6

Quando “junto” não significa “unido”…

Do blog de Robert Lobato

O maior desafio dos partidos e lideranças da oposição, a partir da eleição de Edivaldo Holanda Júnior para prefeito de São Luis, é demonstrar para a sociedade que uma vez juntos significa também que estão unidos. Tarefa nada fácil. Senão vejamos.

A coligação “Muda São Luis” foi formada pelo PTC, PSB, PDT e PCdoB. Pois bem. Desses partidos, incluindo o próprio PTC, do prefeito eleito, quem tem peso político no estado são o PDT e PSB, posto que o PCdoB se resume basicamente à pessoa de Flávio Dino.

Tanto o PDT quanto o PSB possuem, portanto, condições reais do ponto de vista do jogo político e partidário de dar o rumo em 2014.

Já o PCdoB, ainda que seja um partido importante do ponto de vista histórico das lutas sociais e democráticas, efetivamente tem pouco peso no “jogo bruto” eleitoral, sobretudo no que diz respeito ao “ouro” das campanhas modernas que é o tempo nos programas de rádio e tevê.

Nesse sentido, só o “grife” Flávio Dino não será capaz de sustentar uma campanha com a complexidade que teremos em 2014.

O presidente da Embratur está longe de ser uma unanimidade e tem que encarar o fato de que não é mais um mero desconhecido como fora nas primeiras campanhas que disputou. Hoje há quem ama e quem odeia Flávio Dino, tanto na classe política quanto na sociedade.

Nesse sentido, as contradições existentes na coligação que elegeu Edivaldo Júnior poderão ficar expostas muito mais cedo do que se poderia imaginar.

O PCdoB (Flávio Dino) faz um esforço tremendo para exercer o famoso “que seja eterno enquanto dure”, não somente em relação ao futuro prefeito, mas principalmente em relação ao vice Roberto Rocha, nome mais conhecido e com maior penetração estadual do que o de Dino e, ao que tudo indica, Rocha não aceitará ser um mero coadjuvante em 2014.

Se Flávio Dino é uma certeza entre as forças oposicionistas como candidato a governador, Roberto Rocha tentará construir, em torno de si, a mesma “certeza” por dentro do projeto das oposições para 2014. E o Senado deverá ser o escopo do socialista (que jogará pesado para consolidar seu objetivo).

A não ser que o projeto da oposição orbite em torno de uma única pessoa, ou seja, que não passa de um projeto pessoal, impossibilitará que o vice-prefeito eleito seja o candidato da oposição ao Senado Federal. Mas, nesse caso, se o projeto for apenas pessoal, o que poderia impedir do próprio Roberto Rocha ser candidato a governador se assim o quisesse?

Por isso que o blog entende que estar “junto” não significa estar “unido”, ainda que lá na frente possa ganhar esse significado.

Esta é apenas uma humilde opinião do blog.

Que pode estar errado…

Marco Aurélio D'Eça

6 Comments

  1. Flávio Dino tem 62% das intenções de voto para o governo do Estado
    Publicado em 25 de novembro de 2012,raimundogarrone
    Jornal Pequeno
    Pesquisa encomendada pelo Jornal Pequeno ao Instituto Amostragem revela que se a eleição para o governo do Estado fosse hoje o presidente da Embratur, Flávio Dino, lideraria com folga na espontânea e em todos os cenários estimulados.

    Na media, de quatro cenários prováveis no pleito de daqui a 22 meses, ele teria 61,99% dos votos. A pesquisa foi realizada no período de 15 a 17 deste mês e ouviu 1.300 eleitores em 40 municípios localizados em todas as regiões do estado.

  2. E como estar errado com essas especulações.
    Concerteza o blog estar mais por fora do que bunda de indio.
    Na questão odiar e amar nem Jesus Cristo com toda sua benevolência e amor não consigo agradar a todos, imagine um mero mortal como o Flavio Dino.
    Falando dos mortais, coloque Flavio Dino e Roseana Sarney em pesquisa no seu blog e tire suas proprias conclusões de quem vai ser mais odiado pela sociedade nacional.
    Na questão complexidade, sera que não vai ser seu Luis Fernando o candidato que a familia Sarney estar lutando para promove-lo que vai enfrentar essa copmplexidade pelo simples fato de não ser conhecida na esfera Estadual.
    Pois a familia também tem nomes de peso e respaldo com experiência politica e simpatia para a disputa de 2014, o Senador e Ministro de Minas e Energia Edson Lobão, o ilustre Senador Jõao Alberto, com um desse dois nomes a disputa de 2014 a briga fica acirrada e equilibrada.

  3. Se o “’ouro’ das campanhas modernas” fosse o tempo de TV,das duas uma ou Washigtom era ruim de voto mesmo ou sua imagem atrelada a Roseana Sarney o fez ser merecedor da sua pífia votação.

  4. ESSA OPOSIÇÃO UNIDA? TENHO MIL DÚVIDAS! ENQUANTO ELES ESTAVAM EMBAIXO DA MESA DE SARNEY SE COMPORTAVAM DIREITINHO, DEPOIS QUE DERAM O GRITO DE INDEPENDÊNCIA E APRENDERAM A TRAIR, O NEGÓCIO VIROU MODA ENTRE ELES. QUANDO SARNEY MORRER, ESSE PESSOAL VAI CHORAR DEMAIS E LAMENTAR POR NÃO TER APRENDIDO MAIS.

  5. O Marco Deca,

    Me responde com sinceridade, já me disseram isso varias vezes e como leitor de seu Blog gostaria de saber, eh verdade que Flavio Dino pode vir a ser candidato a vice-presidente da Dilma ?????

    Varias pessoas ligadas a ele já me disseram isso.

  6. Vcs vão tentar desestabilizar a gestão Edvaldo/Flavio Dino e nao vão conseguir.

    O Flavio eh o próximo Governador do Maranhão. Podem esperar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *