5

CNJ encaminha votação pela aposentadoria compulsória de Megbel Abdala…

Além do relator, outros dois conselheiros votaram pela aposentadoria do desembargador maranhense; ministro Joaquim Barbosa pediu vistas e adiou votação para outra data, ainda não confirmada. Outros nove conselheiros ainda precisam votar

 

Desembargador Megbel Abdala Tanus Ferreira

Abala pode ser aposentado pelo CNJ

O Conselho Nacional de Justiça começou a decidir hoje o futuro do desembargador maranhense Megbel Abdalla, acusado de irregularidades na concessão de liminares quando era juiz.

O relator do processo, conselheiro José Lúcio Munhoz,  votou pela aposentadoria compulsória do magistrado – punição máxima na magistratura – e foi seguido por outros dois conselheiros.

A votação foi suspensa, porém, por que o ministro Joaquim Barbosa pediu vistas do processo. O caso não tem data prevista para voltar à pauta do CNJ.

Promovido a desembargador há menos de seis meses, Abdala chegou a ter este processo cancelado, mas o CNJ determinou o seu reinício.

A eventual aposentadoria do magistrado abrirá uma nova vaga de desembargador no Tribunal de Justiça do Maranhão, pelo critério do merecimento.

Sem categoria

Marco Aurélio D'Eça

5 Comments

  1. ISSO É UMA DAS ABERRAÇÕES DESTE PAÍS QUE TEM QUE ACABAR. ESSES JUIZES CORRUPTOS COMETEM OS MAIORES ABSURDOS E AINDA GANHAM O PRESENTE DE IR PRA CASA COM UMA GORDA APOSENTADORIA PAGA PELOS CONTRIBUINTES.

  2. O poder mais inescrupuloso!!! Pior que a “pena” para juízes e desembargadores que cometem crime é a aposentadoria. UM ABSURDO!!! Manifestantes ainda não perceberam que boa parte das atrocidades cometidas são embasadas pelo Judiciário. Vamos acordar e votar a PEC pra acabar com as regalias de magistrados e promotores corruptos.

  3. E ele já não estava aposentado não? Na verdade ele vai ser presenteado com a “aposentadoria compulsória”. Tinha que sair era sem salário mesmo.

  4. Esse vendedor de sentença deste MAGBEL deveria ser preso.
    Pena que a LOMAN premie com uma gorda aposentadoria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *