8

Uma nova versão para “Eduardo e Mônica”…

A paródia abaixo foi encaminhada pelo assíduo comentarista do blog que se identifica pelo pseudônimo de “Amigo da Onça”. Está impagável a versão política para “Eduardo e Mônica”, da Legião Urbana, que ele intitulou de “Eduardo e Marina”.  Para quem conhece o ritmo da baladinha dos anos 80, dá até para ler no mesmo tom da canção original. Perfeita

 

http://p1-cdn.trrsf.com/image/fget/cf/407/305/images.terra.com/2013/10/05/marina-campos-coletiva-rts2.jpgQuem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pela oposição?

E quem irá dizer Que não existe razão?

Eduardo abriu os olhos, mas não quis polemizar devolveu os cargos, bons cabritos não berram. Enquanto Marina tentava montar a sua Rede, mas parou no TSE, como eles disseram.

Eduardo e Marina um dia se encontraram sem querer, nem conversaram muita coisa pra tentar se conhecer; um carinha do partido do Eduardo que disse: “A Rede não tá legal, eles querem se unir”.

Governo estranho, com base esquisita “Eu vou pro outro lado, não agüento mais petista” e a Marina riu, e quis saber um pouco mais sobre o governador que poderia apoiar.

E o Eduardo, meio tonto, só pensava em ir pra casa – “Se eu não ligar pro Lula, eu vou me ferrar”.

Eduardo e Marina trocaram telefone, depois telefonaram e decidiram se aliar. O Eduardo sugeriu uma vice-presidência, mas Marina queria mesmo era se candidatar.

Eduardo e Marina eram nada parecidos, ele estava na rabeira e ela tinha 26. Ela fazia discurso contra o velho esquemão, e o PSB no mundinho pequeno-burguês.

Ela gostava do Sirkis e do Gabeira, do Castells e de Sambô. E o Eduardo gostava era de frevo e ocupava o cargo que era do seu avô.

Ela falava coisas sobre sustentabilidade. Também ecologia e metabolização; E o Eduardo ainda estava no esquema “Escola, hospital, porto, transposição”.

E, mesmo com tudo diferente, veio mesmo, de repente uma vontade de concorrer – e os dois se encontravam todo dia e a campanha crescia como tinha de ser.

Eduardo e Marina querem chegar em Brasília com o PPS e até o Kassab na coligação, porque 2014 a luta é dura, tem o Aécio e tem o Lula e a presidente Dilma tá bolada, pensando só na reeleição.

E quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pela oposição?

E quem irá dizer que não existe razão???

Sem categoria

Marco Aurélio D'Eça

8 Comments

  1. O importante é que, qualquer coisa é válida, desde que tire o PT e os 400 ladrões do poder.

  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk… Ri muito aqui. E ti a cada linha. Excelente! Bom demais!

  3. Mas que isso incomodou muito!!!!!!….kkkk! principalmente a tua Governadora do “pais das maravilhas”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *