4

Suposto “canibalismo” em Pedrinhas já é investigado desde 2013…

Desinformado – ou mal intencionado – governador Flávio Dino foi às redes sociais para dizer que a polícia iria investigar a denúncia só agora; mas os casos foram encaminhados pela Sejap à Seic há pelo menos dois anos

 

Roberto Larrat e Augusto Barros: eles já tinham conhecimento de tudo

Roberto Larrat e Augusto Barros: eles já tinham conhecimento de tudo

Baseada em declarações do controvertido agente penitenciário Cezar Bombeiro (PT), a revista Época requentou informação de supostos crimes de canibalismo no Complexo de Pedrinhas, dando a entender que o caso tinha sido abafado na gestão anterior.

É uma mentira. ou da Época ou do próprio Bombeiro.

O caso é de conhecimento do atual delegado-geral da Polícia Civil, Augusto Barros, há pelo menos dois anos. E a Superintendência de investigações Criminais (Seic), chefiada por ele até dezembro de 2014, já estava investigando os dois casos – ou pelo menos deveria estar – desde os supostos acontecimentos, segundo revelou o blog Atual 7.

Documento assinadoi por Larrat: desde 2013 a polícia investiga o caso

Documento assinado por Larrat: desde 2013 a polícia investiga o caso

O blog publica, inclusive, documento assinado pelo então chefe da Inteligência da Secretaria de Administração Penitenciária, Roberto Larrat, datado de 5 de abril de 2013, determinando a investigação do primeiro caso.

Durante todo o tempo – inclusive com cobertura da mídia sobre o assunto, ao contrário do que mentiu Época – o então chefe da Secretaria de Administração Penitenciária, Sebastião Uchôa, manteve a cúpula da Segurança informada sobre o assunto.

E cobrou a investigação em vários documentos.

Em outras palavras, a cúpula da Polícia Civil tinha todo o conhecimento dos fatos desde 2013, e fez – ou deveria ter feito – toda a investigação necessária, ao contrário do que tentou passar a revista Época, baseada, repita-se, no controvertido Cézar Bombeiro, desafeto de Uchôa.

Diante dos documentos, ficou claro que a matéria visa jogar mais uma cortina de fumaça na falta de capacidade do sistema de Segurança de resolver o aumento dos casos de linchamento no Maranhão.

É simples assim…

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. Vê-se o gabarito do delegado Larrat, indicado por Uchôa para responder pela “inteligência Penitenciária”, diga-se de passagem, bem burrinha esta inteligência, não acha? Se LARRAT TIVESSE ALGUMA COMPETÊNCIA, o governador não estava pedindo investigação sobre o fato, o caso estaria concluído e nas mãos do governador. Se blogueiro, vc lembra do caso da funcionária que foi acusada por JOSIANE ex diretora do CDP, de ter mantido conversas com um detento? Pois é, o Ministério Público pediu arquivamento do processo por total falta de provas, sabe porquê? Porquê Uchôa além de incompetente é mentiroso.

  2. Se este delegado Larrat que Uchôa colocou na SEJAP fose bom , já teria concluido seu trabalho, porquê nao fez até agora? Deve estar fazendo esculta telefônica clandestina e ilegal. Tão incompetente quanto quem o colocou lá, Sebastião Uchôa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *