15

A nova face do preconceito: casar até pode, mas sem beijo…

casamentogay

O par homoafetivo que se casou em São Luís

Muita gente que aplaudiu o juiz Jesus Guanaré de Souza Borges pela coragem de celebrar o primeiro casamento civil homoafetivo no Maranhão, também torceu o nariz, fechou os olhos ou deu de ombros para as imagens que circularam com o beijo do casal.

É como se estivessem dizendo – e alguns disseram mesmo: “os gays podem fazer o que quiser, desde que longe de mim”.

Outros, para justificar, tentaram explicar: “o problema não é a foto do beijo gay, mas um beijo gay em público.

É uma espécie de limite à felicidade alheia.

Ora, os homossexuais lutam para ter seus direitos reconhecidos. Se eles conseguem garantir o direito de casar e não podem ter o direito de se beijar em público – como qualquer casal – então eles não conseguiram direito algum.

É a lógica do famoso provérbio: “não tenho preconceito, mas…”

Os heterossexuais só se incomodam com o beijo publico homoafetivo por que o preconceito ainda é grande na sociedade.

E isso por que a própria sociedade impôs que o preconceito é que é normal.

E impôs ao longo dos séculos. E impôs ao mesmo tempo em que exterminava, destruía, perseguia e até tentava “curar” os que “saíam da normalidade”.

E um beijo entre dois homens ou duas mulheres que se amam só ainda é “anormal” por que a sociedade – em grande parte influenciada por este ciclo histórico de séculos – impôs que fosse assim.

O problema, então, não está nos homossexuais, mas na sociedade. A questão é que a sociedade é que precisa mudar sua concepção, não os gays.

O conceito que se tem hoje funciona assim: “pode tudo, desde que atrás da cortina”.

A sociedade dita moderna aceita tudo atrás da cortina: marido pode trair a mulher inúmeras vezes; só não pode ser descoberto. A mulher pode apanhar do marido, desde que seja no quarto. Puta pode ser puta, mas só debaixo dos lençóis.

E viado pode continuar sendo viado, desde que dentro do armário.

E esta lógica, fruto do preconceito, é que faz o mesmo alguém que diz apoiar o casamento gay ponderar sobre um beijo gay em público.

Por que, para eles, gays podem até continuar sendo gays.

Desde que atrás da cortina social…

Marco Aurélio D'Eça

15 Comments

  1. DEUS CRIOU O HOMEM PARA A MULHER E A MULHER PARA O HOMEM,ESSA FRESCURA OU QUALHIRAGEM QUE INFELZMENTE GANHA CORPO E CRESCE A CADA DIA NESTA BAGUNÇA CHAMADO BRASIL,PARA MIM NÃO TEM SENTIDO É UMA ABERRAÇÃO A FAMILIA CRISTÃ,AINDA ME VEM ESSA BICONA DO EDUARDO WOOD QUERENDO MORALIZAR OU DIZER QUE TUDO ISTO É NORMAL.INCENTIVANDO A VIADAGEM .TENHO PENA É DESTES QUE ELE DIZ SER FILHO DELE.

  2. Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é;
    Nem te deitarás com um animal, para te contaminares com ele; nem a mulher se porá perante um animal, para ajuntar-se com ele; confusão é.
    Com nenhuma destas coisas vos contamineis; porque com todas estas coisas se contaminaram as nações que eu expulso de diante de vós.
    Por isso a terra está contaminada; e eu visito a sua iniqüidade, e a terra vomita os seus moradores.

    Levítico 18:22-25

    resp.; Isso serve apenas aos que seguem religião, meu caro. Só a estes.

  3. mas casal não é macho e femia tudo
    bem quando um deles engravidar me convide para o baby chá

  4. Suas análises, quando não envolvem questões político-partidárias, são certeiras, vão ao cerne da questão. Sem dúvida vivemos em sociedade doente, onde muitos acham que tem o direito de opinar sobre como cada um deve viver sua intimidade. Não passam de um bando de hipócritas retrógrados.

  5. Nossa sociedade, além de preconceituosa, é hipócrita. É aquela velha história: contando que não seja em minha família nem perto dos meus olhos, tudo bem. Será que essas pessoas não percebem que a integração dos gays e de outros discriminados é inevitável? É só olhar para trás e ver como era no passado. Por que será que dois homens ou duas mulheres não podem se dá às mãos ou se beijarem em público, em que isso pode ofender alguém? A mim não me agride nem um pouco. Ninguém além deles tem alguma coisa a ver. Vamos cuidar de nossas vidas, de nossos filhos, de nossa família e deixar os outros de mão. Não me venham com essa balela de que a Bíblia ou religião A ou B proíbem. De que vale frequentar os cultos todos os domingos, rezar 50 orações, meditar horas a fio, jejuar… mas tratar mal seu empregado, xingar o vizinho, fazer comentários negativos sobre alguém, trapacear o amigo, furar fila, roubar a verba da merenda? Vamos respeitar a decisão dos outros. Antes que digam que eu os defendo por ser mais um gay, esclareço que sou heterossexual e tenho 3 filhos, mas transmito a eles a importância de respeitar e aceitar as escolhas sexuais das pessoas.

  6. marco,você colocou o jorge aragão no lugar dele ou seja:dos hipócritas de plantão.parabéns, dessa vez você acertou

  7. Simplesmente desnecessário, a visualização de algo tão tosco, que só pode ser reverenciado pela mídia militante da sociedade “homoafetiva”. Como falou sabiamente no JMJ o Papa Francisco o problema não é a “homossexualidade mas a “militância gay” que promove atos repugnantes como essa foto. Deve-se combater o pecado, não os pecadores, como essas duas pobres almas doentes da matéria citada.

    Resp.: porque o ato é repugnante? Eu não acho. Repugnante é um homem – ou mulher – que diz se enojar disso, mas passa o dia en prostíbulos, pondo em risco a própria família. Isto é que é pecado. Pessoas como estas – e trm muitas por aí enojada com um beijo gay, mas cometendo verdadeiros nojos – é que são doentes.

  8. Concordo com quase tudo que você falou, mas, por outro lado, opino que o beijo de um casal, seja homo ou hetero, tem seu lugar. Nunca achei bacana ver gente se beijando intimamente em restaurantes, praças públicas, escolas, hospitais, etc.

    Resp.: perfeito. Mas se a pessoa se incomoda com um casal gay se beijando, por que tbm não se incomodar com u casal hetero?

Deixe uma resposta para Adriano Rodrigues Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *