estado e exaltar o futebol alheio, bem como contemporizar com a infame declaração do Presidente da FMF. A declaração dele é tão absurda que é capaz de causar inveja a qualquer personagem de Franz Kafka e deveria ser motivo de impeachment, não era para ele sequer pisar na calçada da Federação do Maranhão, e sim, se candidatar a Presidente da Federação Carioca de Futebol, mas aí eu pergunto: mesmo com tanto amor demonstrado ao Flamengo pelo senhor Alberto Ferreira e sendo os clubes da cidade maravilhosa “nacionais”, como pretende mercadologicamente a Rede Globo, será que os cariocas aceitariam um maranhense dirigindo o futebol do Rio?

    É bobagem achar que o futebol é mero entretenimento, os clubes movimentam enormes recursos financeiros e ajudam no desenvolvimento econômico dos seus respectivos estados, eles geram empregos, pagam impostos estaduais e municipais, ajudam no turismo; e aí eu pergunto: onde ficam as sedes da Rede Globo e da Rede Bandeirantes?

    A audiência que os maranhenses dão aos clubes do eixo Rio-São Paulo gera divisas para esses clubes e para seus respectivos estados, pois ela é levada em consideração na hora de se fazer contratos com os patrocinadores, e o Maranhão ganha o quê com isso?

    A venda de camisas é outra grande fonte de renda para os times, pois, uma boa porcentagem do valor de cada camisa é repassado pelo fornecedor do material esportivo para o clube, dessa forma, uma boa parte do dinheiro da venda de uma camisa de um Flamengo, Vasco ou Palmeiras, quando comprada por um maranhense na Rua Grande ou em um Shopping Center de São Luís vai direto para esses clubes, possibilitando que eles paguem impostos e gerem empregos no Rio de Janeiro e em São Paulo, ao invés de gerarem estes mesmos empregos e pagamentos de impostos no Maranhão, e o mais absurdo, um dos estados mais pobres da federação enviando divisas para os dois estados mais ricos, em razão de um produto que também temos aqui, o futebol.

    Não se trata de declarar guerra aos supracitados estados, longe disso, mas de defendermos nosso patrimônio. Imagine se os maranhenses dessem audiência e comprassem camisas dos times locais, fossem ao estádio torcer participativamente, ao invés de irem ao bar ou ficarem em casa sendo meros torcedores virtuais de realidades distantes, que força teria o futebol maranhense?

    Alguns dizem que os times e dirigentes locais são ruins e esse é o motivo do abandono pelo povo maranhense dos seus clubes. O estado sofrível do atual futebol do Maranhão é conseqüência, não causa; os dirigentes locais, é claro, têm sua culpa, os resultados em campo, também, mas essa decadência é principalmente produto de tudo que foi dito acima, bem como da forma excludente como a CBF trata os clubes do Norte/Nordeste e da atuação monopolista do Clube dos 13, entidade espúria que se apoderou dos recursos financeiros e da organização do futebol brasileiro.

    Sendo assim, mídia das regiões consideradas periféricas, como a nossa, não deveria servir de incentivo ao derrotismo, ao abandono do nosso futebol, e sim, de resistência ao bombardeio alienante da mídia do Sudeste sobre corações e mentes do nosso povo, deveria questionar o porquê de um Campeonato Brasileiro com apenas vinte clubes, transformado num torneio Rio-São Paulo com convidados em nome de uma falsa “organização”. Como pode ser um campeonato nacional se poucos estados estão representados no torneio, o Brasil não é a Espanha, a Itália ou a Inglaterra, todos esses países são menores em extensão territorial do que somente o estado do Maranhão, imagine o Brasil como um todo.

    Se querem seguir modelos de organização europeus, porque não seguem os modelos de cotas financeiras que eles praticam, dividindo de forma justa o dinheiro dos campeonatos nacionais e não o que vemos aqui, onde em 2009, por exemplo, o Vasco da Gama recebeu de cota mais de 17 milhões de reais para disputar a Série B, enquanto Avaí e Náutico receberam 5 e 7 milhões respectivamente para disputarem a Série A; o campeão daquele ano, o Flamengo, recebeu mais de 36 milhões de cota, e o Corinthians um pouco menos. Em lugar nenhum do mundo onde se joga futebol há uma injustiça tão grande, assim é fácil se criar times “grandes” e times “pequenos”.

    Sabe qual o principal argumento utilizado para justificar esse absurdo? Os clubes do eixo Rio-São Paulo dão mais audiência. Mas claro que eles dão mais audiência, na televisão só se passa jogo deles, em rede nacional só tem programa esportivo falando deles, até nas novelas da Rede Globo tem aniversário de criança decorado com o tema Flamengo.

    Antes, eram os pais que escolhiam o clube de futebol que seu filho iria torcer, agora quem escolhe é a televisão, e diante desse cenário de alienação é cínico e oportunista dizer que cada um tem o direito de torcer para quem quiser.

    A manutenção dessa verdadeira segregação é um dos motivos para o alarde feito pela grande mídia toda vez que se tenta aprovar uma lei regulando a comunicação social no país, porque entre outros temas fundamentais para a verdadeira democratização da informação no Brasil está a produção de conteúdos regionais, tema que é tratado como um dos princípios informadores da atuação das mídias de rádio e de televisão pela Constituição de 1988 e que é flagrantemente desrespeitado pelas empresas de comunicação que atuam na área.

    Antes de incentivar o fim do futebol maranhense, achando que o estado não perde nada com isso, eu queria que o senhor soubesse que o futebol é uma grande fonte de empregos, pois os clubes necessitam de uma enorme estrutura de recursos humanos, não são formados somente por dirigentes e jogadores, eles precisam também de diversas pessoas ligadas à área de educação física, contadores, roupeiros, massagistas, etc. Indiretamente o futebol também é um forte gerador de trabalho, tem a senhora que vende espetinho e cerveja na frente do Nhozinho Santos, os chatíssimos flanelinhas e cambistas, e até mesmo, pasmem, jornalistas.

    Por isso, eu considero a atitude do Senhor um verdadeiro tiro no pé, se não vejamos: por que razão eu daria audiência a um jornalista de São Luís falando sobre o futebol do eixo Rio-São Paulo, se para obter notícias e comentários dos times de lá me basta acessar qualquer canal de televisão ou qualquer um dos vários Sites pela Internet que tratam do assunto, todos com jornalistas “in loco”, vivendo diretamente a realidade dos clubes e, portanto, mais bem informados sobre o tema do que o senhor?

    No ano passado, no programa de televisão Globo Esporte, o então dirigente do Flamengo Zico, quando perguntado se o clube iria mandar seus jogos no Nordeste em razão da interdição do Maracanã, ele respondeu que: “pode ser, mas o ideal é jogarmos aqui no Rio, junto do nosso torcedor”. A resposta espontânea do maior ídolo da história do Flamengo revela que ele não considera os “flamenguistas” nordestinos legítimos, isso é normal, basta ver a estranheza que cariocas e paulistas apresentam quando nos visitam e nos vêem torcendo para os seus clubes.

    Sendo o futebol produto da cultura, não é necessário fazer um esforço muito grande para saber sua importância para a identidade de um povo, principalmente no Brasil, por exemplo, ao passar o Carnaval do ano de 2009 na cidade do Recife, perdi contato com um amigo de São Luís que se encontrava hospedado em Olinda com um grupo de vinte maranhenses, eis que na noite da segunda-feira de Carnaval, em pleno Recife Antigo, no meio de milhares de foliões, passa por mim uma pessoa que eu nunca havia visto na vida com a camisa do Sampaio Correia, imediatamente eu o abordei e perguntei se ele se encontrava no mesmo grupo do meu amigo, ele disse que sim e me indicou onde encontrá-lo. Eu teria feito a mesma coisa se essa mesma pessoa tivesse passado por mim tocando uma Matraca de Bumba-Meu-Boi, mas jamais teria tomado tal atitude se a pessoa que eu abordei estivesse, por exemplo, com a camisa do Flamengo ou a do Vasco, pois elas não estão entre os símbolos maranhenses.

    Se não valorizarmos o que nos representa, passamos a ser meras cópias da representação alheia, e, portanto, sem identidade, nunca legítimos.

    Dessa forma, gostaria que o senhor refletisse sobre o tema, de modo que ao invés de promover o futebol do Rio de Janeiro, divulgasse o futebol Maranhense que anda muito necessitado de apoio de seu próprio povo. Os problemas de organização e de má administração dos clubes locais não podem servir de desculpa para o seu abandono, pois as mesmas mazelas existentes aqui, encontramos no futebol carioca e paulista, a principal diferença é que eles tem a grande mídia ao seu lado, conivente com a injusta divisão de cotas e benefícios praticados pelo “Clube dos 13” e pela CBF.

    Atenciosamente,

    Arquimedes Ferraz

  18. É melhor ter time do que estádios. O Vasco é igual o Maranhão, tem estádio mais não tem time. kkkkkkkkkkkkk

  19. como sou maranhense… e a rede globo nunca influenciou minha opinião… Meu time é o Sampaio Corrêa… Sou torcedor de verdade pois vou pro estadio e grito por meu time… e quando o jogo acaba não preciso desligar a tv puto da vida e guardar essa emoção se meu time perder… SOU MARANHENSE COM MUITO ORGULHO… RESPEITO E VALORIZO MEU ESTADO… A MIDIA NÃO ESCOLHEU MEU TIME…

  20. Uma coisa é certa: o Vasco tem a melhor torçida, só falta ter um time a altura!

  21. KKKKKK, Essa coisa vai perder a 4 seguida, pois o MENGÃO vai atropelar esse timinho, chora Marquinho, chorrrrraaaaaaaaaa. Saudações Rubro-Negras.

  22. Marcos, antes falavam que o vasco não crescia por caso de Eurico Miranda, mas ganhava titulo. E a agora com Roberto Dinamite, Só perde já foi para 2 divisão e corre o risco de ir novamente! obrigado.

  23. Se alguém vai pagar o pato eu não sei, mas que um pato vai levar uma taca, eu tenho certeza. Quer apostar uma vinho a escolher?
    Desta vez vai cair o Dinamite, sabe por que? É que o time que vai jogar contra o “pre-rebaixado” é o campeão da Copa São Paulo sub 20.

  24. TENS razao, meu caro amigo poeta .. esse tal robert lobato, deveria se pronunciar anos atras, quando a mesma crise afetou o tal clube dele. que nem campo tem pra treinar..
    ocorre que esse bunda mole de roberto dinamite, deixou o vascao cair e agora com essa crise toda. ele eh babaca. duvido se o doido do eurico miranda, aceitaria ou deixaria o vascao cair pra segundona…
    abraços fraternos vascainos

  25. Lei na legenda de uma das fotos: “A entrada do Santuário: só para os que têm fé”. Bem, em se tratando do Vice-da-Gama resta a dúvida; FÉdemais ou FÉdemenos?

  26. Ei Marco sabe qual a diferença da letra i para o vasco da gama?
    Resposta:A letra i tem um ponto!!!!
    kkkkkkkkkkkkkkk
    Amanhã é pêia de gols do maior clube do Brasil contra o mais fraco dos grandes do Rio, pode esperar, e quanto a boicote, incompetência do clube do Vasco da Gama nada tem haver com boicote!!!!

  27. Até fiquei emocionado èm ver a cruz de malta no portaão do VASCAO. Esse Robert Lobato quer é tomar gosto, pois está é com inveja. Vai cuidar de teu blog urubú flamenguista.

  28. Concordo plenamente com vc.Só não é seguro à noite.Mas pelo Vasco vale correr o risco.

  29. Como não tem nem um ponto, nem vice pode ser. Portanto, está fora do campeonato carioca. Cuidado já caiu uma vez para a segundona do brasileiro, que vergonha se cair para a segunda divisão do carioca. Nós vamos bater em quem? Marco sai d’eça.

  30. Ei marco, uma visita dessa no campo do vasco custa quanto meu amigo?penso em ir ao Rio ano que vem e queria ter uma boa base, digo, visita ao estadio, loja do clube, ver o treino, essas coisas, quanto custa? grande abraço

    resp.; Não custa nada, meu caro. Só o taxi para chegar. É só chegar, se identificar e dizer que quer conhecer o estádio. Logo na entrada, à esqeurda, tem a lojinha do Vasco. à direita, a sala de troféus. Atrás do estádio estão os centros de trienamento, as quadras e a escola Vasco da Gama, que atende crianças carentes de São Cristovão.

  31. Meu caro Marcos,

    Sou um leitor assíduo do seu blog. Leio todos os dias, te acho, ao lado do Décio Sá, um dos melhores jornalistas do Estado, mas em matéria de esportes, você é bem fraquinho. Você acha que o Flamengo vai pagar o pato, né? Tudo bem! Sonha não custa nada. Mas só pra refrescar a tua memória, e pra não ficarmos num clima hostil, vou deixar aqui a piada do momento: “Save qual a diferença do Vasco pro “i”? É que o “i” tem um ponto, o Vasco nenhum”. Parabéns pelo blog, mas fale de outros assuntos, esporte não dá. (rsrsrsrs).

  32. Marco,
    Realmente você terá que ter muita fé, pois somente DEUS para salvar o seu time do rebaixamento para a segunda divisão (DO CARIOCA), kkkkkk. Mas falando sério, não queira justificara as derrotas, dizendo que os jogadores fizeram corpo mole, isso é papo de torcedor que não quer ver que simplemente o Vasco não jogou nada ou quase nadam pois no jogo contra o Nova Iguaçu chegou a empatar após estar perdendo por 2 x 0. Agora sua segunda-feira pode não ser tão alegre quanto imagina.

  33. Não é “boicote” que estão fazendo com o Vasco é sim ruindade mesmo…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  34. Meus pêsames. Se tivesse tirado essa foto na Gávea, talvez estaria mais animado. Rrsrsr

    Resp.: Gávea? O que é isso? É algum tipo de pasto, como Várzea, etc…? No Rio só conheço três estádios: o Maraca, o Engenhão e o São Januário.

  35. Caro Marco D’Eça,
    Meus pêsames. Se tivesse tirado essa foto na Gávea, talvez estaria em melhor animado. Rrsrsr

Deixe uma resposta para Gilvan Espinosa Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *