6

Empresa que vai substituir ICN no governo Flávio Dino é acusada de fraude em seletivo…

A primeira lista da Emserh: repare os primeiros colocados

A primeira lista da Emserh: repare os primeiros colocados

A Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), que vai substituir o Instituto Cidadania e Natureza (ICN) na gestão de unidades de saúde no governo Flávio Dino – inclusive as UPAs de São Luís – está sendo denunciada por suspeita de fraudes no seletivo para vagas no Hospital Presidente Vargas, também na capital.

Fonoaudiólogos que se submeteram ao seletivo dizem que a Emserh manipulou a classificação para beneficiar duas candidatas.

Na primeira lista, havia 12 classificados, com pontuação que variava de 40 a 65, como mostra quadro acima, do blog de Gilberto Léda.

Mas a empresa divulgou uma segunda lista, com “Resultado após análise”, em que ficaram apenas a 11ª colocada – que subira para 1º – e a quarta colocada, passou a ser a 2ª. (Veja no quadro)

A segunda lista tem apenas dois nomes, que estavam bem atrás na classificação

A segunda lista tem apenas dois nomes, que estavam bem atrás na classificação

Depois, mais três nomes apareceram como chamadas – exatamente a 3ª a 5ª e a 7ª colocadas na primeira lista.

Nem o primeiro colocado, Marcos Aurélio Abreu Lima, nem a segunda,  Lilian Maria de Sousa Matos, apareceram como chamados.

E a última lista inclui mais dois nomes

E a última lista inclui mais dois nomes

A possível manipulação mostra o quanto Oscips, OS e empresas que terceirizam o serviço de Saúde fraudam o sistema ao seu bel prazer.

Ao contrário do que diz a Polícia Federal, de que só no período de 210 a 2013 coisas como esta aconteciam…

Marco Aurélio D'Eça

6 Comments

  1. Que notícia mais mentirosa, ou seria burra?? Fruto do “jornalismo” falido do maranhão. Pra quem não sabe em todo concurso público ou seletivo existe uma fase de comprovação de documentos ou títulos (um mestre obtém mais pontos que um graduado, por exemplo), que pode alterar a pontuação ou até mesmo eliminar candidatos. Portanto vamos ser mais inteligentes, e não acreditar no que qualquer blogueirinho fala por ai…

  2. Muito bem Marcos Aurélio Abreu Lima e Lilian Maria de Sousa Matos que não sabem que para todo o seletivo existe uma fase de análise documental para validar o que o candidato no seletivo diz possuir como pontuação. Antes de vocês dois denunciarem besteiras com o nome dos outros, procurem se classificar melhor! Lembro dos dois do CEST e sei que tem um aí que só vive mendigando contratinho no interior pq aqui na grande ilha iria passar fome só de incompetência! e quer passar em seletivo? Me poupe. Bota a culpa na empresa mesmo que é mais fácil de admitir que não tem capacidade. Beijos no ombrinho prós dois. Kkkkkk

  3. Isso aconteceu não só para o presidente vargas, mas para todas as unidades… É só fazer um comparativo com os editais lançados. Na unidade mista Maiobão, por exemplo, foram classificados 17 enfermeiros, na primeira convocação chamaram 14. E agora, sabe se lá como, chamaram o 18, 19,20,21 e 22, sendo que esses não constam em nenhuma lista de aprovados, sequer nos pré aprovados.

    O mesmo com farmacêutico, chamaram 1 e 2, apenas 5 classificados, e agora, como numa mágica, chamam o 6, que tbem não consta nos editais.

    Aí é muita cara de pau.

  4. Agora , para a oligarquia, todas as empresas são fraudadoras do erário público, e não existe mais pessoas honestas, vez que o. último peixe foi levado coercitivamente à polícia federal para receber sermões!

  5. Abacaxi danado esse que o governo Flávio Dino se meteu!

    Sem o ICN operando abruptamente e outras OSCIPs, como é que ficarão o funcionamento dessas unidades hospitalares? de cabeça pra baixo né!!! Vejam que tudo já vinha funcionando muito precariamente!

    Irão contratar outros Institutos em regime emergência?? A lei e a justiça vão permitir isso?

    Ademais, como é sabido, subsiste ainda um grande gargalo pra ser resolvido. Pois o dia que se acabar com essas malfadadas terceirizações na saúde do Maranhão, realizando concursos para admissão de pessoal, coisa que levará bastante tempo pra ser implementado, o estado deixará de cumprir o limite imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal. E Isso o próprio governador Flávio Dino fazia alusões em campanha sobre o aumento de despesas de pessoal com o fim das terceirizações na Saúde.

    Interessante observar, segundo o MPF, é que os desvios que pesam sobre Ricardo Murad proveem das tais terceirizações! Então pergunta-se: no governo Flávio Dino não estariam ocorrendo os mesmos desvios, mediante a contratação das mesmas OSCIPs? Apenas as contratações estariam ilegais???? E se foram contratadas ilegalmente, então não houve improbidade administrativa do governo atual?

    Quer dizer também que quando o ICN passou a ser contratado pelo governo Dino, ele virou anjo de candura!! Brincadeira!!! Será que só essa rescisão contratual vai resolver tudo??? E o governo Dino sai ileso dessa contratação também irregular????

    Por outro lado, o pedido de rescisão contratual de iniciativa do próprio judiciário já denota que a contratação realizada pelo governo foi ilegal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *