1

Alemanha dá mais um show de civilidade ao mundo…

Motor da Economia na Europa e atual berço da congregação cultural, país mostra como tratar as diferenças, dando o exemplo na crise mundial da migração

 

Refugiados turco e sírios comemoram chegada à Alemanha e a recepção dada a eles...

Refugiados turco e sírios comemoram chegada à Alemanha e a recepção dada a eles…

A Alemanha recebe de braços abertos qualquer foragido das ditaduras africanas e do fanatismo religioso asiático.

E dá um exemplo aos demais países de como se deve tratar os que precisam.

Pode até ser mais um mea culpa do país que ficou estigmatizado com a era Hitler – que, aliás, nem alemão era – mas não deixa de ser um símbolo de como deve ser a civilização mundial.

Muitos antropólogos não gostam de comparar culturas, porque, na visão da corrente difusionista, todas elas são iguais.

Para estes estudiosos, a cultura sueca e norueguesa, de liberdades individuais e de estímulo à compensação dos esforços próprios, é igualzinha à cultura patriarcal e ditatorial que faz do Gabão uma sociedade tribal miserável na África, por exemplo.

Mas não há como negar que todo avanço cultural, econômico e político nasce, primeiramente, na Europa, para depois se espalhar pelo resto do mundo.

E são exatamente as culturas tribais e primitivas as mais resistentes à implantação destes avanços.

E por isso, também, que a Europa passa a ser o porto seguro de quem tenta escapar da vida medieval no terceiro Mundo adolescente, na África tribal e no fanático Oriente Médio.

E a Alemanha é o símbolo deste porto seguro…

Marco Aurélio D'Eça

One Comment

  1. Isso só demonstra a superioridade do capitalismo, combinado com livre mercado e democracia, sem falar da cultura judaico-cristã enraizada a Europa, com que faz que olhemos o outro como irmão. Esse conjunto não se vê e nunca veremos em país dominados pelo islamismo, como na Ásia, Oriente Médio e alguns pais africanos. Cristianismo e Capitalismo superando socialismo e islamismo. Aliás, li em uma reportagem que na Síria tem 10 partidos, onde 7 são socialistas e os outros 3 são islâmicos. A tragédia nesse país estava escrito na estrelas. Pra finalizar, por que os refugiados, na maioria sírios não buscam país ricos do Golfo Pérsico como Árabia Saudita, Kuweit, Katar e Emirados Árabes, que possui com os sírios a mesma religião, islâmica, cultura e língua? Por que não vão se refugiar na segunda potência econômica, a China? Por que nesse lugares não se cultiva o perdão, não há democracia e seriam rejeitados, como há notícia de que a Arábia Saudita está expulsando estrangeiros e refugiados.

    Resp.; Só um equívoco seu. A Europa só começou a se desenvolver quando começou a se livrar do jugo religioso judaico-cristão. Hoje, na Alemanha, o motor da Europa, pouco se vê igrejas evangélicas. E as católicas são peças de museu de história. A Europa é a prova de que as civilizações melhoram quando se libertam do jugo religioso. Quanto mais desenvolvido social, cultural e economicamente uma nação, men os importância tem a religião em seu território. Quanto mais religiosa é uma sociedade, mais primitiva ela é. Com relação aos países ricos do oriente médio, são tão fanáticos religiosos quanto os de mais. E é disso que eles fogem também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *