4

Empréstimo de R$ 480 milhões tomado por Edivaldo Júnior será pago em 30 anos

Corredor de Transportes de São Luís foi superfaturado por duas vezes na gestão do petecista. Orçamento original era de R$ 169 milhões.

 

Do blog Atual7

Com apenas 15 meses à frente da Prefeitura de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior já começa a mostrar qual será a marca de sua gestão. Tomador de somas milionárias junto ao Governo Federal desde que sentou na cadeira do Palácio de La Ravardière, só em um dos empréstimos, o petecista vai deixar uma dívida de 30 anos para ser paga pelo Município.

Oriundos do Orçamento Geral da União (OGU) e de recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), os R$ 480 milhões ‘assegurados’ e festejos por Edivaldo, na última quinta-feira (13), tem como destino a construção do corredor de transporte de São Luís, que ligará os bairros do São Francisco e da Cohab.

Corredor de transporte de São Luís será menor e custará R$ 311 milhões a mais na gestão de Edivaldo Holanda Júnior. Foto: Divulgação

Eleito, Edivaldo Holanda Júnior fez as vezes de pai da obra e também realizou audiência pública para apresentar o corredor de transporte. Desta vez, o evento ocorreu na Câmara de São Luís, no início de setembro do ano passado, e teve seu valor superfaturado para R$ 430 milhões. Ainda assim, R$ 50 milhões a menos que o valor divulgado atualmente para a construção e entrega da obra.

(Continue lendo aqui)

 

 

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. O governo do estado pode tomar emprestado 6 bilhões. A prefeitura não pode tomar 400 milhões? Me compre uma carrada de podes.

  2. É isso mesmo estamos diante da ADMINISTRAÇÃO CORRUPTA do HOLANDINHA…acho que aprendeu com o Pai e com o vice prefeito que é filho do pior governador da história do MA , que também so alimentou a corrupção e não fez nada pelo MA.
    Esse Holandinha é um irresponsável ,esse projeto é da administração Castelo e não era esse valor todo.

  3. Eu não sei se é estupidez de quem escreveu o texto ou se ele é mal intencionado mesmo (eu marcaria um duplo neste caso). Como pode ter havido superfaturamento em algo que não existe ainda. Existe contrato? A obra já iniciou? Houve pagamentos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *