6

São José de Ribamar: uma administração que precisa ser reconhecida todos os dias

 

Luís Fernando, hoje chefe da Casa Civil do governo Roseana

Por Roberto Kenard, com edição

A cidade de São José de Ribamar povoou minha infância. Era o local onde passava as férias do meio do ano. Era uma verdadeira viagem. Tudo era organizado no dia anterior ao da viagem (aquele reboliço todo era para mim uma alegria e uma festa).

Estávamos nos inícios dos anos 60.

(…)

Após voltar do Rio de Janeiro, por várias vezes hospedei-me por lá. Boa parte de minha infância voltava, dos cheiros aos lugares por que passei. Mas sentia uma tristeza danada. A cidade parecia não ter prefeito.

O descaso era a marca administrativa. Eram os Câmaras e Julinhos da vida a destruir uma cidadezinha balneária de inúmeros encantos.

Então a população criou juízo e elegeu Luís Fernando.

(…)

E como a cidade mudou. Luís Fernando fez uma administração exemplar. Parece que não estamos num município do Maranhão, tanto é o descaso e tanta é a roubalheira que imperam nos outros municípios (e eu tenho viajado praticamente todas as semanas por algumas cidades do Maranhão).

E não estou escrevendo a pensar na limpeza da cidade e nas ruas e avenidas calçadas ou asfaltadas e bem sinalizadas. Penso no trabalho na educação, nas oportunidades surgidas para quem pesca e para quem planta e por aí vai.

Pelas placas observa-se que o poder público está presente em todas as atividades nas quais deveria estar envolvido.

(…)

Não gosto de fazer amizade com políticos, secretários e chefes de Executivos.

Como jornalista isso cria uma série de embaraços e, não menos importe, de inimizades. Melhor a distância, que é sempre crítica e salutar.

Certa vez, se não me engano em 2007, sou péssimo em datas, ele me convidou a almoçar em sua casa em Panaquatira, que fica em São José de Ribamar (…)  Conversamos sobre a administração da cidade de São José de Ribamar e sobre a ligação dele com o grupo de Roseana Sarney, passando por coisas amenas e triviais típicas de um almoço entre pessoas civilizadas.

(…)

Com isso não estou a dizer que Luís Fernando é um santo ou candidato a santo. Nada disso. E se amanhã surjam coisas que o desabonem, em nada estará apodrecido o que digo. Porque eu não defendo pessoas, defendo ideias e trabalhos que considero respeitáveis.

Sem comparações, é o que digo quando alguém se diz decepcionado com o senador Demóstenes Torres e trata de transformar o caso em motivo para desacreditar da política, como se todos fossem iguais.

Digo que o Demóstenes que conhecíamos era respeitável. As ideias do Demóstenes que conhecíamos eram respeitáveis. Se ele caiu em desgraça, problema dele, que seja punido pelo que fez. Mas as ideias que defendia continuam válidas e importantes, independente de ele não ter continuado à altura delas.

Entre parênteses, registre-se: nunca ganhei dinheiro com o prefeito Luís Fernando, não ganho nada com ele chefe da Casa Civil e não pretendo ganhar nada. Eu não deveria explicar nada, mas sei que os picaretas costumam se tomar como medida de tudo.

Ou seja, como não fazem nada sem pensar no tilintar de moedas, pensam que todos são iguais.

PS: A ideia de escrever a respeito de municípios que conheço surgiu ontem de tarde, quando me encontrava no cartório de São José de Ribamar. Na oportunidade certa farei o mesmo com Barreirinhas, Icatu, Alto Alegre do Pindaré e Cajapió, esta última também povoou minha infância.

Marco Aurélio D'Eça

6 Comments

  1. Parabéns Robert Kenard pelas suas palavras que saíram de dentro do coração, porque quando a pessoa se expressa desta forma, ele se expressa verdadeiramente e não puxado por dinheiro para falar bem ou mal de A ou B. Suas palavras provam a capacidade, a inteligência, a humildade, a sabedoria, o compromisso, a dedicação que Luís Fernando fez por Ribamar, que em algumas entrevistas vi ele dizer que antes ele sonhava em ser prefeito da cidade dele, que sonhava mudar a cidade dele para melhor e quando a pessoa sonha com fé chega lá… E o amor que ele tem por S. J. de Ribamar ele fez a administração exemplar a nivel Nacional se não do Continente. Suas palavras caro jornalista diz tudo sobre Luís Fernando e se ele tem o sonho de ser Governador assim como tinha para ser prefeito, devemos apostar nossas fichas nesse Jovem que deseja o melhor para o Maranhão. Quero parabenizar também aqui o companheiro Marco d’ça que fez questão de republicar o que o no amigo Robert escreveu. Luís Fernando com a fé em Deus tudo que sonhamos se realiza.

  2. Luis Fernando é competente, inteligente e objetivo. Melhor que isso ele é operacional. Coloca as coisas para funcionar.
    Flávio Dino é um gênio,mas é esquerdista, ele sempre vai tomar decisões preocupado com irrelevâncias e coisas ditas “Sociais”, oque acaba turvando a qualidade da gestão. Além disso Flávio não tem experiência como gestor, LF tem !
    Em resumo, seria muito melhor para o Maranhão que Luis Fernando fosse governador, o estado teria a ganhar.
    Nosso nível de gestão em todos os entes públicos é muito ruim, um executivo eficiente como LF elevaria a qualidade da gestão pública e isso teria um efeito benéfico a longo prazo no Maranhão.
    Penso que poderia acontecer aqui o mesmo que aconteceu no Ceará, depois que Tasso Jereissati foi governador após vários coronéis, o Ceará deixou de ser um estado pobre, miserável e mal administrado para ser um exemplo nacional em várias coisas.
    Depois de Tasso todos os governadores tinham nele um referencial elevado e tiveram que trabalhar duro para igualá-lo ou superá-lo.

  3. QUANDO LUIS FERNANDO E GIL CUTRIM, VÂO MANDAR ASFALTAR ESTAS DUAS RUAS QUE FICAM APOS O LICEU RIBAMARENSE DO LADO ESQUERDO DESTINO A IGREJA DO PADROEIRO,VULGO BARRACA DE PALHA E UM ESGOTO ACEU ABERTO QUE MEDE PROFUNDAMENTE 10m.

  4. Fiquei muito bem impressionado quando visitei S.J.R quando o Dr. Luís Fernando Silva ainda era o Prefeito. Realmente ele mudou a cara da cidade. O povo está de parabéns.
    Só falta agora o povo de São Luís seguir o exemplo de S.J.R e eleger alguém afinado com o Governo Estadual para darmos o salto de qualidade que S.J.R deu.

  5. Marco , muito bom o texto do Roberto Kenard .
    Apenas uma pequena correção , o certo é cidadezinha balneário , e não balneária , com cita no texto . abraço.

  6. Esse jornalista fez esse belíssimo texto só porque foi lá uma vezinha! Ele precisa ir é nas escolas na zona rural de Ribamar e vê como seus próprios olhos a estrutura física dessas unidades e o sistema pedagógico implantado, que não deixa nada a desejar com relação as escolas particulares de São Luís. São belíssimas escolas entre casas de taipas que emociona quaquer um. Isso sem falar nos projestos de produção, todos ligados a educação. É difícil de acreditar que isso exista no Maranhão. Mas existe. E o legal é que com uma gestão como essas de Luis Fernando as pessoas vão percebendo que podem ter ainda muito mais e passam a cobrar ainda mais do poder público. Deve ser por isso que Castelo não faz: por não ter saco para ser cobrado pela população, não fazendo, imagine fazendo alguma coisa?!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *