11

João Alberto e Luís Fernando Silva…

Luís Fernando é referência em gestão pública...

Agora colega no secretariado da governadora Roseana Sarney (PMDB), o senador João Alberto de Souza (PMDB) fez referências elogiosas ontem ao chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva, durante o ato de filiação do também secretário Max Barros ao PMDB.

João Alberto usou a administração de Luís Fernando como referência de gestão pública de qualidade para reforçar a importância da candidatura de Max Barrros.

E destacou que, basta comparar o que foi feito em São José de Ribamar com o que se faz em São Luís para se ter idéia do que seu grupo pode fazer na capital maranhense. 

...Luís Fernando é referência para João Alberto

Lá, o que o Luís Fernando Silva fez, agora continuado por Gil Cutrim, mostra claramente a diferença em relação à adminitração de São Luís – disse o senador…

Para sentenciar: “É só comprar Ribamar com São Luís para se ter certeza de que a capital precisa mudar”.

Luís Fernando é um dos melhores prefeitos maranhenses da história, com a gestão em Ribamar reconhecida nacionalmente.

Reconhecida também, como mostra João Alberto de Souza, pela classe política maranhense…

Marco Aurélio D'Eça

11 Comments

  1. Vamos comparar o Maranhão com o Paraná ???

    Resp.: Porquê? Não sou paranaense e nem quero morar no Paraná…

  2. Assina logo como assessor de imprensa de Luis Fernando. Quanto puchacao de saco. Ta ficando asqueroso.

    Resp.: O assessor de imprensa de Luís Fernando é Matias Marinho, meu amigo pessoal. E este blog apoia publicamente o projeto político de Luís Fernando. Está claro?

  3. SAO JOSE DE RIBAMAR É MENOR, AS VERBAS SÃO MENORES; SÃO LUIS É MAIOR E AS VERBAS SÃO MAIORES. É UMA QUESTÃO DE BOM SENSO. NÃO TENHO NENHUMA ADMIRAÇÃO POR ESSE JOÃO ALBERTO, MAS SUA COMPARAÇÃO É PERTINENTE SIM.

  4. Nosso Senador é exemplo de político de ficha limpa sabe muito bem o que fala sobre LF. Quem sabe fazer gestão do pequeno pode muito bem fazer no grande. LF é o melhor não só para nossa capital mas para nosso estado.
    LUIS FERNADO PARA GOVERNADOR, EU LEVANTO ESSA BANDEIRA…É VER PRA CRER, NÃO VAI TER PRA NINGUÉM.

  5. Luis Fernando só foi bom prefeito porque São José de Ribamar é bem menor que São Luis…não é questão de gestão ,porque se for por isso João Castelo está fazendo coisa que nunca outro prefeito tinha feito por São Luis.

  6. “jornalista” ou blogueiro, acho que tolo é vc que primeiramente tem que respeitar os comentários e ficar calado ou seja não responder pois não se referem a sua pessoa, a tua obrigação é só divulgar. Não conheço nenhuma gardenia aliás conheço uma flor agora se vc está se referindo a Deputada Gardênia, saiba que admiro o trabalho dela e como vc perdeu a sua boquinha em S.Luis, com toda certeza ovelha, vc tem mais é que meter o pau em quem realmente trabalha e faz!

    Resp.: Quem é você para me mandar ficar calado, vagabundo? O blog é meu, decido o que quiser em relação aos comentários: Ignorar, censurar, responder. Obrigação? Me respeite, rapaz! Quem tem obrigação é você, de ficar fazendo o que Gardeninha quer.

  7. A “pequena” São José de Ribamar é a terceira mais populosa do Maranhão. E a comparação de João Alberto é perfeita porque a questão não é se é maior ou menor, são as práticas políticas entre um e outro. Ribamar é menor e por que tem duas escolas em tempo integral, caminhando para a terceira, e a gradiosa São Luís não tem nenhuma? São Luis tem muito mais terras para produzir e por que Ribamar, impulsionada pela produção de alimentos, em virtude dos projetos implantados por Luis Fernando, apresentou a taxa média anual de 8% de crescimento econômico, o dobro da média nacional que é de 4%, em 2010? E por aí vai… A questão não é se é maior ou menor, porque os problemas e recursos são proporcionais, a questão é na intenção administrativa de um ou de outro. Corretíssimo o senador João Alberto.

  8. Marco, a propósito das respostas aos 3 (três) primeiros comentários, permita-me as seguintes observações:
    a) Luiz Fernando- por conhecê-lo sei que é um bom técnico e com vasto conhecimento sobre políticas públicas e administração pública, dai não ter sido nenhuma surpressa a boa administração em S.José; assim como entendo que, se deixarem, será um bom governador;
    b) comparar São Luis com S.José, para servir de exemplo, penso que não seja o melhor, pois as dificuldades e carências são imensamente diferentes. É como comparar o Brasil com o Equador; e por fim,
    c) besta, é o povo que vota em certos candidatos, na esperança de que eles honrem a palavra e cumpram as promessas de campanhas. Exemplo: esses senadores prometeram defender os interesses do Maranhão no Senado e foi para isso que foram eleitos. Suplente é uma figura exdrúxula e que não recebeu, do eleitor, nenhuma representação.

  9. João Alberto deixa de hipocrisia ,querer comparar a pequena São José de Ribamar com a grande São Luis…ora isso é achar que o povo é besta !

    resp.: Ele não está comparando tamanho, seu tolo. Ele está comparando gestão. Mostra que Luís Fernando – e o grupo da governadora – é mais eficiente que Castelo. E por que? Por que, se Castelo não conseguiu adminisitrar o pequeno – seus negócios, por exemplo – não conseguirá administrar cidade como São luís. Portanto, mneu caro, quem é mesmo o besta aqui?

  10. Marco, me desculpe o Senador João Alberto, agora Secretário mas comparar Ribamar com a capital São Luis meu amigo, me compre um bode!!! Espero que agora com a chegada dele neste governo as coisas melhorem…

    resp.; É incrível como a turma de gardeninha fica planatada para responder aos blogs. Mas são tão tolos que respondem todos do mesmo jeito, mostrando a manipulação do comentário.

  11. Marco. com todo respeito e confiabilidade no seu trabalho, você poderia comentar algo sobre os “Senadores do Maranhão”, pois não votamos para eles com certeza, Os Srs. Clóvis Fecury e Edinho Lobão, ganhamos ou perdemos com isso ?

    Resp.: O que vai definir a perda ou ganho é o desempenho deles no exercício do mandato. Com relação ao voto, é uma questão menor. Afinal, um suplente também contribui, de uma forma ou de outra, com a votação do titular, ao pedir para o seu eleitor votar no candidato. Funciona nos mesmos moldes do que ocorre com prefeitos. No interior, geralmente, o eleitor vota no candidato A ou B sem mesmo conhecê-lo, só por que o prefeito – ou o passtor, o padre, o líder sindical – pediu. Em tese, os votos não são do candidato, mas do prefeito. A mesma coisa funciona com o suplente. Quando ele decide compor a chapa de um senador, seus eleitores vão votar neste senador como se estivessem votando no suplente. A tese errada de que o suplente não tem voto, portanto, é apenas uma cantilena da mídia-paulista-quatrocentona-falida-e-antinordestina que quer influenciar o processo político em todo o país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *