15

Greve de ônibus: o mesmo esquema outra vez…

 

Mais uma vez motoristas ameaçam cruzar o braços

É sempre assim.

Empresários do setor de transportes coletivos reclamam à prefeitura que estão com orçamento defasado e precisam aumentar a passagem de ônibus para não quebrar.

Logo em seguida,  sindicato dos motoristas e cobradores e articula paralisação, sob o pretexto de que os salários da categoria estão defasados.

No final, a população paga a conta

A Justiça do trabalho cumpre a sua parte no esquema chamando as “partes” para um acordo, que nunca é celebrado no primeiro encontro.

Os ônibus páram, a população reclama, a mídia transmite tudo ao vivo e o caos se forma.

A prefeitura, então, aceita aumentar as passagens, já que as empresas precisam aumentar o salário dos funcionários.

E a população paga toda a conta…

Marco Aurélio D'Eça

15 Comments

  1. A maioria das Empresas de onibus com faturamento baixo? Não tem dessa, os onibus que circula pela grande São Luis estao cada vez mais abarrotados de pessoas que já pagam caro para usar os coletivos que os donos dessas viaçoes disponibilizam. Onibus velhos (15-20 anos de uso), quebrados, barulhentos. Será mesmo que o baixo salario dos motoristas e cobradores, consomem todo o dinheiro pago pelos “clientes” desses empresarios? “Gasto com manutenção”? Todos os dias vejo inumeros onibus estragados na vias de São Luis, congestionando todo o transito e atrapalhando nao só os consumidores desse tranporte, mas toda a população que utiliza essas vias para trafegar. Além disso, será mesmo que o aumento da passagem vai corresponder com a qualidade e rapidez do transporte publico?

  2. segundo um diretor do sindicato, a pespectiva dos empresarios é q a passagem mais cara cheg a R$ 2,70, com o compromisso de renovação de 30% da frota até o final do ano.

  3. é falta de vergonha dos rodoviarios os mesmos sabem q os onibus alem de esta caindo aos pedaços, demoram uma vida p/ passar nos pontos. não foram p/ faculdade e queren ganhar muito bem k,k,k,k,k,k.

  4. Tudo combinadinho na calada da noite entre as partes (cúpula do sindicato e empresários), a Justiça entra na jogo e nunca resolve nada, pois as partes estão em conluio.
    Muito jogo de sena, uns motoristas do baixo clero metem cachaça e quebram um vidros de ônibus no Aterro do Bacanga, etc.
    E no fim a população paga o pato.
    Simples assim.

  5. QUEM TINHA QUE FAZER GREVE ERA A POPULAÇÃO…..SÓ ASSIM RESOLVERIA O PROBLEMA OU ENTÃO SE EU FOSSE MOTORITA E COBRADORA DEIXAVA A CATRACA LIVRE ASSIM SÓ QUEM IA SAIR NO PREJUIZO ATÉ Q FIM…..SERIAM OS EMPRESÁRIOS,CHEGA DA POPULAÇÃO PAGAR POR BRIGA DE PEIXE GRANDE!!!!!!

  6. poxa depois de vários anos agora que vocês descobriram o nosso esquema kkkkkkk…

  7. Acho justo os trabalhadores reinvindicarem melhores condições de trabalho e salários, o errado nessa história é que os empresários aproveitam a situação para explorarem a população…

  8. Caro Marco D’Eça

    Parabens pela matéria, Novamente os mesmos velhos hábitos. Eu não sou contra a agreve dos rodoviários, mas contra os métodos utilizados por eles. Sempre atigiem somente o trabalhador usuário do transporte coletivo que é duplamente penalizado, 1º- por ver impedido seu direito de ir e vir e 2º- após o término da greve, ordeiramente paga o reajuste altissimo aplicado pela cúpula diretiva e os empresários que deveriam ser o alvo dos grevistas nada sofrem.
    Seria interessante se a classe de rodviários direcionacem melhor seu foco atingido realmente quem deveria ser atingido, como? trafegando com as catracas liberadas, aí sim, os empresários sentiriam no bolso da forma mais real possivel a manifestação da classe que com certeza contaria com total apoio da população.
    Abraços,
    QUASEMUDO

  9. Ônibus caindo aos pedaços,lotados tipo lata de sardinha,uma humilhação para o povo…agora os caras de pau tão falando em metrô em São Luis,pode uma merda dessa….só por que tá nas vésperas das eleições,os caras querendo se promover,quadrilheiros de paletó !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *