10

Coisas a explicar no Tribunal de Justiça…

O flagrante de corrupção envolvendo dois assessores de alto coturno do Tribunal de Justiça não se encerra com a  simples exoneração dos dois.

Ou pelo menos não deveria se encerrar.

Nem a história do empresário supostamente achacado – Savegny Sauaia – muito menos a dos assessores Marco Túlio Dominici e Reginaldo Duarte, de que não cobraram propina para dar sumiço em processo, convencem os observadores mais atentos do contidiano da Justiça.

As histórias sobre venda de sentença no Judiciário são recorrentes nos meios políticos e jurídicos do Maranhão.

E envolvem não só questões políticas, mas cíveis e criminais.

Uma instituição perde a referência quando as coisas estranhas que ocorrem em seu interior passam a ser motivo de chacota.

E as histórias de negociação de decisões judiciais no estado viraram chacota para políticos, advogados e jornalistas.

Deputados, prefeitos, ex-prefeitos e assessores contam a boca miúda como funciona a indústria de sentenças no Tribunal de Justiça do Maranhão.

Meia hora de conversa sobre o assunto é suficiente para entender a corrupção nas entranhas do Judiciário.

– O pior é que nem se pode reclamar. Já imaginou ter um juiz contra a gente – fala um ex-prefeito, que já teve ações na Justiça Comum e na Justiça Eleitoral, segundo ele, “resolvidas com o jeitinho”.

Um deestes casos estourou nas eleições de 2010, no TRE, quando um candidato de Chapadinha acusou um magistrado de ter recebido dinheiro para julgar uma sentença sua.

O pior é que ficou comum.

Jornalistas comentam claramente conversas que tiveram com assessores de juízes e desembargadores sobre negociação de decisão.

Se for a fundo nas investiações o Ministério Público – não o estadual, mas o Federal – e o Conselho Nacional de Justiça encontrarão muita história cabeluda.

Histórias que tornarão insignificante o escândalo envovlendo um desembargador de Minas Gerais.

É só querer investigar…

Marco Aurélio D'Eça

10 Comments

  1. TEM QUE SER INVESTIGADO A FUNDO, PORQUE ISSO É SÓ A PONTA DO ICEBERG, QUE VAI MOSTRAR A PODRIDÃO QUE SE OCULTA NO TJ-MA.
    A SOCIEDADE MARANHENSE NÃO DEVE E NÃO PODE ACEITAR QUE MAIS ESSE ESCÂNDALO PASSE EM BRANCO.

  2. Sr jornalista>
    Além de todos os aspectos já referidos, um parece ter passado ainda despercebido: a absoluta incompatibilidade entre o exercício da presidência de uma importante órgão de representação classista(Associação dos Criadores do Maranhão) e a assessoria do Tribunal de Justiça.
    Se, com toda a razão, a OAB considera inconciliável o exercício da advogacia com o a assessoria a juízes e desembargadore, não menos impossível será semelhante prática para o presidente da Associação dos Criadores. Dessa forma, os interesses privados de uma classe econômica estarão privilegiadas quanto à defesa de seus interesses. Imagine se o assesor da presidência do TJ fosse um sindicalista envolvido com os interesses dos trabalhadores!
    Recordemos que essa situação já vem de outros presidentes do TJ, segundo notícias da imprensa. Independentemente de eventual “trambique”, é absolutamente inaceitável essa promiscuidade entre as esferas públicas e privadas. E não se diga que os sucessivos presidentes do TJ que mantiveram o Sr. Dominici no Tribunal desconheciam o fato, dada a notoriedade desse senhor.
    Mais uma vez o Maranhão inova: o presidente de uma poderosa entidade de representação patronal é assesor de presidentes do nosso TJ!
    Coisas de presidentes.
    Saturnino

  3. Caro Marco,
    Fostes preciso ao dizer que “se for a fundo o Ministério Público Federal, “NÃO O ESTADUAL” e o Conselho Nacional de Justiça encontrarão muita história cabeluda.

    Isso é verdade, o MPE do Maranhão tem quadros competentíssimos e não chega a ser a podridão do Judiciário, mas é cheio de conivências. Não gosta de insvestigar esse tipo de coisa, pq dá uma “canseira” danada. Agora se fosse um policial pego em propina, ai meu amigo, o pau cantava…

  4. nós cidadãos maranhenses no afã de uma justiça estadual merecedora de fato de confiança e seriedade,
    exigimos que a Drª Calmon determine urgentemente que uma força tarefa do CNJ se instale no coração do poder judiciário deste estado, o mais rapido possível. até porque esses dois “patos” exonerados na verdade se parecem mais com dois “bagrinhos”.

  5. CARO MARCO D’EÇA!! SAVEGNY SAUAIA É UMA PESSOA MUITO RESPEITADA NO MEIO EMPRESARIAL AGROPECUÁRIO, E GOZA DE PRESTÍGIO SOCIA NA CAPITAL. AGORA PROCURE SABER SOBRE ESSES PILANTRÕES PSEUDOS ADVOGADOS ASSESSORES DO TJ. UM DELES É CONHECIDO COMO ADVOGADOS DE PILANTRAS,MUITO CONHECIDO DESSES DELEGADOS,QUE ESTÃO DE BOCA CALADA. ATÉ ACHEI ESTRANHO ALUIZIO MENDES AO LADO DE GUERREIRO JR,EM UMA ENTREVISTA FAJUTA ONDE O DESEMBARGADOR EXONEROU OS CONCUSSORES.E ISSO AINDA VAI RENDER PARA NOSSOS DESEMBARGADORES.
    QUANTO AO DES. RDO CUTRIM, HÁ MUITO ESSE PARENTE PILANTRA LHE CAUSA INSATISFAÇÕES, QUE AGORA CULMINOU COM ESSA AUTUAÇÃO COM A MÃO NA MASSA.

    AGORA EU COMEÇO A ENTENDER PORQUE UM EX GOVERNADOR,MÉDICO ME DISSE” D’ITALYANO NÃO CONFIE EM ADVOGADO,POIS ELES SÃO CAPAZES DE VENDER ATÉ A MÃE”.

  6. Marco.
    O TJMA é um balcão de negócios. Qualquer advogado experiente e militante sabe que faz falcatruas lá, desembargador X, Y ou Z,através do assessor fulano ou sicrano.
    É uma vergonha, é um escândalo e um absurdo.
    Porque isso acontece ? Porque as punições são brandas, porque é muito difícil punir, porque o CNJ demora, porque as corregedorias são omissas e o principal, porque ninguém tem medo de ir para a rua, perder o emprego. Essa é a raiz do problema de todo o funcionalismo público. A lei é branda, demora,existe a “Ampla defesa” passaporte para impunidade.
    Hoje já existem desembargadores sérios e competentes no TJ, mais que no passado, mas eles ainda não conseguem mudar esta realidade.
    Espero que esta realidade mude pois é desmotivante e frustante para os advogados sérios ver suas causas serem perdidas pela corrupção na venda de sentenças.

    Obs.: Comentário editado.

  7. Denuncia.
    1º o des. Marcelo Carvalho negou a liminar de soltura do vereador de Tuntum Orleans Moreira
    Só que sua filha já fala que tem 2 votos garantido que um Deputado vai arrumar que seria…….
    2º ele está preso no presídio de segurança máxima, mas só que esta parecendo um hotel pois seus familiares passam o dia inteiro nas dependência do presídio.
    Faça uma matéria sobre este caso

  8. No que deu aquela denúncia de venda de sentença, feita há algum tempo, pelo Desembargador Bayma? Alguém investigou alguma coisa? Pra mim, o assunto morreu da mesma forma como nasceu: sem deixar vestígios…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *