23

Pseudo-forró prolifera como praga no carnaval maranhense…

para enganar também no Carnaval, "Aviões..." lançou até versão "elétrica"

O carnaval maranhense sempre foi baianizado no interior. Prefeitos com pouca cultura musical ou influenciados pelo requebra fácil da popularidade das bandas baianas enchiam as praças de trios-elétricos e botavam o povo pra dançar. Literalmente.

Agora, além do insuportável axé, o carnaval no interior virou palco do que locutores desinformados ou mau formados chamam de forró cearense.

São coisas do tipo “Aviões do Forró”, “Helicópteros do Forró”, e o  “Cacete-a-quatro do forró”, que estão na agenda da maioria das festas patrocinadas pelas prefeituras.

Pitboys e piriguetes são, literalmente, arrastados pelos trios

Música de péssima qualidade, apologistas do alcoolismo, dqa ridicularização da mulher e da vida baixo-nível dos inferninhos de prostituição, estas bandas fazem a cabeça apenas do povo aculturado.

Geralmente pitboys repletos de músculos e sem nenhum cérebro e garotas-bunda, com pouca roupa e nenhuma vergonha de passar ridículo, este “público” segue de cidade em cidade atrás destas porcarias – e deixa um rastro de confusões, agressões e quebradeiras.

Infelizmente, a atração por estas bandas só reflete o baixo nível cultural do jovem maranhense, em todas as classes sociais.

Explorados até o osso pelos promotores destes eventos…

Marco Aurélio D'Eça

23 Comments

  1. carnaval de 2o12 vai toca chico burque eletrico que por sinal e fraco vocalmente so idiotas que dao uma de culto que diz que ele canta muito caetano eletrico pode toca tambem ah tinha esquecido da maria betania ou simone cantando musicais natalinas eletrico rs a elite babaca do maranhao melhor os parlapatoes daqui do nosso maranhao elite nao existe sao coisas criadas por fim gosto e que nem c… todo mundo tem o seu so pra fecha ah descupa por nao usa as pontuacoes minha ”autarquia” gostou da frase nem o shakespeare seria mais feliz to be or not to be that’s the question o povo fala em cultura mais no ma ela elevada muito a seria acho eu que o ma devia se separa do brasil agente ja vive numa monarquia nossa educacao e de ponta e so lembra qui 100 % da polucao e alfabetizado saude ao moldes da da cubana seguraça nem se fala policias educados qui a todo estante trata bem o povo de uma forma impar nossa fico indignado quando no brasil vejo qui a educacao nao e levada a serio qui nao tem hospitais para bem trata o povo qui presidios sao super lotado e quando fazem rebelia eles cortam as cabecas das vitimas e que os politicos falam que o povo gosta de mora em casa de barro pq e mais fria so agradeco ao a minha monarquia que nao nos proporciona essas coisas nossa viva ao ma ja crio o movimento separatista liberta maranhao xau pessoas vou doa um kit sanitario pra um estado desse do brasil nossa eles fazem suas necessidades no quintal coisa anti engienico ainda bem que no maranhao tudo e certinho e nao tem essas coisas

  2. Marcos,
    Quase todas as prefeituras recebem dinheiro do Governo Estadual para realizar o Carnaval, portanto, o Governo deveria cobrar dos prefeitos que que eles prioriza-se a cultura maranhense, ou então, não receberiam apoio.

    resp.; A questão não é nem priorizar a cultura maranhense, meu caro. Mas é dar ao povo música de fao apropriada ao carnvaval. E este pseudo-forró não é apropriada a coisa alguma. Aliás, só ás piriguetis e aos pitboys desmiolados.

  3. Enquanto o carnaval pernambucano se consolida como o melhor Carnaval de rua do país, amparado por leis municipais que proíbem a veiculação de porcarias no período momesco, nosso Estado mergulha cada vez mais nesse “Posto de Gasolina Way of Life”. Sinto-me, cada vez mais, um estranho no ninho quando presencio essas aglomerações; e olhe que só tenho 28 anos!
    Esses produtores aproveitam-se dessa geração perdida, sem referência cultural alguma, despolitizada, descompromissada com tudo (com o próprio corpo, inclusive!) e a cada dia que passa estão com os bolsos mais cheios de dinheiro.
    Ano passado tentei, em minha triste ingenuidade, veicular marchinhas carnavalescas do Maranhão em um município do interior; a reação de quem presenciou minha idéia foi bem irônica.
    Isso é triste! Chegou-se ao ponto do próprio maranhense não se identificar mais com suas próprias raízes, assim como venho “malhando em ferro frio” em prol do nosso futebol nativo.
    Parabéns pelo artigo.

  4. BOA MARCOS. VC ESTA CORRETISSIMO. INCRIVEL COMO TEM GENTE Q AINDA DISCORDA DESSAS AFIRMAÇOES. SERÁ Q ESSAS PESSOAS SÃO SURDAS OU “TAPADAS MESMO”???

  5. Bom dia !
    Caro Marcos, vç como um formador de opinião tem que ter muito cuidado ao fazer certos comentários, ou certas críticas, olha se vç procurá nos arquivos, vais encontrá situação igual acontecido nos anos 80, quando Lulú Santos em uma tarde de domingo no progarma do faustão criticou a música “sertaneja” e todos os seus seguidores em resposta Faustão que não é nada burro, convidou algumas duplas sertanejas logo no próximo programa para que se defendessem; os caras deram um banho de cultura e sabedoria e mais ainda humildade. Pois público tem para todos os ritimos. E o Lulú teve que ir no programa novamente pedir descupas ao seu público e claro aos sertanejos que logo depois virou fébre nacional.
    E essa é grande vantagem de sermos “SERES HUMANOS” pois somos os únicos animais com o direito de escolhas, de “discernir” isso, daquilo; diferenciar.
    um forte abraço.

    resp.; Não estou falando de público, meu caro. É óbvio que o Faustão vai levá-los lá (imagina só, o Faustão é a sua fonte…) pois a TV vive disso. É claroq eu todos têm seu público. O cerne da qustão é o nível do público de cada um. Simple assim…

  6. Essa bizarrice reina em regiões onde a miséria e a ignorância predominam, como o Maranhão; e isso só tenderá a mudar daqui há alguns 20 anos quando erradicarmos o analfabetismo e colocarmos um pouco de cultura no povo.

    resp.; Infelizmente você está equivocado, amigo. Esta bizarrice ocorre até nas melhores famílias. Um exemplo: São Paulo, onde coisas como estas proliferam em todo o estado. Lamentável.

  7. essa bizarrice reina em regiões onde a miséria e a ignorância reinam, como o Maranhão; e isso só tenderá a mudar daqui há alguns 20 anos quando erradicarmos o analfabetismo e colocarmos um pouco de cultura no povo.

  8. Concordo em número e grau com tudo que comentastes a respeito destas bandas.

  9. Pô Marcão, essa matéria dever ser replicada diariamente. Infelizmente os nossos artistas estão por aí a ver navios, sem espaços para divulgarem os seus trabalhos. E o pior de tudo isso é que essas ditas bandas são pagas com recursos que o governo coloca sem nenhum critério nos municípios para promover o dito carnaval.
    Não sou muito dado a ouvir rádio, pois perdir o gosto por esse costume em façe a tanta porcaria que se coloca dioturnamenete, os nossos comunicadores já não tocam em seus programas a boa música produzida em nosso meio. O grande responsável por esse lixo que somos obrigados a ter que ouvir em todo canto são os empresários de entretenimento e os meios de comunicação que divulgam indicriminadamente essa porcaria, que como você bem disso só serve para incentivar coisas que não servem à formação cultural de um povo.
    Parabéns pela coragem de tratar dessea assunto da forma como ele há tempos já deveria ser tratado.
    Chega de tanta porcaria! Ah! Bem que a Casa legislativa deveria fazer como feizeram os pernambucanos e o baiahnos que não permitem coisas alheias ás suas manifestações seja patrocinadas com recursos públicos. Já passou da hora de se tomar uma providência contra esses abusos que tantos prejuizos tem causado para as nossas manifestações, nos artistes e acima de tudo a nossa juventude que alheia aos nossos valores ficam idolatrando essas porcaria que nada acrescentam a formação cultural de um indivíduo.
    Parabéns!

  10. DEPRAVAÇÃO EM ALTAMIRA.

    Marco, Altamira do Maranhão é uma cidade pequena, de menos de 5.000 habitantes, (des)governada pelo prefeito Arnaldo Gomes (PT/BALAIO), que se diz “evangélico”. A população da pequena Altamira, foi surpreendida por um carro de som do Prefeito, convidando a população para fazer parte do bloco da putaria, cuja concentração é exatamente em um prostíbulo da cidade. Veja que valores morais um cidadão que administra uma cidade passa seus munícipes. Em tese, ele chamou toda a população feminina da cidade de PUTAS. É exatamente a ridicularização da mulher como você postou em em seu blog. E o pior de tudo e que o alcaíde faz o convite em nome da administração pública, pela qual ele deveria zelar. É puro desrespeito ao povo.
    PS. Marco, deixei de lê fazer comentários no blog do Décio, porque ele não publica nenhum comentário a respeito do prefeito de Altamira, com exceção daquelas que tecem elogios ao amigo dele. Presta um deserviço ao leitor.

    resp.: Infelizmente, meu caro, o prefeito Arnaldo tem frequentado ambientes nada abonadores quando vem a São Luís. Talvez por isso, a preferência por estimular este estilo e vida em Altamira.

  11. Marco,
    Parabéns pela análise. Precisamos todos, urgentemente REAGIR contra esse LIXO musical. O atrazo do Maranhão é de MENTALIDADE. Por outro lado gostaria de levantar uma outra questão: desde quando o ” Bicho Terra” faz música carnavalesca? Vamos acabar também com essa história de querer empurrar de goela abaixo, o “movimento cultural” da Madre Deus. A nossa diversidade cultural precisa ser tratada sem manipulações.

    Resp.: Você está equivocado, amikgo. O Bicho Terra só faz música carnavalesca. E da melhor qualidade. Aliás, no Maranhão, as músicas carnavalescas são as melhores do país, com letras divertidas, histórias engraçacadas. Faz o duplo sentido sem a vulgarização. O carnaval vivido em São luís continua a ser um dos melhores do país. você precisaria ver a levada rock que Beto Pereira fez dos sucessos maranhenses no Cordão do Ponto.Com. A jardineira da bandida empolga na Litorânea. Sem falar na beleza do Gdam. Carnanval no Maranhão pode, sim, se ver livre das procarias cantadas por Aviões e Cia.

  12. pust GRILA, rapaz colocou o dedo na ferridaaaaaaaaaa existe um jogo de “venda” de nota FISCAL de lasca NISSO.

  13. Marco, seu comentário foi perfeito, esses pefeitos pilantras que não cuidam de sua cultura e nem do seu povo, eles são encentivadores da prostituição-consumo de drogas-violencia e alcoolismo infelizes serão o futuro desses jovens.

  14. Caro D’eça,
    Você foi muito feliz e realista nesta sua postagem, as bandas do Ceará e da Bahia tomaram de conta do carnaval maranhense. Mas, é inegável que eles tem um um ritmo bom que combinado com a falta de interesse pelo carnaval de raiz do Maranhão, só poderia cuminar com esse sucesso que eles estão fazendo e a morte da cultura maranhense.
    Temos que acrescentar ainda as pick up’s de som com sua músicas eletrônicas que, também, estão fazendo o carnaval do Maranhão.

  15. Parabéns pelo comentário Marco.
    Pessei que estava sozinho nesse universo de coisas horrorosas.
    Ainda bem que São Luís brinca ao som de suas músicas, não precisando de ninguém de fora prá fazer a animação.
    Concordo quando você escreve sobre a questão da acultura da maioria dos prefeitos do Maranhão.
    Só lamento que o Governo do Estado praticamente seja obrigado a pagar pelos
    teco-tecos e infernights dos “forrós’. NINGUÉM AGUENTA
    PARABÉNS

  16. Sem cultura??? Estamos falando de carnaval, diversão, musica pra fazer o povo sair do chão e esquecer a mediocridade de suas vidas, o que você queria? “Chico Buarque Elétrico”?
    O que vale apena? Musicas ruins que o povo gosta ou belas porcarias que o Marco D´Ça aprecia? Faça-me o favor caro jornalista, quanto á falta de cultura do povo, se deve a péssima educação que o governo oferece há mais de 4 décadas em nosso estado, agora pare de ser infeliz e caia no rebolation ou não seu bofe não deixa não!!! kkkkkkkkkkk

    resp.; Pelo nível do seu comentário, é fácil fazer uma descrição sua: quilos e quilos de músculo, pouco ou nenhum cérebro. Frequenta, na sexta, as casas da São Luís Rei de França, no sábado, o Pirata Beach e, aos domingos, qualquer casa de pagode da ilha. Maior preocupação: definir os horários para malhar nas academias da cidade – onde passa, no mínimo, quatro horas por dia. Este é o perfil de qualquer um que pensa como você, por isso é fácil descrever. Todos são iguais.

  17. vc ouve oque no carnaval? música clássica?

    Resp.; Ouço música de carnaval. Música que, com certeza, estas bandas que arrastam você não toca.

  18. Apenas VERDADE o que vc falou e do ponto de vista economico essas bandas causam um grande de déficit nos cofrs públicos uma vez que na maioria dos casos sáo as prefeituras que pagam as contas, descapitalizando os municipios e no pós carnaval vem uma sequencia de atrazo nos pagamentos dos servidores municipais… Boa matÉria a sua, PARABÉNS.

  19. DISSE TUDO, MARCO AURÉLIO D’EÇA.
    ALÉM DO BAIXÍSSIMO NÍVEL DAS LETRAS, AINDA TEMOS QUE ATURAR A POLUIÇÃO SONORA PROVOCADA PELOS “AMANTES” DESSE “ESTILO MUSICAL”.

  20. Marco concordo com tudo que tu falaste,só tenho uma ressalva a fazer,ontem fui ao circuito Litoranea que parece que não deu certo,no Bloco Lapada,foliões com vergonha de entrar no bloco pois havia 3 pessoas com abadá! eu,que sou um admirador do carnaval maranhense,só acho que a governadora cometeu o mesmo erro do ex governador Jackson,que descentralizou o carnaval,ou seja,blocos como Jegue Folia e Confraria do Copo deveriam participar do circuito Deodoro Madre Deus,e não ir pra Litoranea que tava fraco demais,que a Governadora reveja isso e ano que vem coloque os blocos de onde nunca deveriam ter saído,que eh na Rua do Passeio,no mais concordo em tudo contigo!

    resp.; Concordo com você. O circuito Deodoro/Madre Deus deve centrarlizar a festa das brincadeiras de rua. M as estive também na Litorânea, saí na Bandida e gostei da moviemntação. Vi também o GDAN e o Lapada. E não tinah só três peladinhos, não! A questão éq ue, lá, a festa começa mais tarde. De qualquer forma, concordo: o circuito Litorânea é dispensável.

  21. Meu caro jornalista, concordo em genero numero e grau, eu poderia aqui acrescentar um monte de adjetivos desfavoravel a essa praga que eles chamam de forro, mas em respeito aos leitores não vou cita-los, o velho Lula la no ceu, deve ta puto a vida.

  22. Você está certíssimo, Marco. A cultura maranhense está morrendo por culpa de políticos com baixo nível cultural. Pagam uma fortuna para bandas de forró de fora e deixam os artistas maranhenses a ver navios. Para piorar a vida dos artistas maranhenses, ainda há as radiolas de reagge que só tocam música eletrônica de fora e não fazem um único show com artistas locais. Os empresários cearenses agradecem! Obs.: o empresário da banda Mastruz com Leite tem apenas 150 bandas de forró. Quantos empregos isso não gera no Ceará? Depois culpam o Sarney pela pobreza do nosso Estado…

  23. Essas banda(lheiras) é fruto da falta de educação de um povo alienado e sem cultura. Os “empresários” da música se aproveitam disso para vender lixo cultural nessa época para prefeitos corruptos que só pensam em voto. E os abestados saem atrás, enchendo a cara de cachaça e balançando as duas bundas, a que que fica em cima do pescoço e a outra que serve tão somente como desaguadoro do resto do corpo.

Deixe uma resposta para JOÃO DE DEUS Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *