5

Perícia pode desmentir versão para morte de jovem em ocupação no Turu…

Cúpula da Segurança mantém em sigilo investigação apontando que as armas recolhidas não conferem com a bala que supostamente matou Fagner Barros, o que põe em xeque a acusação contra os cabos presos logo após a ação

 

Jovens durante a invasão: morte foi resultado de quê?

Jovens durante a invasão: morte foi resultado de quê?

exclusivoO laudo pericial das armas recolhidas pela polícia como evidência do assassinato do jovem Fagner Barros, em uma ação da Polícia Miltiar do Turu, deve desmentir a versão oficial da própria cúpula da PMMA.

Este blog apurou, com exclusividade, que a perícia está pronto, mas mantido em sigilo por que não confirmou que a bala que matou Fagner tenha partido de alguma delas.

Entre as armas, estão as dos cabos PM Marcelo Monteiro dos Santos e Janilson Silva dos Santos, que chegaram a ser preso, apontados pelo próprio oficialato da PM como suspeitos dos tiros.

A Delegacia de Homicídios, que investiga o caso, recolheu para perícia quatro pistolas “Ponto 40” e uma metralhadora “Ponto 30”.

Munição usada na ação

Munição usada na ação

O blog tenta desde ontem tenta falar com alguns policiais do Estado Maior da PM. Alguns coronéis confirmara a existência da perícia negativa para as cinco armas, mas pediram anonimato.

Fagner Barros foi morto com um tiro na testa, durante uma operação de reintegração de posse com a participação da PM.

Logo nas primeiras horas, a Secretaria de Comunicação do governo tentou culpar a própria polícia, atribuindo a morte a ‘um fato isolado de um policial”. Após as primeiras imagens, constatou-se que não foi apenas um fato isolado, mas vários tiros de PMs – que não ficam claro se atingiram ou não o jovem.

Mesmo assim, a cúpula da PMMA resolveu anunciar a prisão dos cabos Marcelo Ribeiro e janilson Silva, enquanto a Polícia Civil apurava o caso.

Agora, com o resultado da perícia, a situação complica, tanto para a Secom do governo, e seu açodamento, quanto para a cúpula da PMMA, e sua mãos lavadas em relação aos praças.

É aguardar e conferir….

Marco Aurélio D'Eça

5 Comments

  1. É muito difícil que uma bala perdida tenha acertado exatamente na cabeça do rapaz. Assim como é bem difícil que um companheiro de manifestação tenha o acertado com intenção de matá-lo. .

  2. e ainda tem filmagens e fotos circulando pelas redes sociais que mostram outras pessoas armadas no local, que não são policias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *