11

Mais histórias sobre o prédio do Ministério Público

Abaixo, trechos de post feito pelo professor Caio Hostílio, em seu blog, sobre a polêmica da responsabilidade da obra do “Espeto de Pau”. Como autor do texto, Caio publica apenas o e-mail ([email protected]) e o IP da máquina onde foi escrito: 200.179.255.82:

A grande verdade é que essa obra da PGJ já nasceu eivada de ilicitudes. Quem venceu a licitação foi a Construtora Canon Ltda, do Alexandre Jorge, ex-dono do Equator, no entanto conseguiram arrumar uma “rescisão amigável”, fajuta com poucos dias de firmarem o Contrato com a Canon, para favorecer a Construtora Proenter Engenahria Ltda de um alienígena de nome Euller Tácito, que gozava da amizade de pessoas importantes e tinha parentes influentes à época nesta cidade. (…)

Sabe-se que a obra foi contratada para ser executada em lajes em concreto protendido, todavia como o projeto básico era falho, após a contratação a Construtora Proenter Engenharia Ltda mansamente contratou o engenheiro calculista de nome Adolfo Bezerra Rocha, CREA 6842 D-CE, que elaborou um projeto estrutural com uso de lajes pré-moldadas, funcional também, porém de custo expressivamente menor à que havia sido contratada.

Tudo isto com o aval do incipiente arquiteto Militão Gomes, cunhado/primo do então Procurador-Geral de Justiça Jamil Gedeon, que me parece era o fiscal do Contrato e autor do projeto arquitetônico da obra.

Ou seja, os doutos da PGJ fizeram uso do sagrado princípio da economicidade na administração pública às avessas. Permitindo alteração da concepção inicial do projeto básico no transcurso da obra, sem justificativas plausíveis, bem como sem redução do custo da obra. Uma alarmante improbidade de clareza solar. Com graves danos ao erário público.

Tudo isto é facilmente constatado, bem como outras aberrações mais, como aditivo de serviços em valores superiores ao permitido por lei, na planilha da contratação, parte integrante do inteiro teor do processo que se supõe, encontrar-se arquivado na nossa Egrégia Corte de Contas e em uma inspeção “in loco” no prédio-sede das Promotorias de Justiça.

A não ser que tenham dado sumiço também no processo no TCE-MA, como aconteceu na PGJ com o projeto estrutural…

Leia a íntegra do texto aqui

Marco Aurélio D'Eça

11 Comments

  1. Eu fico vendo na Procuradoria Geral de Justiça, a divergência entre os dois grupos, o da Procuradora Geral atual e o do ex-Procurador Geral Raimundo Nonato, que agora pousa de santo, não parando de perseguir a Dra Fátima e seus aliados. Interessante notar que a dupla de Procuradores que mais atua nessa perseguição já atuava junto desde a administração do Dr. Nonato, E agora agem como se nada de errado tivesse acontecido naquela época.
    Não é preciso grande esforço para concluir que essa dupla é formada pelo Dr. Nonato e pela Procuradora de Justiça Themis Maria Pacheco de Carvalho, que tem emprestado seu nome para “assumir” as acusações contra Dra. Fátima e seus aliados, algumas dessas “denúncias” distribuídas“coincidentemente” para o Dr. Nonato ser o relator.
    Pois bem, a Dra Themis foi nomeada pelo Dr. Nonato sua assessora, através do cargo em comissão de Assessora Especial da Procuradoria Geral, quando ainda não era Procuradora. O Dr. Nonato á nomeou para esse cargo através do Ato 2961, de 17/06/2002, cópia em anexa, e 09/07/2003 passou a ter direito a uma gratificação adicional, por serviços extraordinários de 37% sobre seus já polpudos vencimentos, conforme Portaria nº 1421, assinada pelo o Dr. Nonato, cópia anexa. Apesar de a função de Promotor de Justiça, e também de Assessor Especial ser daquelas que exigem dedicação exclusiva, houve pagamento á mais por supostos “serviços extraordinários”.
    Mais o pior não é isso. Em 20/01/2004 a Dra Themis pediu e foi autorizada a se afastar, por dois longos anos, tanto da função de Promotora de Justiça como da de Assessora Especial da Procuradoria Geral de Justiça, para cursar, na Espanha, um curso de estudos avançados em criminologia, curso esse concluído em 08/03/2005, conforme cópia anexa. Ou seja, o curso levou pouco mais de um ano, fevereiro/2004 á março/2005, mas a Dra Themis acabou gozando afastamento por dois longos anos um deles para passear, pois ninguém é de ferro…
    E não é tudo, mesmo afastada e passeando na Europa á Dra Themis, graças a seu parceiro de perseguição, ex-Procurador Geral Dr. Nonato, teve direito não só a seus vencimentos de Promotora e Assessora, mas também á gratificação adicional “por serviços extraordinários” que teriam sido prestados, assim, do outro lado do Oceano Atlântico, na Espanha e, sabe se que outros países da Europa, isso com a gorda remuneração, salário de promotor + o de assessor especial + 37% de adicional por serviços extraordinários.
    De fato, somente em 14/08/2006, mais de um ano depois do término do curso na Europa, é que foi baixada a Portaria 2131, cópia anexa, fazendo cessar o adicional de “serviços extraordinários” da Dra Themis.
    Gostaria de saber o que a dupla que persegue seus colegas têm a dizer, ou dirão, desses documentos e dessas provas…

  2. Essa procuradora e seus assessores deveriam ser todos afastados de suas atividades por incompetência e falta de decoro.
    Desde que tomou posse a douta senhora não faz outra coisa senão desconstruir aquela instituição. Vejam todos, não há um único dia naquela procuradoria de justiça que não se cometam injustiças (contra membros, servidores e sociedade), crime contra o erário (dar emprego sem a contrapartida da prestação do serviço e outras farras com o dinheiro público) ou assédio moral.
    Por que isso acontece? Escolha uma opção.
    1 – a procuradora-geral tem orelhas muito grandes e é mal assessorada;
    2 – a procuradora-geral está fazendo exatamente o que quer fazer.

  3. Marco

    Uma mosca zoou que o relatório dos 72 hospitais já percorrem os corredores do Ministério Público.

  4. MAIS PORQUE TÚ METEU JAMIL GEDEON NESSA PILANTRAGEM? POIS ATÉ HOJE EU ACHAVA QUE ELE ERA UM DESEMBARGADOR ACIMA DE QUALQUER SUSPEITA E NUNCA IRIA SE ENVOLVER NESSAS MARACUTAIAS DE FÁTIMA TRAVESSA. QUER DIZER QUE UM PARENTE MEU FAZ UMA PILANTRAGEM, EU QUE VOU LEVAR A CULPA. CARO D’EÇA EM DIREITO A PENA NÃO PODE ULTRAPASSAR A PESSOA DO RÉU. ISSO É BÁSICO PARA VOCÊ QUE SE DIZ UM JORNALISTA, FORMADO EM UMA FACULDADE TUPINIQUIM COMO A SÃO LUIS.

    resp.; Não estou metendo ninguém em pilantragem alguma, meu caro. mas tem um detalhe, meu caro: Jamil gedeon foi o procurador que elaborou o projeto e iniciou a obra do “espeto de pau”.

  5. Marcos, é verdade que o Anselmo Raposo foi nomeado assessor no governo de Roseana?
    Me diz que isso é mentira, me diz!

    Ela não podia fazer isso, já que falou recentemente que seu governo não teria pessoas envolvidas em corrupção.

  6. Ê Sarará viceíno. Copie e clique neste link: http://www.jfpe.gov.br/index.php/component/noticia_rss/?view=main&article-id=aHR0cDovL3d3dy5qZnBlLmp1cy5ici9ub3RpY2lhcy9ub3RpY2lhcy8zMA%3D%3D
    Publique e aprecie, mas se tiver coragem e honradez não esqueça de escrever um post contradizendo o seu “Só durou uma semana o título-fantasma do Flamengo… Justiça confirma que Sport é o único campeão de 1987”.
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
    Acessa també: http://globoesporte.globo.com/platb/arthurmuhlenberg/
    Saudações a você a a todos os viceínos!!!!!!

  7. A área onde foi levantado o famigerado prédio foi doado graciosamente, sem autorização legislativa, pelo Município de São Luís, durante a gestão Jackson Lago, quando o seu irmão, Wagner Lago, ex-procurador de justiça, ocupava a Procuradoria Geral do Município. Doação avalizada pela PGM sem qualquer interesse escuso (risos).

  8. De nome aos bois. Euler Andrade é irmão da “amiga” do Sr José Sarney a insuportavel Ana Carla Quental e EX “mulher” de Astrogildo Quental, ex secretario de obras do Lobinho 30% Filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *