5

Pesquisa censurada por Mário Macieira apontava exatamente o que ele obteve de votos…

O presidente reeleito da seccional maranhnse da Odem dos Advogads do Brasil, Mário Macieira, acabou dando um tiro no pé  ao censurar pesquisa do Instituto Escutec sobre a disputa na entidade.

A atitude, típica dos estados judiciais que marcam o perfil desta gente ligada ao meio jurídico, impediu a divulgação dos números que beneficiavam o próprio Macieira.

A pesquisa mostrava exatamente que Macieira obteria cerca de 75% dos votos válidos, como revela os quadros acima.

O presidenteda OAB censurou a pesquisa por que, não se sabe como, achou que ela seria ruim para ele – geralmente o autoritarismo comete estes erros.

E Roberto Feitosa, seu adversário, não tinha interesse na divulgação exatamente por que apontava a vitória do presidente.

É lamentável que se tente implantar estados judiciais no Maranhão, em que o contraditório e a contestação são vistos como crimes.

E se use instituições para perseguir, intimidar e censurar…

Marco Aurélio D'Eça

5 Comments

  1. Deça, o Dr. Roberto fez 30 dias de campanha, e o Mario vivia dizia que era candidato sozinho que a administração dele 99% de aprovação, fato divulgado até no pasquim marciano o forum de autoria do promoter Nunes. Terminada a eleição 70% dos votantes elegeram Mario, como a abstenção foi de 32%, isto representa que apenas 54% dos advogados aptos a votar aprova sua administração, enquanto os 30% que votaram em Roberto e mais 16% não votantes rejeitam a OABFOLIA.
    Entendo que os jovens advogados são importante para a OABFOLIA, muita festa, vodka, esperamos que fique por aí, senão poder ser OAB-CALDAS-COWNTRY-MACIEIRA-FOLIA-ORGIAS, sexo, drogas e rock/rag de baixíssima categoria.

  2. Vc, defendendo o contraditório, a contestação, a segunda opinião? Deve ter mudado, então…Parabéns.

  3. Publica isso pelo amor de Deus:

    Governo Roseana abandona Uema e categorias irão paralisar por atraso

    A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), instituição do qual o titular deste blog foi aluno, passa por momentos de grandes dificuldades. Segundo informações, a instituição está há mais de três meses sem repasse do orçamento por parte do governo do Estado. Por conta disso, a universidade deve mais de 10 milhões junto a seus fornecedores.

    Na terça-feira passada, estudantes da Uema de Caxias realizaram um protesto em solidariedade aos funcionários das empresas terceirizadas que prestam serviço à instituição educacional, os quais há meses não sabem o que é receber o próprio salário.

    Em outros campis da Uema, por exemplo, a situação também é drástica. Sem investimento por parte do governo Roseana Sarney, a instituição funciona em estado deficitário. A estrutura física precária dos prédios, com laboratórios e bibliotecas em quadro de abandono e o salários dos professores defasados contribuem para o péssimo desempenho da universidade na formação dos seus alunos.

    Reflexo disso foi o resultado das escolas do Maranhão no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O estado governado por Roseana Sarney se destacou negativamente por ter três escolas entre as cinco de menor nota do país. Uma vergonha!

    Ou seja, como o ensino médio no Maranhão pode ter qualidade se o ensino superior, onde são formados os professores, é tratado deste jeito pelo atual governo?

    Por conta de tamanho descaso, professores substitutos da UEMA com contratos novos (em vigência desde setembro deste ano), professores e funcionários do Programa Darcy Ribeiro, funcionários da UEMANET, bolsistas de Iniciação Científica da Uema e funcionários de serviços gerais da Uema irão paralisar suas atividades até que seja regularizada a situação salarial de todas as categorias (salários em atraso há mais de três meses). E assim segue o ‘melhor governo da vida de Roseana’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *