1

Vigilante reafirma acusações contra desembargadora do TRT…

Um comentarista identificado por Jeferson Coelho falou hoje em nome do Sindicato dos funcionários Públicos Vigilantes do Maranhão (SFPVEMA) e reafirmou,  neste blog, as acusações contra a desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho, Ilka Esdras Silva Araújo.

– As denuncias aqui feitas são fundamentadas e documentadas, tanto é que o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) já notificou e pede providencia doTRT-MA – diz a nota.

Em resposta à Associação de Magistrados do Trabalho (Amatra), o SFPVEMA diz que o processo julgado pela magistrada beneficiou intencionalmente um homem identificado por Roberval Jansen dos Santos.

– Expor somente as verdades dos fatos o que acontece com o processo que só prejudicou a Entidade SFPVEMA, favorecendo o Roberval Jansen dos Santos, o qual teve prévilegios no minimo extranho (SIC) – afirma.

Segundo os vigilantes, há oito meses a categoria foi impedida de exercer sua cidadania, “através de mandado de Segurança, por atitudes de má fé judicial”.

– Restou somente o direito de defesa ao CNJ – diz.

Segundo a nota de contestação á Associação dos Magistrados do Trabalho, Ilka Esdras foi”influenciada nos autos processuais pela parte recorrente.

– O Tribunal tem como se Retratar, basta somente julgar o processo com parcialidade. (SIC) – concluiu.

Marco Aurélio D'Eça

One Comment

  1. sou vigilante e sócio SFPVEMA, estamos revoltados, eu não faço parte da diretoria, mais esse fato é revoltante, porque o processo foi contra orlando, se fosse para ser afastado seria o orlando pavão e assumiria o vice , e não a diretoria que foi eleita no voto dos associados, e porque não tem nenhuma acusação contra a diretoria no processo, e o processo não foi contra a eleição, e sim um carro que foi comprado em 2010, é foi feita uma assembleia geral que ate esse Roberval Jansen participou e votou a favor da compra do veiculo, essa diretoria foi eleita em 2013, e foi eleita mais de quinhentos votos de diferencia, se ver o processo não tem nada contra a diretoria afastada, foi simplesmente uma violência jurídica feita por essa desembargadora Ilkas esdras, ela fez tipo, um irmão comete um crime, a família que não tem culpa vai todos preso,dessa forma foi que essa magistrado agiu, não sabemos a troco de que, mais que é estranho é, existe um cunhado dela que sempre esta junto com esse Roberval Jansen ele se chama zê Carlos pires, e sempre esta interferindo nesse sindicato, ele não aparece mas é negociador, deve ter envolvimento direto nisso é só investigar. e queremos a nossa diretoria de voltar e tira esse s ratos de lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *