5

Lobão Filho pode controlar o PMDB maranhense…

http://luispablo.com.br/wp-content/uploads/2014/12/Edinho-Lob%C3%A3o-durante-a-campanha-de-governador-em-2014.png

Edinho: caminho aberto para a liderança política

O senador Lobão Filho tem dado demonstrações de que pretende disputar o comando do PMDB no Maranhão.

Ele já demonstrou este interesse a alguns interlocutores partidários, e já se movimenta, inclusive, para evitar defecções no partido, prometendo espaços de poder compartilhado.

O PMDB vive uma de suas piores crises no Maranhão.

Isolado na Assembleia Legislativa pelo governo Flávio Dino (PCdoB), apesar de a maioria doe seus membros ter-se alinhado ao candidato do governador à presidência da Casa, o partido ainda enfrenta bate-bocas públicos entre várias de suas lideranças.

Os deputados estaduais Andrea Murad e Roberto Costa não se entendem quanto ao posicionamento da legenda no Parlamento; o deputado federal eleito Hildo Rocha acusou a direção peemedebista pela perda de Luis Fernando Silva; e o deputado Gastão Vieira ameaça trocar a legenda por outra que lhe dê mais espaços.

É diante deste quadro que o PMDB estreia na oposição maranhense.

Leia também:

O povo colocou o PMDB no campo da oposição, diz Hildo Rocha

O isolamento do PMDB na Assembleia…

Além disso, suas principais lideranças demonstram pouco interesse na vida pública.

A ex-governadora Roseana Sarney se aposentou e não pretende voltar ao embate; o senador Sarney, principal referência nacional da legenda, também não pretende mais participar da política.

E o atual presidente da legenda, senador João Alberto, já anunciou que este será o seu último mandato como parlamentar, e que também se aposentará.

Com este quadro de acefalia, Lobão Filho terá dificuldades para juntar os cacos peemedebistas e recuperar a força partidária, uma das maiores do país e do estado.

Mas nenhum outro nome na legenda tem tanto cacife para tal quanto ele, que, além de jovem, saiu de uma eleição de governador fortalecido por votação de quase 1 milhão de votos.

Basta apenas querer – e saber – usar este cacife…

Marco Aurélio D'Eça

5 Comments

  1. O vai-vem partidário é muito comum no Brasil, onde a Política é feita por fisiologismo. O “vai” para os Partidos do Governo e os “vem” tb para os partidos de Governo é o que mais ocorre. Foi assim com crescimento do PRN do Collor, do PSDB do FHC, com o PT do Lula; aqui no MA, podemos até citar o PDT do Jackson Lago;

    Querer culpar a direção do Partido é uma ingenuidade.

    Só prestar atenção em que direção todos se dirigem… Com quem o Luis Fernando se encontrou… A quem o Gastão se ofereceu pra ajudar…

    Se o PMDB tiver mais algumas baixas, vejo como natural e cito duas causas:

    1. Por ser Partido de Oposição aqui no Estado;

    2. Pela Articulação Política do Grupo como um todo, não só do PMDB, não ter sido bem feita, articulação da qual o Hildo Rocha foi partícipe quando ocupou o Cargo de Secretário de Articulação Política do Estado… Mas tb não o culpo, afinal quem o nomeou foi a Ex-Governadora, que chamou o até então, um apenas ex-prefeito de uma cidade de pequeno porte, que mesmo com toda a estrutura do Estado, não conseguiu eleger a esposa contra o Eleito Prefeito “Cabão”, dono de Bar na Cidade e que dizia a todos:
    – “Derrotei o Hildo com toda a estrutura do Estado, usando apenas com um abridor de garrafa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *