4

Júnior Marreca discute parceria da Famem com Governo do Estado e CEF

Marreca, Gondim e demais diretores da Famem

O presidente da Federação dos Municípios do Maranhão, Júnior Marreca (PV), reuniu-se ontem com representantes da Caixa Econômica Federal, com os quais discutiu medidas para diminuir a burocracia na liberação de convênios federais com os municípios.

– Há uma sala específica para prefeitos nas dependências da Caixa. Um atendimento diferenciado para os gestores melhoraria a relação – disse Marreca. O superintendente da Caixa, Valdemilson Nascimento, garantiu que irá buscar a melhor forma de diminuir as dificuldades enfrentadas pelos prefeitos.

À tarde, o presidente da Famem reuniu-se com o secretário de Planejamento e Gestão do Governo do Estado, Fábio Gondim. Ficou definido que a pasta irá auxiliar a entidade na realização de treinamentos aos prefeitos para montagem de projetos, principalmente.

Gondim revelou que o Plano Plurianual do governo Roseana Sarney e a Lei de Diretrizes Orçamentárias irá se adequar às necessidades dos municípios.

Este assunto deverá ser tema de encontro técnico, entre o governo e a Famem, no próximo dia 28.

Na reunião com o representante do governo, Júnior Marreca ouviu também que o governo poderá auxiliar a entidade na construção da sua sede própria.

Há um terreno doado pelo Governo, em 1997, cuja doação já está aprovada. Marreca propôs e Gondim asumiu realizar estudos técnicos para elaboração do projeto.

A construção da sede própria é uma das metas de Júnior Marreca na Famem.

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. Marcos, quando o palácio vai pagar o que deve a municipios e construtores, pois os convenios assinados e pagos a primeira parcela até hoje não pagaram o resto! quero saber quem vai arcar com essa conta, e quando. não sei porque voçes não falam nisso?

  2. Coro Jornalista permita que eu ocupe esse tão conceituado espaço para tratar de um assunto que é do interesse de todos aqueles que como eu já não agüento mais tantos descasos com o interesse coletivo e o desrespeito com os direitos dos cidadãos.
    Pode o gestor público fazer uma Licitação, abri um concurso público para preencher o quadro de pessoal efetivo sem determinar a quantidade de vagas que serão oferecidas para cada área?
    Pode! E quem diz que pode é o Presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão que acaba de abrir um edital e contratar uma instituição (http://www.servidor.tjma.ieses.org/: http://www.servidor.tjma.ieses.org/documentos/ARQUIVOS/edital.pdf) para realizar um desses “concursos” onde não se divulga quantas vagas serão oferecidas em diversas áreas, utilizando-se do macabro expediente de criar falsas expectativas com o famigerado “CADASTRO RESERVAS” que induz as pessoas desesperadas por um trabalho que lhes garanta o sustento a se inscreverem para concorrerem para vagas que não se conhece e nem mesmo se sabe se verdadeiramente existem.
    Este fato lamentável além de ser um desrespeito ao cidadão que se esforça, investe na sua formação passando anos estudando e se qualificando para assumir uma função pública por mérito, sem recorrer ao apadrinhamento e sem os favores daqueles que se acham poderosos é compelido por uma decisão que afronta o que determinam os Princípios que regem a administração pública previsto no Art. 37 da CF. Além de ser um flagrante desrespeito às leis é uma porta aberta para os desmandos e a consumação de fatos vergonhosos como os que a todo instante tomamos conhecimento através dos mios de comunicação onde pessoas sem a devida qualificação são alçadas a ocupar posições para as quais não reúnem as mínimas condições, só pelo simples fato se serem apadrinhadas de mandantes de ocasião.
    A publicação dos os atos praticados pelo gestor público não é mais que uma obrigação, é um dever que todos têm que cumprir, e, o Excelentíssimo Presidente da Egrégia Corte do Maranhão daria um bom exemplo se cumprisse com o que determina a CF e as leis vigentes neste País e divulgasse as vagas criadas no famigerado “CADASTRO RESERVA”.
    Espero que essa grave falha seja corrigida, pois ainda há tempo para que isso seja feito para que as pessoas possam fazer as suas escolhas livremente e decidir democraticamente para onde e quais vagas desejam concorrer e ingressar no serviço público por mérito.
    Como a palavra o Presidente do TJMA e o pessoal do MPE que assistem a essas aberrações de camarote e nada fazem para sanar tamanha falta de observâncias das leis e de respeito com os cidadãos, aqueles se preparam e merecem uma oportunidade justa e transparente.

  3. É O MARREÇÃO GRITANDO, PARA CONSEGUIR VERBAS PARA OS PREFEITOS INCREMENTAREM SUAS AÇÕES, COM AS POPULAÇÕES DOS MUNICIPIOS MARANHENSES, ASSIM MELHORANDO SUA SITUAÇÃO DE MORADIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *