7

Justiça Federal interrompe obras de duplicação da BR-135

Superintendente do Dnit vistoriou obras de duplicação da BR-135 em outubro desse ano

E a novela “Duplicação da BR-135” continua, desta vez com uma pausa, pois nos próximos dias as obras que mal iniciaram no trecho entre o Campo de Perizes e Bacabeira vão parar por ordem da Justiça Federal.

A decisão foi expedida na manhã de ontem (29) pelo juiz da 5º Vara da Justiça Federal no Maranhão, José Carlos Madeira, anulando a obra realizada peloo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit/MA) que já estava em sua primeira etapa.

Orçada em R$ 354,69 milhões, a obra que teve como vencedor o Consórcio Serveng Civilsan/Aterpa, já tem 9 km concluídos e, de acordo com o superintendente regional do Dnit no Maranhão, Gerardo Fernandes, a decisão judicial será cumprida, mas o órgão entrará com recursos. “Conforme resposta, nós retornaremos com os trabalhos na BR-135”, afirmou.

Caso a decisão seja favorável ao Dnit, as máquinas voltarão a trabalhar no Campo de Perizes, trecho mais perigoso da BR-135, famoso pelo número de acidentes fatais. (leia mais aqui)

Marco Aurélio D'Eça

7 Comments

  1. São luis tem um “carma” nada vai pra frente,essa estrada nunca termina talvez 2020……..

  2. Ah, juizinho!!!!!!!! Certamente os teus parentes só saem de São Luis de avião.

  3. SERÁ QUE ESTE JUIZ TEM ALGUM PARENTE QUE JA MORREU NESTA ESTRADA? SENHOR JUIZ DEIXE DE SER CANALHA E IRRESPONSAVEL COM A VIDA HUMANA, ESTA DUPLICAÇÃO DEVE SER FEITA COM A MAXIMA URGENCIA CHEGA DE MORTES.

  4. Valeu dr. Madeira, essas licitações feitas aqui só servem para fraudes e beneficiarem um grupo politico local.

  5. Não tenho lado politico, voto em quem apresenta a melhor proposta, mas esse comentário de Jorge foi totalmente sem noção, mostra que ele deve ser mais um alienado que coloca a culpa se tudo na familia Sarney.

  6. se fosse um estado serio essa duplicação já teria acontecido, mas quem manda no ma é uma família sedenta por dinheiro fica nesse lenga lenga.

Deixe uma resposta para martins Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *