2

Nada mudou…

Ela me dá um beijo na testa e quer que eu tenha um dia legal, mas se eu quiser eu posso ver nas ruas: senhores e escravos, nada é real.

Todo mundo me diz bom dia, todo dia é sempre igual.

Crianças pedem na janela do carro até nas noites de Natal.

Nada mudou!

Se ela quer o sétimo céu vai ter de subir degrau por degrau. Os melhores momentos do mundo não são manchetes no jornal.

Os velhos jogam dama na praça, professores de tudo que é dor.

Fingindo esconder a falta que faz viver um grande amor.

Nada mudou…

Letra e música: Léo Jaime

Marco Aurélio D'Eça

2 Comments

  1. Agora que me aproximo da velhice é que compreendo o último verso. Genial, pois foi escrito por um jovem!

  2. Lembra de rock estrela? Clássico dos anos 80, com léo jaime e companhia!! Bons tempos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *