43

Símbolos da cafonice provinciana de São Luís…

A comenda da Asembleia: disputada a tapa por “granfinos”

A Medalha dos 400 anos, distribuída ontem pela Assembleia Legislativa a personalidades que supostamente contribuíram com a cidade, exacerbou o que de mais quatrocentão, cafona, provinciano e demodè existe no pseudo high-society ludovicense.

A disputa de bastidores pela medalha lembrou as guerras de madames por espaços em colunas sociais dos anos 70 – algo tão ultrapassado quanto as festas com laquê em profusão.

Foi a “apresentadora” esquecida que puxou os cabelos por que viu o colega self-mad-men receber; ou o irmão-do-primo-da-cunhada-do-antigo-político que também queria exibir-se com a comenda.

Foi tanta pressão que, ao final das contas, as medalhas passaram das simbólicas quatrocentas.

A iniciativa da Assembleia se encerrou no lugar-comum.

Os distinguidos eram os mesmos de sempre, coma s raríssimas e honrosas exceções: filhos e filhas, pais, avôs e até bisavôs das castas já passadas da hora que dominaram a cidade e que não percebem que ela cresceu e que existem outros grupos – tão ou mais significativos que os quatrocentões de outrora.

Gente do mesmo Judiciário e da política de sempre; e um sem-números de desocupados que gravitam em torno destes círculos, como consultores, pesquisadores e outros tais.

Imperdoável o esquecimento do ex-presidente da Assembleia, Nagib Haickel, com bela história em São Luís, já lembrada neste blog.

Outro erro: a mídia – boa parte tão conservadora quanto a casta quatrocentona, e acostumada ao bajulismo – ignorou um dos mais importantes homenageados, o jornalista Décio Sá, cuja obra por São Luís suplanta pelo menos 90% dos “homenageados”.

O famosos bailes da High Society: símbolos da cafonice

Mas foi assim que se formou a alta sociedade de São Luís.

Um pequeno grupo que cresceu junto, se formou junto; filhos e filhas dos mesmos que mandavam desde o início do século e acostumaram-se a homenagens entre si, com medalhas, comendas e outras bobagens cafonas da Idade Média.

Este povo esquece que São Luís cresceu.

Hoje, a capital maranhense é formada por outras gentes, que pra cá vieram e prosperaram, independentemente das rodas sociais fechadas e laqueadas. E por outros tantos de proletarios que ascenderam profissionalmente e prosperaram pelo trabalho, construindo a própria história.

É este pessoal que hoje faz a roda da cidade girar, gerando empregos e construíndo desenvolvimento fora dos círculos cafonas das altas rodas medievais.

Enquanto as castas quatrocentonas se engalfinham às escondidas por medalhas…

Marco Aurélio D'Eça

43 Comments

  1. Símbolos da cafonice provinciana de São Luís…
    qui, 06/09/12 por Marco D’Eça às 10:00h

    Muitas veze não concordo com o teor politico de suas matérias , desta vez em especial , voce acertou em cheio , a CIDADE se desenvolve somente por ação de GENTE trabalhadora de todos os niveis e não dessa turma que não quer largar as MEDALHAS medievais.

  2. Ei, quem é vc? Pretendo lhe conhecer.

    resp.: Mas eu não pretendo lhe conhecer.

  3. nao se pode falar de sao luis sem mencionar os que devidamente representam esta terra de gonçalves dias nao falar ou agraciar aqueles que realmente tiveram sua terra decantada e nos seus versos e nas suas palavras estes sim merecem esta medalha alguns cito porque não: CLAUDIO FONTANA, bandeira tribuzzi, escrete, patativa da madre deus, walmir dos foliões , paulinho sauaia, cristovão da madre deus, meus cantadores de bumba meu boi da ilha, como seria bom escutar esta entega ba locução de um grande locutor do radio maranhense ainda vivo JOTA ALVES, sammir, sao tantos que as lembranças apear dos meus 50 anos me falham , lembrem-se dos verdadeiros filhos da ilha da serpente encantada nao de aventureiros ou politiqueiros corruptos que nada contribuem para a terra de UPAON-AÇU

  4. Você escreveu “e um sem-números de desocupados que gravitam em torno destes círculos, como consultores, pesquisadores e outros tais.”. Disse, portanto, que pesquisadores e consultores são desocupados. Não há como negar e nem adianta dizer que disse outra coisa.
    A respeito dessa high society laqueda que você fala, ela só existe na coluna do PH, que anda gordo de comer de graça em banquetes patrocinados por aqueles que querem aparecer.

  5. Concordo com sua colocação, que foi precisa e muito realista.
    Não sei se é interessante, mas, vou apenas sugerir, que se façamos uma lista de homenageados, não precisando ser 400, pode-se variar pra mais ou pra menos, para menos será mais realista. Mas o critério será merecimento por serviços prestados, visão futurista de urbe moderna, valorização da cultura, etc. Vou sugerir dois nomes: Aluísio Azevedo Pinto – Diplomata, escritor, jornalista, outra sugestão seria José Pereira da Graça Aranha, também diplomata e escritor, lembrando que dentre outros, eles fizeram São Luis ficar conhecida como a Athenas Brasileira.

  6. MARCO DEÇA,ME DZ QUAL FOI O CRITERIO USADO PRA ESCOLHA DESSAS PESSOAS??? HEMETERIO WEBA E CARLOS FILHO??? O Q ESSES CARAS FIZERAM POR SL?? ME DE LICENÇA,VOU RIR UM POUQUINHO.KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  7. Caro Marco, como falei seu texto é de grande relevância e vem em muito bom tom, só não concordo, e reafirmo, com os termos utilizados para tratar pesquisadores, que não entendendo como desocupados. Ao contrário, a grande maioria é dedicada sim, e há poucas exceções. Mas isso é questão de opinião. Grande Abraço e parabéns pela forma respeitosa de tratar o leitor!

  8. Gostei…vc está de parabéns! Um detalhe PH naum vai gostar…SOCIEDADE DO ESTILO DEMODÊ…kkkkkkkkkk

  9. parabéns pelo texto do post. Outro esquecimento lamentável na lista da assembléia, foi o do ex-senador Clodomir Millet, que muito lutou nas oposições coligadas,e que levou á eleição do hoje senador José Sarney, governador do Maranhão em 65.

  10. A “elite quatrocentona” é narcisista e autofágica: se por um lado, precisa desse título pequeno-burguês para acariciar seu ego(ismo),por outro, a quem realmente precisávamos homenagear, como Jackson Lago e Décio Sá, dois gigantes em suas respectivas áreas, essa elite presta-lhes homenagem menor, em qualidade e tamanho.
    Triste ver o engessamento mental de alguns setores dos nossos podres poderes a se contentar e a disputar, em guerra fraticida de bastidores, uma medalha que deveria enaltecer a verdadeira cidadania, o espírito de abnegação e de vanguarda, que faz avançar verdadeiramente uma sociedade. Mas, os filhos e a própria elite se digladiam por se sobressaírem, para ter o que mostrar para a posteridade (deles), em um quadro na sala de estar, que seria mais uma homenagem à sua própria hipocrisia e insignificância real.
    A todos que não mereceram essa medalha, e a seus descendentes dependentes, mas que a conseguiram, rendo minha homenagem, que vocês poderiam parafrasear Machado de Assis, em Memórias Póstumas de Brás Cubas, capítulo das negativas:
    ” Não tive filhos; não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria.”

  11. Marco, parabéns por este post brilhante que muito esclarecedor da situação da nossa capital. Tambem parebenizo aqui os comentraristas Milton Calado, Marcos A Pacheco Goes e Efraim COrtez que ofereceuram tambem um entedimento brilhante do que se trata a nossa sociedade de sao luis.

  12. Zé Maria do Amaral – 1º curso preparatório p vestibular em SLZ; Profª Rosa Castro, Profª Conceição de Maria, Profº Luis Rego, Profº Macêdo – este implantou o sistema de educação televisiva em SLZ e no MA, e outros e outros que mereciam sim, serem destacados com orgulho.

  13. De todos os seus posts esta foi de longe o melhor.
    Bem que vc poderia escrever sempre desta forma, fico triste em perceber que mesmo com tanto talento vc frequentemente utiliza seu blog para denegrir ou favorecer a imagem de pessoas devido à questões político-partidárias.
    Continue neste rumo que vc terá um futuro promissor e sem a necessidade de bajular A ou B para sobreviver
    abraço

  14. Marcos Como foi o Critério para Receberem esta Medalha do s 400 Anos de São Luis-Ma,Foi Politico? Camilo Figueiredo Contribui em QUÊ para São Luis,Rigo Teles,Marcos Caldas,e Outros mais,de Vendedor de Botão a Empresarios Falidos Foram Homenageados,São Coisas do Maranhão,EM !!!.

  15. MARCOS,
    O DECIO SÁ FOI SIM HOMENAGEADO NOS 400 ANOS DE SÃO LUIS E CONSTA NO LIVRO DAS PERSONALIDADES ENTREGUES ONTEM A NOITE.
    UM ABRAÇO,

    Res.: Lei o texto de novo pra ver se entende. Não disse que ele não foi homeangead – afinal, eu mesmo dei esta notícia. Dise que a mídia não deu od estaqe ncessário á homenagema ele. Leia de novo.

  16. Mais uma vez parabens, Marcos,

    Merecimentos, à parte, cada uma desses ilustres, tem algo que os desabone. Basta dizer que pouquíssimos, ou nenhum, dos parlamentares da atual legislatura, merecem qualquer comenda, a não ser algemas.

  17. Marco, faltaram: Rei dos Homens, Elefante de Borracha, Rodo e Bota pra Moer.

  18. Oportuno lembrar que num desses famosos bailes da High Societ ludovicense, mandado realizar por um capitão holandês no casarão da Rua do Egito onde até bem pouco tempo funcionou a Alema, relata a história que em altas horas da festa a “granfinalha” foi despojada de todas as suas joias.

  19. FICA COM RAIVA BABÃO TE MORDE TODO, EU JA SABIA QUE ESSE CONTÁRIO PARTIRIA DE TI, VAI NA ASSEMBLEIA SE TIVER CORAGEM, DIZER ISSO LÁ, TU COM TEUS COMENTÁRIOS BESTA AINDA VAI PEGAR UNS CATIRIPAPOS, E VAI SER BEM DADO ESPERA PRA VER.

    Resp.: passei a manhã na Assembleia, minha cara.

  20. Meu caro Marco,
    Seu comentário, como sempre, oportuno e pertinente, foi direto. Mais que injustiças, tanto na inclusão de alguns nomes como na omissão de outros (como Nagib), faltou critério para a seleção das personalidades. Não vou falar de nomes. Mas, aqui p’ra nós porque incluir familias inteiras ? (esqueceram de Evandro q foi Deputado atuante e de Murilo que, a sua maneira, contribuiu, e muito, para a vida da cidade); que serviços jovens filhos de empresários prestaram a cidade para merecer a comenda ? E velhos e abnegados funcionários da Assembleia pq não foram lembrados ? Em fim, reconheço que não é fácil lembrar de nomes para elaborar uma lista como essa, mas se tivessem partilhado com mais gente a lembrança de nomes, provavelmente teria havido menos injustiça. Um abç do Milton Calado

  21. Quem tinha legitimidade para prestar homenagem com o fundamento de haver contribuído com a cidade era o Poder Executivo ou o Legislativo do Município. Já começou errado.

    resp.: Mas o Legislativo Municipal existe?

  22. Esse Cortez escreve bem em Marco? O cara disse tudo! Mas vc também se superou. De resto, São Luis e o Maranhão sào provincianos…os respectivos governos também. Fazer o que?

  23. Fazendo uma analogia com a coluna do PH, ela tem 10% de ricos, 25% de famosos ou conhecidos sem dinheiro, 15% de picarestas e 50% de falidos vivendo de pose.

  24. Anos luz…(!)Parabéns pela visão, sensibilidade. Você pode informar se “Coxinho” foi homenageado?

    Resp.: Certamente não.

  25. Nao mandaram uma pra ti?

    resp.: Não participo deste tipo de coisas, meu caro. Tenho várias, que nunca recebi. É cafona e demodè.

  26. Marcos, vc acha que o Geraldo Castro ou o Marcial Lima deveriam também receber esta comenda??? Acho que têm mais serviços prestados ao povo do MA que 90% daqueles. Eu li e não acreditei, simplesmente ridículo: André Fufuca, Priscylla Sá, Marco Regadas, Maria Vandira, Gardeninha, Camilo Figueiredo, PH e outros mais mediocres !!???

    resp.: Tanto o Geraldo quanto o Marcial têm mais serviços prestados que a maioria destes citados.

  27. Caro Marco D’eça, neste post você se superou. Talvez por acreditar que escreve muitíssimo bem, mas seu texto possui um erro grave. Como chamar pesquisadores de desocupados? Será que é desocupado um professor doutor de uma das Universidades da Cidade que sacrifica noites, dias, momentos com a família, enfrenta uma rotina nada saudável sem, muitas vezes, ser devidamente recompensado. Acredito que você tenha errado e deva se retratar com essa classe que muito trabalha para o desenvolvimento, inclusive das técnicas que você usa para escrever em seu blog.
    Espero que essa não tenha sido sua real intenção e não tenha passado de um equívoco.
    Abraços.

    Resp.; Não nominei ninguém amigo. Está bem claro no texto que há as raríssimas e honrosas exceções. O resto é bobagem.

  28. Eu não tenho a lista dos agraciados mas, penso, conforme noticiado, tratar-se, salvo engano, das pessoas que sempre aparecem sistematicamente na coluna social de determinado e “famoso” colunista da ilha… Acertei?

    resp.: Não é esta a questão.

  29. OLHA DEÇA, VOCE ARRASOU COM SEU COMENTÁRIO
    PURO DEMODÊ, SE FOSSE UMA MEDALHA DE OURO
    OLIMPICA, MAS PROVINCIA É ASSIM MESMO.

  30. Tu és um COMPLEXADO rapaz!

    resp.: Por quê? Pode ser mais claro???

  31. Marco, a frase “o povo tem o governante que merece” parece que foi criada para os ludovicenses.

    Essa pseudo-alta sociedade que você menciona é formada por um povo que prefere, de verdade, viver de alimentar seus egos, mais inchados que um balão de ar quente. E entre eles mesmos alimentam, ainda, um interminável ciclo de bajulações recíprocas…

    São pessoas que se comportam como galinhas: passam o dia bicando e fazendo merda e, na hora que botam algum ovo, fazem o maior escândalo para que todos vejam e achem que algo foi feito.

    Cambada de deslumbrados com seus cargos, suas posições e, sedentos por algo tão fútil como status, permanecem alimentando ilusões de achar que são grande coisa.

    Porcos de exposição, pouco ou quase nada fazem a não ser consumir… consomem recursos públicos, consomem as chances democratizar a cidadania e as oportunidades de aliviar o sofrimento da população.

    Não trabalham. Mas conseguem fingir diretinho… Porém boicotam, fazem tudo para impedir aqueles que poderiam concretizar planos para o benefício da sociedade, aqueles que realmente trabalham, que geram emprego e procuram trazer desenvolvimento para este quatrocentenário muquifo.

    Além disso, essa horda de tapires ignora sistematicamente aqueles que de fato trabalharam pelo povo e que possam haver outras necessidades além das deles próprios. Bichos-preguiça, para quem o poder público é uma enorme teta através da qual ‘precisam’ extrair desde o leite até o tutano.

    Para coroar este rosário de ilusões que travestem de realizações, a medalha do 4º Centenário de São Luís. Patrimônio Cultural da Humanidade… Fui procurar esse patrimônio no Centro Histórico e não localizei. Deve ser o lugar errado porque só vi prédios abandonados, casarões que viraram descomedouro e mictório público, valhacouto de marginais, além de vários outros cujas madeiras das portas e janelas, o telhado, as ferragens e as fiações foi subtraída por marginais. A Unesco e seus obesos e vagarosos fiscais…

    Então… Atribuem a Platão essa frase muito significativa: “O preço a pagar pela tua não participação na política é seres governado por que é inferior”.

    Com nossa cultura de curral, eis aí porque essa cúpula de saqueadores se perpetua geração após geração.

    Medalhas?

    Pois é…

    Honra ao mérito, meu amigo. Honra ao mérito.

  32. Parabéns. Poucas vezes se escreveu tão lucidamente nesta cansativa blogosfera de nossa cidade.

  33. Larga de ser babão!!! No mínimo não foi convidado e fica se remoendo criticando. Pode ser brega, mas é pelo menos uma lembrança comemorativa em relação aos 400 anos. E porque Décio Sá deveria ser lembrado? Não tentemos criar um mártir de um homem que foi um bom jornalista, mas que de santo não teve nada, né?

    Resp.; Não quero criar um mártir. Mas tenho percebido que nenhum outro morto mereceu tanta crítica quanto o Décio Sá. Por quê? E pelo menos você reconhece a breguice disso tudo.

  34. Palmas pra vc meu Marco, que cada dia se desenrosca dessa teia bolorenta em forma de esgoto que agasalha essa “granfinagem” da nossa elite tupiniquim. Sinto um certo asco quando vejo esse tipo de coisa. Vc enfiou o dedo na ferida. Boa parte dessa turma que recebeu a tal medalha, não merece ganhar nem bolinha de gude, são na verdade um bando de ratos. Tenho nojo dessa gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *