11

Quanto custa um feriado???

A festa foi total, na mídia e entre o funcionalismo público.

O Governo do Estado – seguido pelo Judiciário e Legislativo – resolveu adotar apenas dois dias úteis na semana que vem e criou um feriadão de cinco dias, a partir deste sábado.

Segunda-feira, será feriado pelo dia do Funcionário Público, transferido de sexta-feira. Terça, ponto facultativo, e, quarta, feriado nacional de Finados.

Trabalho, só quinta-feira, dia 3 de novembro. E olhe lá!

Maravilhas para quem se imagina servidor público apenas pelo fato de não trabalhar em feriados e fins-de-semana. Para o país, o estado ou o município, prejuízos gigantescos.

Em 2009, segundo estudo da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, o Brasil perdeu nada menos que R$ 155 bilhões com feriados. Para efeito de comparação, é uma vez e meia o total que o Maranhão espera em investimentos para os próximos cinco anos.

De acordo com o estudo da FERJ, o problema é exatamente o enforcamento dos dias úteis entre os feriados.

Em comparação com outros países – incluindo EUA – o Brasil até que tem número menor de feriados nacionais. Mas a cultura “funcionário público” do brasileiro impregnou-se a ponto de virar tradição o enforcamento dos dias imprensados.

O jornalista Joelmir Betting é mais específico e calcula em R$ 60 milhões o prejuízo do Produto Interno Bruto com cada dia parado no Brasil. Mas ele avalia que, para um país que arecadou R$ 500 bilhões em impostos, apenas entre janeiro e maio de 2010, o custo do feriado é insignificante.

No setor privado, o Brasil tem amadurecido muito nas últimas décadas.

Exemplo disso é a vitória do comércio sobre os sindicatos, transformando o domingo em um dia de compras como outro qualquer.

Falta avançar muito ainda, ampliando os estabelecimentos 24 horas para todos os setores e a cultura dos turnos, que valoriza o trabalhado e gera empregos.

Isto no setor privado, por que o publico vai continuar de pernas pro ar.

E o país paga a conta…

Marco Aurélio D'Eça

11 Comments

  1. Ei Marco, o Judiciário nao acompanhou, não!
    Não heverá expediente nesta sexta por conta do feriado em comemoração do dia do “servidor público”, e haverá expediante normal na segunda e na terça (31/10 e 01/11), pelo menos no TJMA

  2. BEBER CAIR LEVENATER

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    TO NEM AI

    TO NO RIO

    Resp.: Mas você não é o mesmo SÉCULO XXI? E por que se identifica por Letícia no e-mail?

  3. BEBER CAIR LEVANTAR 😀

    JA TO NO CEARÁ

    😀

    Resp.: Letícia, você é uma desvairada. Que viagem, heim? Daí pra onde?

  4. Como é que tu quer falar de funcionário que não trabalha se tu era pago como servidor público comissionado do TJ e não trabalhava? Telhado de vidro é o que tu mais tem.

    Resp.: É, né? Então, tá!

  5. O problema não são os feriados! São os dias enforcados, os pontos facultativos em razão do feriado, os dias anteriores aos feriados que muitos trabalham somente até o meio dia, pois se vão viajar, não sabe viajar dentro dos dias de folga querem sempres viajar antes e voltar um ou dois dias depois. Enfim, é duro falar, mas a grande maioria dos funionários públicos, do qual faço parte, merecem a fama que tem de não gostar de trabalhar. Infelizmente, muitos só pensam na grana no fim do mês. Não dando importância ao próprio trabalho que desempenham, que são importantes para a população.

  6. O Poder Executivo Federal fez o certo! Apesar de ter sido intempestivo – pois somente dia 24/10 (segunda-feira) soubemos da mudança – a Portaria MPOG/SE nº 870, de 24/10, transferiu para 14/11, véspera o feriado do dia 15/11, o ponto facultativo do servidor público do executivo federal. Por que os gestores de outros entes da federação e dos outros Poderes não fizeram o mesmo, respeitando toda a sociedade que financia o serviço público?

  7. O Judiciário manteve o feriado dia 28, tá no site do TJMA, onde tu era comissionado e nunca trabalhou.

    Resp.: E…???

  8. sou funcionário público e gosto de trabalhar, acho que esse feriado prolongado tá até demais!

    resp.: Parabéns a você, mas tenha a certeza: você está na minoria do serviço público. Os próprios cursinhos preparatórios para concurso já enfatizam o fato de trabalhar pouco, folgar muito e ter a garantia do emprego pra sempre como atrativos dos concursos. Nenhum exalta o fato de você ter a oportunidade de se dedicar a salvar vidas, mudar o desenvolvimento de um estado ou ajudar no crescimento do país. Não! Isso não tem importância.

  9. Que onda em Marcos, quer dizr que o setor privado está de parabéns por sacrificar o trabalhador até aos domingos né?
    Rapaz, tu acha isso certo? O trabalhador ja é explorado a semana inteira e ainda tem que trabalhar nos fins de semana? E a qualidade de vida desse trabalhador como fica?
    Esses Empresários Insacieáveis que não se contetam com a mais valia que ja ganham a gora querem terminar de matar os comerciário, muito bonito esse seu dicurso para os patrões, os trabalhadores tem que engolir.

    resp.: Não seja idiota. Alguém tá defendendo exploação de trabalhador? Pelo contrário. O texto efende a criação de turnos de trabalho, cujos serviços possam funcionar ininterruptamente. Deveria valer também para os erviço público. Mas no serviço público você sabe como é, né? Este discurso da mais valia fa\z parte daquelas tolices defendidas por marxistas. Aqueles mesmo que defendem que o serviço público os sustentem, enquanto ficam pendurados nos sindicatos, associações, federações e congêneres, receendo sem trabalhar.

  10. Realmente não podemos desconsiderar tamanho prejuízo à economia, mais por outro lado, é nos feriados que os hotéis, casas de festas, bares, restaurantes e tantos outros segmentos aumentam seu faturamento.
    De todo, feriadão não é tão ruim assim para a economia do País.
    Agora que é uma coisa que funcionário público mais gosta, isto é uma grande verdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *