6

Tempo para pensar

roseanaA partir de hoje, a governadora Roseana Sarney (PMDB) conta com exatos 20 dias para decidir se se desincompatibilizará para concorrer a uma cadeira no Senado da República ou se permanece no cargo até o fechamento do seu mandato, no dia 31 de dezembro.

Se decidir sair, a governadora abrirá caminho para a eleição, indireta, pela Assembleia Legislativa, de um governador para o mandato-tampão. Se ficar, comandará o processo eleitoral a distância, sem qualquer envolvimento direto e formal na campanha. A eventual vacância do cargo de governador e a eleição indireta têm sido o ponto central do frenesi que tomou conta da seara política desde que o então vice Washington Oliveira foi nomeado para o Tribunal de Contas, passando o presidente da Assembleia Legislativa a ser também vice-governador.

Esse cenário deu ao presidente da Casa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), o gás que precisava para se colocar como candidato ao eventual mandato-tampão. Mas teve como poderoso contrapeso o pré-candidato do PMDB a governador, Luis Fernando Silva, cujo projeto é ser eleito indiretamente e se candidatar á reeleição no Carmo.

Se a governadora decidir permanecer no cargo até o fim, cada um seguirá o seu rumo, irmanados dentro do grupo, e tudo evoluirá de acordo com as circunstâncias políticas e eleitorais. Mas se decidir sair terá de usar uma hábil engenharia política para acomodar interesses os mais diversos e evitar uma situação de disputa dentro do grupo. Arnaldo Melo não esconde seu projeto de chegar ao Palácio dos Leões por essa via.

Aliados de Luis Fernando argumentam que sua eleição indireta facilitará sua eleição direta. É claro que a decisão de sair ou ficar da governadora tem a ver com essa equação sucessória, mas muitos outros fatores estão pesando no exame das duas opções, entre eles a vontade de entrar as grandes obras que estão sendo concluídas e a necessidade de dar tempo a si e à família.

Vale, portanto, aguardar.

Coluna Estado Maior/O Estado

Marco Aurélio D'Eça

6 Comments

  1. SERIA BOM A MINHA GOVERNADORA PENSAR NISSO SE QUISER QUE SEU CANDIDATO VENÇA A ELEIÇÃO: EMPÁFIA NO TRATO POLÍTICO, ARTICULAÇÃO POLÍTICA DEFICIENTE, DISTÂNCIA DA BASE ALIADA, DESCUMPRIMENTO DOS COMPROMISSOS ASSUMIDOS.

  2. Mas ela não ia ficar no cargo até o final? Ainda tá pensando?Chantagem com dom Arnaldon. Blefe!

  3. A governadora vai sair para concorrer ao senado, (ela não boba de ficar), o Arnaldo Melo assume o governo e vai tentar eleger o Luis Fernando. (se não for desse jeito, todos vão perder).

  4. Tudo isto é uma grande balela e marketing político, no prazo final sabemos que Roseana irá renunciar.

  5. E ainda falam que o grupo está unido! Desse jeito aí, com esse assunto já a encher o saco de todo mundo, dá para notar que união passa é longe desse grupo. É mais fácil Eduardo Cunha PMDB/RJ fazer as pazes com Dilma do que ver união no Grupo Sarney, que, agora já não é Grupo Sarney, pois Luís Fernando não é um Sarney. Fala sério! Um grupo liderado por Roseana não pode ser levado a sério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *