2

Eliziane pede Polícia Federal no caso do índio Kaapor…

Em discurso na Câmara, Eliziane demonstra preocupação com assassinato de indígena

A deputada Eliziane Gama (PPS-MA) manifestou indignação com a morte do líder indígena Euzébio Kaapor, no Maranhão. Ela solicitou que a Polícia Federal faça a investigação sobre o caso.

O assassinato do índio ocorreu terça-feira, 28.

Este blog apurou ontem que o crime pode envolver políticos da região de Santa Luiza. (Releia aqui)

A informação é que o líder indígena Euzébio Kaapor foi alvejado com dois tiros nas costas no povoado Buraco do Tatu, que fica a 40 km do município de Santa Luzia do Paruá.

A investigação dos assassinatos ocorridos em terras indígenas são de competência federal. Portanto, a Polícia Federal precisa assumir a investigação deste assassinato, sob pena de ser mais um assassinato colocado no rol da impunidade, como tantos outros no Brasil” – Eliziane Gama, deputada federal.

A deputada maranhense lamentou a falta de políticas públicas arrojadas e de atenção aos indígenas no país e informou que assim como o Conselho Indigenista Missionário também pedirá ao Ministério da Justiça e à Polícia Federal que tomem as devidas providências para evitar que o assassinato do líder indígena fique impune.

Marco Aurélio D'Eça

2 Comments

  1. Cara Deputada admiro sua atuação como deputada federal mas por pura falta de informação de vossa excelencia ou se sua assessoria o local de assassinato do indigenista foi proximo ao povoado Areal, municipio de Maranhãzinho, portanto fora da reserva indigena e o fato já esta sendo investigado pela Polícia Civil do Maranhão e pelas primeiras informações obtidas o evento pode ter sido um latrocinio e não um assassinato. É lógico que existem políticos e madereiros envolvidos em outros episódios contra os indigenistas, ambos com base política e operacional nos muncípios de Maranhãozinho e Centro do Guilherme, amnos dominados politicamente por sua excelencia o deputado estadual Josimar de Maranhãozinho que quer ser governador do Maranhão em 2018. Tendo a total cobertura de policiais militares desse dois municípios e a polícia federal tem conhecimento exato do que está ocorrendo naqueles dois municipios, inclusive ja processou o Josimar de Maranhãzinho e toda sua quadrilha agora os juizes federais julgarem os mais de dez processos que essa quadrilha responde é outros quinhentos, pq duvido que algum juiz federal vá julgar esses processos ainda mais com todo o “denary” envolvido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *