12

Deputados se sujeitam a “representante nacional” de cabos e soldados…

Grevistas tomam de assalto a Assembléia

Não passou de um espetáculo personalista a tentativa de reunião dos deputados estaduais com os “líderes” do movimento grevista de policiais e bombeiros militares, hoje, na Assembléia Legislativa.

Um representante da Federação Nacional de Cabos e Soldados, que veio da Bahia, danou-se a falar sem parar e praticamente não deu espaços para que os deputados se posicionassem.

Pior: apenas se submeteram a cantilena teórica do pracinha

De tudo entendia o homem: tentava vender a idéia de conhecimento absoluto dos supostos direitos dos militares e fez questão de ressaltar as credenciais de experiente participante de movimentos parecidos, em vários estados do Brasil.

– Jamais aceitaria tratar de greve de policial maranhense com alguém “da União Soviética” – comentou o deputado Carlos Alberto Milhomem (PSD), irritado com a abertura dada ao “estrangeiro”.

Com a desenvoltura do insuflador grevista, os deputados só tiveram a chance de garantir a permanência dos militares na Assembléia, que se transformou no acampamento do movimento.

Se o governo não agir rápido, seja para o que for, a coisa pode degringolar – alertou Milhomem.

E que o tiver se der feito, tem que ser feito logo.

Marco Aurélio D'Eça

12 Comments

  1. Eu tinha a curiosidade de ver seus comentários se caso no governo estivesse Flavio Dino, por exemplo. Talvez vc estaria do lado dos policiais.

    Resp.; Quem sabe? Mas você nunca vai saber, né?

  2. SE essa greve fosse na época do Jackson Lago, esses blogueiros da mirante tavam fazendo a festa, alarmando a população e insulflando o ego dos coroneis. TE VIRA ROSEANA, O POVO TÁ SÓ ESPERANDO A HORA.

  3. Por que esse praça não faz greve na Bahia? Lá eles ganham bem menos aqui. Será que os Pms de lá sabem bem quem é ele e não se deixam levar?

  4. eu quero é o MArco Derca como secretário de segurança

    resp.: Não tenho ligações com Segurança Pública, meu caro. Sou jornalista.

  5. Caro D’Eça, infelizmente! tivemos que deixar de defender a nossa sociedade por algum tempo, para defender os nossos direitos e a nós mesmos. Isso acontece porque não temos quem fale por nós, pela nossa classe. Neste momento, quando precisamos do apoio da parte sã da sociedade, e, nos aparece mesmo que seja um pracinha, vindo de outro Estado, apenas por conhecer bem o assunto e querer nos ajudar com seu conhecimento ou “cantilena” não importa, você ainda o taxa de insuflador e tenta denegri-lo a todo custo. Tou tentando entender se vc pertense a parte sã ou a parte podre desta sociedade.

    Resp.: Eu pertenço às pessoas de bem desta sociedade, que ama o estado em que vive e que procura preservar sua gente, sua cultura, seus valores. E você, pertence a esta sociedade ou à banda podre da PM?

  6. Marco
    A Governadora deveria colocar o João Alberto como secretário de segurança. Aí eu quero ver essa turma bagunçar…

  7. Marcos, esse tal Soldado prisco, presidente de uma tal associação dos praças do Brasil, é lá da Bahia, onde o salário de um soldado é R$ 1.500,00, enquanto o daqui é R$ 2.250,00.
    Então porque primeiro ele não luta pelo salário dos seus conterrâneos? Isso é um picareta. Tá aqui recebendo cachê dos políticos do PC do B que querem ver o circo pegar fogo.

  8. Caro amigo Marcos, acabei de receber a informação do juíz da auditoria militar e informou do pedido feito na tarde hoje, da prisão dos coronéis e outros, relacionados a greve. Olha no blog eu coloquei.

    Abraços

    http://www.netoferreira.com.br/

  9. Marco.
    Esse sujeito tá mais pra militante do PSTU do que pra militar.

    Passa o ano todo insuflando greves pelo país.

    Tá brabo, amigo.
    Assim não dá!

  10. Marcos, a Governadora precisa urgentimente de alguém que a assessore com inteligência e liderança nessa área de segurança pública, pois do jeito que as coisa andam não vai demorar muito para tudo ficar pior. Veja, a Governadora não tem uma liderança com capacidade e transito em meio às forças policiais, isto é muito perigoso, pois essas coisas não se resolve só com propagadas, ameaça e com decisão de tribunal.
    Alguém precisa dizer para a Governadora que tudo isso se resolve com decisões firmes e cumprindo os acordos e o que fora prometido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *