0

Ribamar Alves cobra celeridade em obras do hospital regional de Santa Inês…

Governador Flávio Dino prometeu inauguração para o final de dezembro, mas o prefeito está preocupado com o exíguo prazo para conclusão das obras

 

Alguns prédios do hospital ainda estão em estado "cru", sem nenhum tipo de revestimento

Alguns prédios do hospital ainda estão em estado “cru”, sem nenhum tipo de revestimento

Em visita às obras do hospital regional de Santa Inês, às margens da BR-316, o prefeito Ribamar Alves demonstrou preocupação com relação à conclusão das obras até o prazo estipulado pela Secretaria Estadual de Saúde para que o hospital seja inaugurado.

O Governo do Estado anunciou através de sua assessoria de imprensa que a inauguração está prevista para o dia 28 de dezembro.

Áreas de pátio inteiras ainda estão precisando serem feitas

Áreas de pátio inteiras ainda estão precisando ser feitas

Acompanhado da primeira-dama Luana Alves, o prefeito de Santa Inês esteve na última segunda-feira, 23, visitando as instalações do hospital, e verificou que a equipe de operários da executora das obras corre contra o tempo para concluir os trabalhos.

Observando os detalhes da construção, Ribamar Alves prevê que dificilmente as obras estarão concluídas na data prometida pelo governador Flávio Dino para ser entregue à população. O prefeito ficou de se reunir com o secretário de Saúde, Marcos Pacheco, ainda esta semana, para lhe explicar como está o andamento das obras e cobrar celeridade na inauguração do hospital.

Médico, o prefeito Ribamar Alves viu que a parte interna ainda está em estágio primário

Médico, o prefeito Ribamar Alves viu que a parte interna ainda está em estágio primário

Agora denominado hospital regional de Santa Inês, o hospital possui 100 leitos de internação em enfermarias, 12 leitos de UTI, quatro salas de cirurgia, uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) funcionando 24 horas, e central de imagem com exames de ultrassom, raio-x, endoscopia e mamografia, além de laboratório de análises clínicas.

O projeto dispõe, ainda, de lavanderia, cozinha, reservatórios de água, tratamento de esgoto, subestação e poços artesianos próprios.

A assinatura da Ordem de Serviço para a construção do então Hospital Macrorregional de Santa Inês ocorreu no dia 20 de março de 2013.

Marco Aurélio D'Eça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *