12

Eliziane quer apoio público para retiros espirituais…

http://www.blogdojorgearagao.com.br/wp-content/uploads/2012/11/elizianegama1.jpgA deputada Eliziane Gama (PPS) voltou a cobrar do poder público apoio às igrejas que realizam os retiros espirituais no Carnaval.

Para a deputada – que chama os retiros de “manifestações culturais” – governo e prefeitura, deveriam investir nestes eventos, da mesma forma como fzem com os blocos carnavalescos e escols de samba.

– Na quarta-feira de cinzas, a comunidade evangélica, em alguns anos fechou a semana com uma atividade belíssima, ali na Maria Aragão e naturalmente também estará acontecendo mais uma vez nesse período. Portanto, quero deixar os meus cumprimentos E a minha alegria e, acima de tudo, a minha torcida para que o poder público também, da mesma forma como investe na passarela e nos blocos, possa ter sensibilidade em relação aos retiros culturais – afirmou a parlamentar.

Eliziane Gama é autora do projeto de lei n.º 8.904 que institui a arte evangélica como cultura e também é defensora da Semana Maranhense de Retiros Culturais, pois a semana reúne a comunidade evangélica em uma ação diferenciada, com orações e atividades culturais.

http://3.bp.blogspot.com/-CMgXnVIeohQ/UV9C0HvSCaI/AAAAAAAAAkE/GbwmqrPwVKo/s320/DSCN1381.JPG

Os retiros são tradição do período carnavalesco

– O Maranhão tem hoje uma lei aprovada e sancionada pelo então governador Jackson Lago, que cria a Semana Maranhense de Retiros Culturais. É uma atividade cultural que acontece em todo o período de carnaval. Enquanto temos algumas pessoas que vão para a passarela do samba, vão para os blocos de carnaval, temos uma juventude cristã, seja da igreja católica ou da igreja evangélica, que tem uma prática cristã mais intensa e acaba realizando os retiros culturais, nos quais temos várias manifestações artísticas como dança, música, apresentação teatral e outras manifestações culturais que acontecem – esclareceu.

A parlamentar lamenta não ter havido direcionamento orçamentário para os retiros, mesmo com a lei aprovada.

– Apesar de hoje amparadas por lei, infelizmente não há hoje direcionamento orçamentário para essas atividades culturais, pelo menos de meu conhecimento, mas o governo teria prerrogativas legais para fazer esse indicativo como já fizemos aqui – concluiu.

Sem categoria

Marco Aurélio D'Eça

12 Comments

  1. Bravos companheiros e companheiras, nós precisamos ser universais e jamais queremos confundir missão de governo com religiões, como por exemplo a distribuição de recursos. Bravos e bravas, o meu comentário foi focado exatamente neste tema. Reflita bem o meu comentário anterior. Bravos e bravas, sou feliz e sirvo um Deus Único e Verdadeiro, Ele é o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. Sou evangélico batizado nas águas, mas no meu entendimento jamais quero e pretendo contrariar o meu pastor, e porque disse isso? Pelo fato de ontem mesmo ter me disposto chegar até a passarela para prestigiar o Bloco Organizado Unidos de Vila Isabel o qual nos últimos anos tem recebido o meu apoio incondicional assim como varias manifestações culturais da capital maranhense. Olha só, sou motense, mas o Bloco Organizado Unidos de Vila Isabel este ano, homenageou o Sampaio Correa, pra vocês verem que nós precisamos ser universal. Assim mesmo o clube rival do meu sendo homenageado, não deixei de apoiar o Bloco Unidos de Vila Isabel. Alguns irmãos evangélicos podem não concordar com meu posicionamento, mas digo que o que importa é o meu coração da forma de que eu penso e de que deixo de pensar e de fazer. A pregação é para todos os povos no sentido de resgate de almas, mas ela não é necessariamente ser pregada só dentro dos templos. Para ser mais universal esclareço a vocês o seguinte, por ser evangélico até que poderia votar na Eliziane Gama para governadora do Maranhão, só que já tenho meu candidato, ele é o Luis Fernando por preencher vários requisitos dentro dos meus analises, e um deles é que desde os últimos 12 anos, passei a votar nos candidatos majoritários do grupo Sarney. Bravos e bravas quando faço referencia de que os retiros e outros eventos como ações de graças do evangelho que precisam ter apoio do poder público, é pelo fato de que a presença permanente dos ministérios no mundo material principalmente aqui no Brasil, tem sido fundamentais para resgatar almas e amenizar o índice de criminalidade. Os retiros feitos pelas congregações católicas também tem contribuído para diminuir a criminalidade no país. No mais, todos precisam sim ser reconhecidos como eventos culturais. É importante que paramos de criticarmos e sim, precisamos abraçarmos esta causa nobre. Vamos parar de pensarmos de forma que não contribua para a paz e a tranqüilidade da sociedade. Vamos parar com esse preconceito de que crentes só querem é dinheiro, isso não existe, o verdadeiro crente não engana suas ovelhas, e no meu ponto de vista ele precisa ser universal. Quando cito que os recursos para as manifestações artísticas e culturais neste país, a maioria são repassados por meio do terceiro setor e que por isso não pagam impostos é pelo simples fato de ter ampla experiência neste campo de atuação. Como universal, nunca deixei de apoiar as manifestações culturais da capital maranhense e pra quem me conhece sabe que alem de comunitário, sou político e respeito as minhas convicções. No entanto meu ponto de vista as igrejas evangélicas deveriam sim receber apoio do poder publico para suas ações de graças, é mais do que justo.

  2. Crente gosta é dinheiro também, especialmente os “líderes religiosos”.

  3. De preferencia que esse dinheiro passe pela mão dela como foi. Pra ela dar cano nas bandas daqui.

  4. Logo se ver o que ela fará caso seja Governadora. Fazer do executivo estadual uma extensão da igreja dela. Francamente! Vai de retro! Queremos desenvolvimento educacional, mais hospitais, segurança, não queremos saber de diversidade religiosa.

  5. Esses retiros são feitos tanto por evangélicos como por católicos, mas não são encontros culturais. A atividade cultural nos mesmos é tão frequente quando um voleizinho ou futebol, para passar o tempo e integrar. O Problema é o DNA da irmanzinha, sempre atrás de muito dinheiro.

  6. SERÁ UMA MANIFESTAÇÃO DE APOIO MAIS DO QUE JUSTO, SE ASSIM O PODER PÚBLICO ADERIR INVESTIR EM RETIROS ESPIRITUAIS.

    Meus amigos, até o presente não consigo entender o porque a autoridade competente autor da proposição que impede as congregações evangélicas por seus ministérios receberem subsídios financeiro do poder público.
    Meus amigos, uma das alegações dos PODERES EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO é que os MINISTÉRIOS EVANGÉLICOS recebem o dízimo de sua ovelhas, e que por isso não é permitido receberem esse subsídio do PODER PÚBLICO que segundo a legislação aplicável, o evangelho é isento de pagar
    imposto do que recolhe de sua ovelhas, isso significa que só a isenção de impostos já serve como uma contra partida do governo. Meus amigos, as congregações evangélicas nunca deixam de ter que arcar com seus encargos sociais. Alem disso, elas precisam de PASTORES, DIRIGENTES E DEMAIS AUXILIARES para poderem ficar permanente pregando o evangélico no firme entendimento de DEUS que será resgatar almas. O dízimo e oferta são fundamentais para que as congregações continuem pregando e defendendo o evangélico. Até aí ok, mas as demais ações como ficam? Por exemplo, CRUZADAS, AÇÕES SOCIAIS, CAMPANHAS DE ORAÇÕES ROTINEIRAS NOS HOSPITAIS E MAIS AINDA, OS RETIROS? Como ficam? Meus amigos, os MINISTÉRIOS EVANGÉLICOS NO BRASIL, sempre depois dos cultos, SEUS PASTORES, OBREIROS, DIRIGENTES E AUXILIARES visitam seu rebanho, e esses multiplicam as pregações do evangélico no mundo material. E se não fosse essa firmeza com persistências dos seus PASTORES PRESIDENTES, o PAÍS estaria muito pior.
    Meus amigos, assim como existem os apoios para a cultura popular nos seus mais diversos ritmos e artísticos que a traem o turismo, assim também deveriam existir os apoios permanentes para todos os tipos de ações de graças pelo evangelho levando em consideração uma ação fundamental que será o resgate de almas, e, inclusão do individuo no anseio da família e da sociedade. Você já calculou a despesa que tem o poder público anual com cada preso?
    É importante lembrarmos que a maioria dos repasses de recursos públicos para as manifestações artísticas e culturais, são mais por vias do terceiro setor, e por essa via, o poder público também não recolhe impostos. Então qual é o problema da alegação de que as igrejas evangélicas não pagam impostos? Isso não tem nada haver.
    No mais, também defendo o apoio público não apenas para só os RETIRO ESPIRITUAIS, defendo o apoio público para todas as manifestações de AÇÕES DE GRAÇA pelos MINISTÉRIOS EVANGÉLICOS.

  7. O patrocínio de eventos culturais por órgãos públicos no Maranhão é comum, se paga quase para tudo, basta chamarem de “cultural”. Boi, umbanda, Reis, carnaval, tambores, juninas, etc. Pra tudo tem recursos públicos. Geralmente as instituições responsáveis pelos projetos são isentas de impostos, mas, o povo que participa direta e indiretamente sim, paga e muito bem.
    Com os cristãos tem uma diferença, a grande massa cristã do estado parece não pagar IPTU, IPVA e outros muitos pesados impostos, essa diferente ainda lhe rende uma pesada discriminação, parece que não consomem e nem contribuem com o crescimento deste pobre maranhão.
    Existe uma grande hipocrisia, pode se gastar para “A” e não para “B”. A minha opinião, os recursos governamentais que sejam gastos com educação, pesquisas e saúde, o país não tem priorizado a área do conhecimento e reduz os investimentos cada ano.
    “O costume do cachimbo faz a boca torta”. Deepak Chopra já dizia “Para qualquer um que tenha se apaixonado profundamente, o profano é sagrado”. Ta tão viciante usar o nosso dinheiro para qualquer coisa, que a Deputada Eliziane se acha no direito também de requerer um pouquinho também..

    Resp.: Então foi por isso que a deputada mudou o termo “retiro espiritual” para “retiro cultural”? Para poder angariar dinheiro do estado??? Meu caro pastor, religião é algo privado, diferente da cultura de um povo. Estado não tem que investir em religião. As igrejas têm que ter a competência para manter seus fieis dentro dos princípios que ela prega, mas não pode querer obrigar o estado – por meio de leis oportunistas – a fazer o que elas não conseguem fazer sozinhas. Os cristãos pagam seu IPTU, IPVA e outros tributos, e são beneficiados pelo estado no conjunto dos demais cidadãos. Até por que, as igrejas já são beneficiadas com isenção de muitos impostos – o que nem deveria ocorrer. Investir em Cultura é também investir em Educação, mas investir em religião, não. O estado é laico, não tem religião. Cada um tem o direito de seguir qualquer religião. Só não pode querer obrigar os outros, por meio de leis, a seguir os mesmos preceitos. E não adianta querer comparar um retiro com uma atividade cultural. Isso não existe. A cultura é inerente ao povo. E cabe ao estado proteger e fomentar todas as espécies de manifestações culturais. Mas a religião não é cultura. Nem que isso seja imposto por uma lei.

  8. Quero parabenizar e me ombrear ao projeto iniciado pela deputada Eliziane Gama em defender um ato humano digno, honroso, moralmente correto, socialmente importante e espiritualmente eficaz. Comprova-se a cada a ano a importância dos retiros quer sejam evangélicos ou católicos ou sejam, cristãos, haja vista propiciam aos seus participantes momentos de autoconhecimento pois as palestras tendem a aproximar o homem de seu Criador e quando isto se dá, o ser se compreende como importante para Deus, para os seus e para o todo. Avançando na importancia, saliento que os retiros, como advento cultural realmente favorecem o desdobramento de uma cultural salutar, pura, voltada para a paz e a melhor relação entre os homens. Nos retiros diversas são as oficinas de arte realizadas durante estes dias, inclusive artistas de outros estados visitam nossa cidade ministrando cursos e workshops. Apenas quem é desinformado sobre o potencial cultural destes eventos é que fala ou escreve tais comentários, porém não os culpo. Quero aproveitar e congratular também a pessoa da missionária e vereadora Rose Sales que desenvolve ações de apoio a estes retiros e aos retiros de centros de Recuperação a Dependentes Químicos. Unam-se pelo bem da cidade. Existe uma diferença fundamental entre folclore e cultura e à esta última, governo nenhum pode dizer que as igrejas não investem.

  9. Com todo o respeito à Deputada Eliziane e aos amigos(as) evangélicos(as), sou absolutamente contrário a qualquer tipo de apoio dos cofres públicos a esse ou a qualquer outro tipo de manifestação religiosa. Não sou radical, mas acho que Carnaval e festas juninas também não merecem tanta pompa e circunstância financeira. Acredito que isso só caberia se tivéssemos as melhores escolas públicas do País e os melhores serviços de saúde à população de baixa renda!

  10. Era só o que faltava!!! em ano eleitoral se ve de tudo.A Dep.Elisiane quer recursos públicos para igrejas que,constitucionalmente são isentos de todo os tipos de impostos,incluvise o IPVA.Igrejas,principalmente as evangélicas,com raras exceções tornaram um grande negócio.A Semana Maranhense de Retiros Culturais não tem nada haver com o apoio financeiro público.A Deputada tá se achando o ultimo biscoito do pacote mas, esquece que a grande votação q a mesma teve na ultima eleição para prefeito de São Luís,foram de pessoas que não votariam em nenhum dos dois candidatos que,por o passar dos tempos o atual Prefeito mostrou que igualzinho ao antecessor.

  11. Ela tem que cobrar do governo, afinal, são contratados artista decadente e outros que vivem à sobra da paternidade, cantando músicas alheias com se suas as fossem com e o Governo lhes pagando verdadeiras fortunas sem o devido processo legal, que é a licitação, conforme determina a legislação vigente.
    A Deputada deveria se unir à secretária Olga Simões para cobrar do governo e colocar em prática o projeto “economia criativa”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *