51

A mãe de todas as corrupções é a corrupção no Judiciário…

http://1.bp.blogspot.com/-UMDvFGDPyJk/Tb9LdHNBKdI/AAAAAAAAC1I/8lBeXmo8o5I/s1600/justica.jpgA corrupção que permeia o poder Judiciário no Brasil é a causa de toda a corrupção que se espalha em todos os setores da sociedade.

Se no Brasil todos os juízes fossem honestos, não haveria como praticar corrupção – nem na política, nem na polícia, nem nos negócios – por que ela seria punida exemplarmente.

E no Maranhão, esta corrupção do Judiciário parece estar elevada à enésima potência.

O que se ouve nos bastidores do Judiciário, nos círculos judiciais e nas rodas de advogados é só conversas sobre o patrimônio do juiz tal, a grana que desembargador tal recebeu ou o negócio que tal magistrado tem.

E além da corrupção, a incompetência, a leniência e a burocracia judiciária também favorecem o crime em todas as suas vertentes.

http://2.bp.blogspot.com/-dtGW2tEC9S8/T2h72GNLueI/AAAAAAAAOc0/FEvb1BizU9g/s400/cesar_justicacega.jpgUm juiz que se preocupa mais com a quantidade de presos em uma cela do que com o risco que um bandido solto impõe à sociedade, não é um juiz, mas um militante político.

Juiz que manda soltar preso perigoso apenas com base nos números estabelecidos no Código de Processo Penal não é juiz, mas um burocrata legislativo.

E todas estas ações contribuem com o crime no país.

É por causa de juízes corruptos ou incompetentes, que bandidos como “Praguinha”  conseguem liberdade para ordenar queima de ônibus ou ataques a policiais.

São juízes corruptos – ou incompetentes – que garantem sobrevida a políticos ladrões do dinheiro público.

São juízes corruptos e incompetentes que disseminam a máfia dos advogados financiadores de habeas corpus e alvarás de solturas, que põem nas ruas assassinos, traficantes, assaltantes e corruptos de toda espécie.

A corrupção está em todos os aspectos da vida brasileira, é verdade.

Mas ela tem uma mãe.

É a corrupção no Judiciário…

Marco Aurélio D'Eça

51 Comments

  1. No Amapá não é diferente.
    Ja passou da hora do CNJ fazer uma limpeza no TJAP e punir os juizes vendedores de sentença do nosso estado.
    E vou um pouquinho mais longe:
    Se um Pai de familia for pego roubando uma lata de sardinha, pode ser preso e nunca mais vai conseguir um emprego, pois deixou de ser réu primário.
    Se suas EXCELÊNCIAS forem pegos na falcatrua, roubando milhões dos recursos provenientes dos impostos, são no máximo APOSENTADOS com todos os benefícios a que têm dirteito.
    DataVênia……
    Deveriam ser condenados à prisão perpétua….

  2. artigo do momento, tudo que esta acontecendo no nosso país é triste…..um Brasil tão bonito, mas agora até fora dele se conhece os politicos corruptos..triste isto

  3. Eu sou de MT, aqui também existem situação semelhantes, pois tem excesso de multas de trânsitos e o mpe faz de conta que não enxerga além de outras situações de calamidades existentes em todo MT, como o povo pode mudar essas realidades?

  4. ” VOCÊ NÃO CONSEGUE ESCAPAR DA RESPONSABILIDADE DE AMANHÃ ESQUIVANDO-SE DELA HOJE” (Abraham Lincoln)
    1- Estes episódios do cenário nacional, pelo menos, servem para fazer a sociedade entender a importancia da preservação das garantias da magistratura. Sem as garantias e/ou com seu menosprezo, não há Judiciário independente, Estado de Direito e todos viveremos em uma sociedade onde reinará o Homo homini lupus;
    2- No meu caso, combati, arduamente, vários ilícitos, inclusive interna corpuris. Por exemplo, em meados de 1999 fiz representação ao Ministério Público Federal contra ato do TRT 08ª REGIÃO, sob a direção do Exmº Sr. Juiz-Presidente do TRT 8ª Região, Sr. José Vicente Malheiros da Fonseca, que, por meio da Resolução nº 174/91, autorizou a correção monetária de parcelas de seus próprios salários desde outubro de 1990, despesa que importaria em R$ 4.024.103,88 (quatro milhões, vinte e quatro mil, cento e três reais e oitenta e oito centavos), em meados de 1999.
    3- O valor era indevido, estava totalmente prescrito e a deliberação, deferindo a bolada, não seguiu os devidos trâmites internos. A denúncia que fiz foi acolhida pelo Ministério Público Federal e, em valores atualizados pelo índice da poupança, SALVEI para a UNIÃO 20 MILHÕES DE REAIS !!! No site do TCU, encontra-se a Decisão 19/2000 – PLENÁRIO, Nome do Documento: DC-0019-02/00-P: que confirma a denunciada manobra do TRT 08ª REGIÃO;
    4- Minha atuação, em defesa dos princípios constitucionais, RESULTOU em abertura de processo disciplinar, instruído e julgado pelos mesmos que enfrentei e impedi de receberem o que não lhes era devido! Fui punido com aposentadoria compulsória!
    5- A punição aplicada foi anulada pela Justiça Federal e, incompreensivelmente, a AGU recorreu para mantê-la. O recurso está no TRF-01ª Região (PROC. nº 0009966-78.2008.4.01.3900) . Ora, assim como se espera da AGU, defendi o erário de forma eficaz, como dito acima! Cristalinamente, fui vítima, puramente, de uma vingança interna corpuris !!.
    Paulo Cesar Barros Vasconcelos
    Juiz do Trabalho do TRT08, desde 12/1995

    • No atual cenário que o Brasil passa não temos outra solução a não se sair pra ruas e expulsar os corruptos do país essa ultima do arquivamento do processo contra aecinho foi demais alegando falta de provas, uma mala de dinheiro não é prova suficiente estou achando que dois milhões é poucos pra dividir entre tantos corruptos eles estão rindo da nossa cara estão pagando pra ver. veram.

    • Vocês se lembram quando LULA disse que se eleito,logo no primeiro mandato,queria fazer uma CPI do Judiciario,e agora sintam por que esses procuradores de merdas e juizecos bandidos,tentam colocar ele na cadeia? Pimenta nos olhos dos outros é refresco,esses canalhas de togas,muitos deles já eram para estarem extintos.

    • Parabéns Doutor.
      O senhor cumpriu com seu juramento e agiu com honorabilidade.
      Sou apenas um índio que estudou um pouquinho, mas tenho orgulho em saber que existem verdadeiros magistrados como o Senhor.
      Meus sinceros cumprimentos.

  5. Esta de parabéns este blog, pela responsabilidade e coragem de tocar os INTOCAVEIS, eu acrescentaria que essa corrupção está nessa dimensão porque só tem sucesso com brevidade mesmo sem mérito os advogados filhos (as), genros(as) ou parentes que tenham influencia no judiciário, que tristeza; mas é a realidade.

    resp.; Eu pago um preço altíssimo por isso, meu caro. Inclusive em relação aos próprios colegas, cuja maioria silencia omissa.

  6. Até que enfim alguém escreveu isso!!!!parabéns!!!! eu concordo plenamente, se o poder judiciário punisse e cumprisse a lei para todos, a corrupção seria definitivamente EXTINTA no nosso país. Não precisa mudar presidente, parlamentares, ninguém, só precisa o judiciário ser honesto, se essa topia virasse verdade, a corrupção acabaria de uma vez por todas.

  7. Denunciei um Juiz corrupto há 10 anos, troquei o Juiz mas fui perseguido pelo que lhe sucedeu tive que mudar até de Cidade pois poderia acontecer algo eu não estava mais tendo controle do que eu poderia fazer. Pior o Juiz que denuncie foi para o tribunal, acho que tenho que mudar de Estado ou até Pais.

  8. Já dizia o notável RUI BARBOSA que “a pior ditadura que existe é a ditadura do Judiciário pois contra ela não há a quem recorrer”. Atualíssimos dizeres!!!

  9. uma menina menor, estava sendo estrupada as margens do rio guaiba, um morador de rua viu e chamou a policia que prendeu no flagrante dois marginais. O juiz soltou em tres dias
    juiz solta e prende quem eles querem, são vagabundos bem pagos que se escondem da verdadeira justiça em baixo da toga.

  10. O CASO DO JUIZ PAULO VASCONCELOS, QUE FOI APOSENTADO APÓS DENUNCIAR CORPORATIVISMO NO TRT 08/PA
    O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO CONFIRMOU QUE O JUIZ PAULO VASCONCELOS ESTAVA CERTO e, na época, EVITOU o gasto de quase 5 milhões e foi perseguido pelos membros do TRT 08ª REGIÃO, que não conseguiram passar a mão no dinheiro do erário. No site do TCU, encontra-se a Decisão 19/2000 – PLENÁRIO, Nome do Documento: DC-0019-02/00-P: que confirma a manobra do TRT, sob a direção do Exmº Sr. Juiz-Presidente do TRT 8ª Região, Sr. José Vicente Malheiros da Fonseca, que, por meio da Resolução nº 174/91, autorizou a correção monetária de parcelas de seus próprios salários desde outubro de 1990, despesa que importaria em R$ 4.024.103,88 (quatro milhões, vinte e quatro mil, cento e três reais e oitenta e oito centavos), em meados de 1999.

    Como cidadão pagador de impostos, fico indignado em viver em um País onde o honesto, que defende o dinheiro do povo, é punido pelos próprios que foram flagrados e denunciados? A denúncia do juiz foi acolhida pelo Ministério Público Federal e confirmada pelo TCU e ele é que ficou punido. Absurdo total !!

  11. Dizem que a justiça é cega, ela não é cega, pois se fosse cega, se portaria de forma neutra, seria como uma criança criada no berço da mata atlântica. A justiça enxerga e muito bem, pode-se dizer que com lente de aumento, pois ela só pesa pro lado da corrupção, dos assassinos, dos bandidos e políticos corruptos. Excelente texto!!!

  12. JUIZ É APOSENTADO APÓS DENUNCIAR CORPORATIVISMO NO TRT 08/PA

    Paulo César Barros Vasconcelos iniciou sua carreira de magistrado em dezembro de 1995 e, em 18 de abril deste ano, aos 29 anos, foi aposentado, tornando-se o mais jovem juiz de pijama do país. Graças a Vasconcelos, o contribuinte deixou de desembolsar R$ 4,2 milhões, que seriam distribuídos a uma nata do Tribunal Regional do Trabalho da região, com sede em Belém (PA). O dinheiro seria gasto no pagamento aos magistrados de uma diferença de correção salarial, referente ao período de 1989 a 1992. A irregularidade está no fato de que o pleito estava prescrito – o prazo de prescrição é de cinco anos.
    Em maio do ano passado, a Associação dos Magistrados Trabalhistas da 8Regiao (Amatra VIII) apresentou um requerimento à presidência do TRT/PA, pedindo recalculo salarial do período de 1989 a 1992. Todo pedido à presidência do TRT é feito via protocolo. Mas, não foi o que aconteceu nesse caso e, do pedido ao deferimento, transcorreram apenas três dias.
    O TRT argumentou que o prazo ainda não estava prescrito. Isso, porque funcionários do TRT de outra região interromperam a prescrição em 1997. Segundo a lei, quando a prescrição é interrompida, ela só beneficia quem a interrompeu, não se estendendo aos que possuem igual direito. Vasconcelos obteve documentos comprovando a manobra e, no dia 20 de maio de 1999, entrou com uma representação junto ao Ministério Público Federal (MPF/PA). O Tribunal sustou o pagamento e, dois dias úteis depois, em sessão extraordinária, abriu um processo disciplinar contra o juiz.
    O TRT considerou falta de respeito aos juízes as denúncias feitas pelo magistrado ao MPF.
    O processo impetrado por Vasconcelos no MPF/PA foi julgado procedente e, o pagamento, revogado. A reação veio a galope: o magistrado acabou sendo afastado do cargo por dez meses. Uma liminar o reintegrou ao cargo, mas as retaliações continuaram. O TRT lhe mandou para Almerim, no extremo oeste do Pará, onde existe uma junta mas nao há processos para serem julgados. Depois de 30 dias, O TRT/PA julgou o seu processo disciplinar e decidiu pela pena de aposentadoria, a vigorar a partir de 10 de outubro de 2003.

    SENTENÇA REINTEGRA NO CARGO JUIZ APOSENTADO COMPULSORIAMENTE
    O juiz do Trabalho Paulo César Barros Vasconcelos, punido com aposentadoria compulsória pelo Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, no ano de 2003, teve anulada pela Justiça Federal a pena que lhe foi aplicada. Com isso, será reintegrado no cargo, com a contagem de tempo de serviço do período em que esteve afastado.
    Na sentença, proferida pela juíza federal da 2ª Vara, Hind Ghassan Kayath, são asseguradas a Vasconcelos todas as remoções e promoções cabíveis pelo critério de antiguidade. A magistrada condenou ainda a União Federal ao pagamento retroativo de todas as diferenças de remuneração a que o juiz teria direito, desde a data de sua inatividade até a sua efetiva reintegração. As diferenças deverão ser corrigidas e acrescidas de juros de mora de 0,5% ao mês. Da decisão ainda cabe recurso ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região, com sede em Brasília (DF).
    Paulo César Vasconcelos já exercia o cargo de magistrado federal do Trabalho havia sete anos, que foi alvo de um processo administrativo disciplinar (PAD) instaurado pela TRT da 8ª Região. Três fatos deveriam ser apurados em relação à conduta do juiz: uma representação que ele fez ao Ministério Público Federal, sobre o pagamento de valores prescritos a magistrados trabalhistas; a acusação de que ele teria desrespeitado a Corregedoria do TRT; e o fato de ter-se declarado suspeito para o julgamento de processos cujas sentenças ele mesmo havia proferido anteriormente.
    Punição – Ao final do processo administrativo disciplinar, o Tribunal, por maioria de votos, aplicou ao juiz a pena de aposentadoria compulsória com vencimentos proporcionais ao tempo de serviço. Vasconcelos ainda chegou a entrar com um pedido de reconsideração – que foi negado – e, posteriormente, com um recurso ordinário em matéria administrativa, do qual acabou desistindo.
    A sentença ressalta que o TRT da 8ª Região não demonstrou com clareza quais os termos injuriosos, ofensivos ou desrespeitosos empregados pelo juiz, ao formalizar sua representação ao MPF acerca de valores prescritos que seriam pagos a membros do Tribunal.
    “Ao contrário das meras suposições levantadas pelo TRT, nunca houve na representação, pelo menos a título de ‘insinuação’, qualquer alegação de que aquela Corte estaria fazendo ‘vista grossa’, ao não conhecer a ocorrência da prescrição do pedido administrativo. É interessante assinalar que o termo ‘vista grossa’ foi utilizado pelo TRT no julgamento do PAD e não consta da representação. Tampouco se vislumbra ‘crítica severa’ e ‘censura depreciativa’ na postura do magistrado quanto à decisão da Corte administrativa”, afirma a juíza na sentença.
    Sobre a acusação de que Paulo César Vasconcelos teria agido de forma desrespeitosa em relação à Corregedoria do TRT, Hind Kayath considerou que inexiste fundamento para aplicação da penalidade de aposentadoria compulsória decorrente de transgressões dessa natureza. Lembra a juíza que um incidente ocorrido por ocasião de correição ordinária na 1ª Vara do Trabalho, da qual Vasconcelos era o titular, foi objeto de apuração sumária. E a própria Corregedoria, após ouvir magistrados envolvidos, resolveu arquivar o feito, dando o caso por encerrado.
    Além disso, afirma a juíza, “em nenhum momento a Corte Julgadora apontou qual o comportamento de fato desrespeitoso adotado pelo magistrado em relação ao corregedor do Trabalho, observando nos autos que somente sua ausência na então Junta Trabalhista, por ocasião do início dos trabalhos correcionais, parecer ser o fato que deu ensejo atípico em questão.”
    Hind Kayath também rejeitou, por falta de fundamento, a alegação de que a penalidade de aposentadoria compulsória foi aplicada porque Paulo César Vasconcelos se recusou a cumprir determinações do TRT da 8ª Região, ao se declarar suspeito para oficiar em processos que tiveram sentenças anuladas em segunda instância.
    Essa matéria, segundo a sentença, “é de índole inteiramente processual, tendo o magistrado usado de prerrogativa que lhe é expressamente conferida pela lei processual, qualquer seja, declarar-se suspeito por motivo de foro íntimo”. Para Hind Kayath, os exemplos citados no julgamento que levou à punição de Vasconcelos “não servem como prova cabal de sua recusa injustificada de dar cumprimento aos acórdãos emanados da Corte Trabalhista, até porque, ao que se observa na aludida fundamentação, não foi demonstrada que tal prática ocorresse de forma sistemática e proposital, hábil a prejudicar a prestação jurisdicional a cargo do autor.”Processo n.: 2008.39.00.009992-0; Classe: 1300 – Ação Ordinária/Serviços Públicos.
    Autor: Paulo César Barros Vasconcelos
    Réu: União Federal
    Justiça Federal – Seção Judiciária do Pará
    Seção de Comunicação Social Seção de Comunicação Social
    Processo:
    2008.39.00.009992-0
    Nova Numeração:
    0009966-78.2008.4.01.3900
    Grupo:
    ApReeNec – APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO
    Assunto:
    Reversão – Regime Estatutário – ServidorPúblico Civil – Administrativo
    Data de Autuação:
    25/03/2011
    Órgão Julgador:
    PRIMEIRA TURMA
    Juiz Relator:
    DESEMBARGADORA FEDERAL ÂNGELA CATÃO
    Processo Originário:
    0009966-78.2008.4.01.3900/JFPA

  13. Marcos, concordo em gênero e grau contigo. Estou no quarto livro, este “Pena Assassina”, onde exponho muito o câncer brasileiro, que está nos políticos. Esta sustentação, inquestionavelmente, nasce na cumplicidade com o poder judiciário. Se o presidente é que ELEGE ministros da justiça, será que não cria para si uma CAPA protetora. Amigo, existe um gesto muito simples, que sinceramente creio acabar com tudo isso: “NUNCA REELEJA” politico algum. Um dos comentarista disse:”Falta colocar a culpa em quem agora?” Se me permitir respondo: “O ÚNICO CULPADO DE TUDO, FOI, É E SEMPRE SERÁ DO POVO”. Quando os bons quiserem, preponderarão. Dizia Platão: ” O homem não pode ser honesto, quando o Estado é desonesto.” Conclui-se que Existe Politicos e Magistrados CORRUPTOS, por que o povo também é corrupto.”
    TECNOCRACIA é uma Democracia Administrativa. Formada por pessoas capacitadas, assalariadas e sem imunidades.

  14. Concordo plenamente amigo, noss judiciário é mais sujo que pau de puleiro. O Brasil é um país sem futuro.

  15. É exatamente por ai meu irmão, pena que a população tem medo de dizer a verdade, só existe corrupção por quer quem deveria barrar a mesma, são os maiores corruptos.

  16. Concordo plenamente! A sociedade tem medo de falar a verdade contra o Poder Judiciário, até porque o corporativismo é muito forte e mais cedo ou mais tarde pode ser que precisem desse poder diretamente.
    Muitos processos, por exemplo, no TJ, prescreveram ao longo do tempo por prevaricação, mas e as investigações? E os processos administrativos? Só para inglês ver.
    As quadrilhas só conseguem ter sustentação com ramificações nos poderes e claro que o Judiciário não é imaculado, ao contrário, devia ser o nosso maior exemplo de integridade, mas que tristeza…
    Aí eles sempre dizem: – Acusou tem que provar, o problema não é provar, o problema é que eles destroem as provas e intimidam outras. Aí nós permanecemos com a impunidade e corrupção fortíssimas, infelizmente!

  17. sei disto trabalho aqui no tj e vejo a corrupção legalizada , salarios altissimos de servidores efetivos e comissão , uma vergonha , tem gente na minha sala que ganha 15 mil reais …basta ir no portal da tranparencia da corupção uma vergonha ….asistente tecnico que a lei segurou e nao sai do concurso ganhando 12 mil …assim é nosso judiciario !

  18. Marco, o réveillon fez bem para vc. Eh a segunda vez que venho parabeniza-lo em 2014.
    O texto esta perfeito.
    Mas existem raras exceções no judiciário maranhense, rarissimas.

    Resp.: Quando há apenas exceções, é a regra que impera.

  19. você foi brilhante pouca gente tem esta coragem. eu queria ser juiz so pra fazer corupiçao o conseho iria me investigar depois me aposetava quer mais?

  20. CONCORDO COM O TEXTO, SÓ QUE O AMIGO JORNALISTA ESQUECE DE DIZER QUE QUEM MANDA NO JUDICIÁRIO BRASILEIRO É O PATRÃO DELE VIDE AS DECISÕES QUE SEMPRE O BENEFICIAM: CAÇASSÃO DE JAKCSON, ROSEANA LIVRE DE SER CAÇADA… SÓ PRA LEMBRAR OS EPISÓDIOS MAIS RECENTES.

  21. Volto apenas para dizer ao “CNJ” que não são conjecturas as acusações a alguns membros do judiciário. Lembram o caso do desembargador Bayma Araújo que acusou o colega Jorge Rachid de corrupto? O pior é que a denúncia feita no plenário com todos os desembargadores presentes não deu em nada. Simples assim, como vc, blogueiro, gosta de fechar um texto.

    Resp.; Aliás, esta discussão foi tema de vários posts deste blog. E parece ter sido jogada para debaixo do tapete de mármore carrara do Pleno do TJ…

  22. Calma caro blogueiro D’Eça. Sei da sua indignação com alguns fatos que estão ocorrendo no Maranhão, mas isso não é motivo para perder o tino e trocar o verbo “houve” (aconteceu) pelo verbo “ouvir” (escutar). Não seria “o que se ouve nos bastidores…” e não “o que se houve nos bastidores…”. Seus leitores podem até errar, vc não. Um abraço. Comentário pertinente.

    Resp.: obrigado, meu caro. Foi um lapso…

  23. Parabéns pelo texto corajoso.
    Você tocou num assunto que ninguém tem a coragem de mexer e nem de falar abertamente, apesar de todo mundo já ter ouvido falar de algo semelhante.
    É pena que falte tanta coragem aos homens e mulheres de bem e que tem condições de enfrentar esse tipo de situação.

  24. Poxa Marco parece ate outro blog, diferente do do ano passado, vc esta brilhante em todos os comentarios, parabens.

  25. Belo texto! algo de uma mente apurada!
    Só lamento o fato de um profissional tão brilhoso que nem vc está a serviço de um povo responsável por levar o nosso estado a um nível de total abadono!

  26. Se forem investigar todos os magistrados, acho que vão descobrir alguma coisa, ou quem sabe, muita coisa. Acho que deveria se igual prefeitura, todo mês sorteava uns 20 pra averiguar o patrimônio, investigar, sem precisar de denuncia. Ai meus amigos a coisa com certeza ia melhorar um pouquinho. A vitaliciedade do judiciário tem que ser mexida, aposentadoria compulsória não punição e prêmio, mas parece que todos tem medo de tocar nesse assunto. Teriam que ser julgado e punido como homem comum, sem regalias.

  27. Sabidao, por que tu nao diz os nomes dos juizes corruptos??? Falar de forma generica é ofender a dignidade de varios profissionais serios…
    Da mesma forma q a corrupcao ta no judiciario, como afirmas, ta muito mais sedimentada no Executivo, no qual a mesma familia ta a 40 anos e nao faz nada em favor da populacao… aqui so uma empresa ganha licitacao de obras, alem de uma serie de favorecimentos pessoais que ocorrem diariamente… e kd o Ministerio Publico?
    Colocar a culpa no Judiciario é fácil, mas tu esquece que é o Judiciario maranhense, principalmente os juizes de primeiro grau que julgam as improbidades administrativas, e o MA esta entre os que mais condenaram gestores e ex-gestores por corrupcao

    Resp.; Já publiquei diversos textos sobre a corrupção no Judiciário. É só lê-los com atenção.Estão todos no arquivo aí do ladol. É só procurar nas categorias “Corrupção” ou “Judiciário”.

  28. gente, me assombra como alguns juizes, desembargadores e filhos dos mesmos tem tanta grana??? vamos investigar o patrimonio deles, a coisa tá sem freio!!!!

  29. Quem tiver conhecimento de irregularidades deve denunciar ao CNJ. Meras congecturas só servem para difamar a magistratura, que na sua grande maioria é formada por homens e mulheres de bem

    Resp.: nem todos são homens e mulheres de bem, meu caro. E o CNJ é formado por juízes. JuíZes julgando juízes são como médicos julgando médicos… Quase nunca dá em nada.

  30. kkkkkkkkkkkkk… começou o ano falando asneiras!!
    Você é burro ou só finge mesmo?
    O texto é vago, atécnico, e recheado de senso comum. Parece até que foi um estudante de ensino médio que escreveu.
    Realmente não dá mais pra ler esse blog não.

    Resp.: se for por falta de adeus, sinta-se despedido.

  31. Seu texto foi perfeito quanto ao Judiciário e tal quanto Secretário de Insegurança.A queda do Secretário serviria pelo menos para dar satisfação pública que algo pode mudar,como fizeram com o comando da PM-Ma,que está dando resultados.Ninguem é insusbstitível,esse termo não se aplica na SSP-Ma.

  32. Walter Rodrigues sempre dizia que os melhores” gestores financeiros” são oriundos do judiciário.
    Claro ironia fina de Walter era aguçada, mas cada vez mais a “verdade” de Rodrigues continua mais evidenciada.
    Hoje,a maioria dos luxuosos apartamentos que permeiam a nossa orla marítima são de propriedade de togados ( juizes, promotores, desembargadores, etc.) e grandes advogados, via de regra “amigos” desses togados.
    Como os salários deles NÃO SÃO lá essas coisa ( nenhum deles , ao que me parece, ganha mais do que R$ 30 000,00) e como não existe dinheiro macho nem dinheiro fêmea que poderiam se reproduzir , só resta a certeza de que os togados são os melhores administradores financeiros do planeta.
    Ponto então para Flávio Dino.

  33. Opa! Opa! Opa! Opa!….Finalmente alguém resolveu tocar na ferida… há muito tempo penso exatamente isso. Você foi extremamente feliz…. é exatamente esse o X da questão…..O juciciário é essa coisa intecável, irrepreensível, inquestionável. Julgam-se acima detudo e de todos. Isso tem que mudar…. que seu texto seja o “start” da discussão.

  34. Concordo com algumas ressalvas. O cargo/função de juiz ou desembargador não exime da mísera condição humana. A corrupção está enraizada na alma do brasileiro, errado sempre são os outros. Existem corruptos e corruptores em todas as áreas, Executivo, Legislativo, Judiciário e Iniciativa Privada, não seria fácil descobrir quem é a mãe, o pai, os filhos, … . Uma das maneiras de tentarmos exorcizar este carma nacional é através de discussões sobre o tema. Parabéns Marcos Deça, pela coragem de abordar o tema.

  35. Pois é. A pessoa qdo ingressa no serviço público tem que abdicar de conceitos ambiciosos relacionados ao patrimônio, ela tem que ambicionar outras coisas tipo: otimização do seu trabalho, satisfação da sociedade e buscar sempre a construção de uma vida melhor para a sociedade como um todo pois é quem paga seu salário. Um magistrado ou outro servidor qualquer, não pode ambicionar e se aventurar a ser rico, a formar patrimônio, a ser um empreendedor, isso não é compatível com a função, não tem como separar as coisas, em um determinado momentos elas irão se misturar. Em São Luís por exemplo, grande parte de nossos desembargadores e muitos outros magistrados, detém patrimônio incompatível com seus proventos. É o que se ouve falar sempre, infelizmente. Um desembargador. é claro que merece um salário digno que lhe dê condições de viver, educar e sustentar sua familia dignamente. Isso não quer dizer que ele terá direito a prover os filhos memo depois de adultos da mesma forma. As vezes vemos alguém se apresentar afortunadamente perante a sociedade, e perguntamos: que é fulano(a)? É filho do desembargador fulano(a). Isso ta errado, tem que mudar. Que em 2014, o CNJ comece a olhar essas coisas.

  36. Marcos, seu Texto retrata bem o sentimento de toda população, a certeza de que a justiça além de ser cega é insensível aos anseios da sociedade.
    Parabéns pela coragem de apontar essas mazelas da nossa sociedade.

  37. Marco,você começou muito bem o ano. Analise isenta,texto seguro,foco social apurado.Muito Bom o seu “A mãe de todas as corrupções é a corrupção no judiciário”.
    Parabéns!
    Herbertt Morais

  38. Você foi muito feliz no seu texto, realmente a corrupção é mantida neste país pelo Judiciário. E se agrava no Maranhão onde famílias controlam este poder. O presidente do TCE tem sobrinho desembargador e presidente do TRE, onde também, tem outros juizes indicados por ele. A governadora tem uma tia desembargadora e vários são desembargadores e juizes porque tem o seu apoio.
    Resta aos juízes de instancias inicias entrarem no sistema.
    Ao povo que paga a todos a indignação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *