8

Não adianta tentar se explicar…

Pedro Lucas Fernandes e Roberto Rocha Júnior tentam, sem sucesso, convencer a população de que agiram certo ao votar contra a obrigatoriedade de dotar 50% da frota de ônibus com ar-condicionado

 

Pedro Lucas foi o primeiro a usar o argumento do aumento de custos: sem fundamentação

Pedro Lucas foi o primeiro a usar o argumento do aumento de custos: sem fundamentação

Os vereadores Pedro Lucas Fernandes (PTB) e Roberto Rocha Júnior (PSB) parecem ter acusado o golpe da repercussão negativa de suas próprias ações.

Os dois votaram contra uma emenda do colega Honorato Fernandes (PT) ao projeto de Licitação do Transporte, que obrigada as empresa a dotar, pelo menos 50% da frota, com ar-condicionado.

Fernandes tem insistido na tecla de que votou contra por que teme que as empresas queiram aumentar passagem por causa do equipamento.

Não convenceu.

Rocha Júnior copiou a justificativa do colega sem pesquisar antes

Rocha Júnior copiou a justificativa do colega sem pesquisar antes

Uma semana depois do episódio, Rocha Júnior também usou o mesmo argumento da ameaça de aumento da passagem.

Nenhum dos dois vereadores apresentaram qualquer dado técnico que sustentasse suas justificativas.

Até por que, veículos dotados deste equipamento até recebem incentivos para a compra. E muitas fábricas já dispõem de modelos com este item de série.

Se o argumento fosse o do aumento no consumo de combustível, outra balela.

Estudos técnicos mostram que um veículo com as janelas abertas gasta mais combustível do que o mesmo veículo com o ar-condicionado ligado, já que a entrada de vento pelas janelas força o motor, por causa da resistência do ar. (Leia aqui)

As desculpas dos dois vereadores, portanto, não parecem lógicas.

E eles vão ter que se virar para convencer o eleitor…

Marco Aurélio D'Eça

8 Comments

  1. Muito responsável a postura desses vereadores. O que vem depois desse “benefício” é o aumento da tarifa sim.

  2. Esses dois vereadores deveriam lançar um projeto para redução no preço da passagem de ônibus, já que no inicio da gestão de Holandinha as empresas de ônibus tiveram rum grande beneficio com a redução na alíquota do Imposto sobre Serviço – ISS. O presente foi tão bom que a alíquota que era de 5% passou para 1%. E os vereadores sabem dessa irregularidade e ficam calados. eles sabem também que a redução vai de encontro a Legalidade.
    O mais intrigante, é qual o interesse da irregularidade mantida pelo prefeito?

  3. Deixa ver se eu entendi direito…
    Tu tá lá na Câmara Municipal, debatendo por horas e horas sobre o projeto de Lei Complementar que trata da licitação do transporte público (algo inédito nos últimos tempos), projeto esse amparado por estudos de impacto financeiro e orçamentário (como determinam a CF e a LRF)…
    E aí PAHH!!!
    Um Nobre Edil, sem qualquer estudo técnico, planilha de custos, um rabisco no papel que seja, resolve propor que metade da frota contratada tenha ar-condicionado instalado?! É isso mesmo?!
    – quanto isso vai custar, Excelência?!
    – sei não…
    – quem vai pagar a conta?!
    – rapaz…
    Fala sério Marco!!!! rs…
    Quero deixar aqui os meus parabéns aos vereadores Pedro Lucas e Rocha Jr. e a todos os outros que acompanharam essa postura prudente com o erário e respeitosa diante da nossa legislação.
    Nesse momento, o que mais necessitamos é de representantes que tenham o pé no chão e entendam que é preciso caminhar com firmeza, para que não tenhamos novamente que dar passos para trás…
    Sou favorável a todo tipo de melhorias para a população, nas mais diversas áreas, mas totalmente contrário à adoção de medidas imprudentes, cuja conta eu tenha sempre que pagar mais adiante…
    Com esse episódio, fica claro que atuar em prol da população e simplesmente “jogar pra galera” são coisas totalmente diferentes.
    Agradeço desde já a oportunidade.

  4. A não aprovação da obrigatoriedade de climatização de boa parte dos ônibus, os vereadores que votaram mais uma vez contra o povo, esquecem que desde o inicio da gestão do prefeito Edivaldo Holanda os empresários de ônibus só pagam 1% do Imposto Sobre Serviço – ISS, fato esse que vai totalmente de encontro à legalidade da Lei. Tendo assim, crescimento na lucratividade dos empresários.
    No inicio da gestão o prefeito disse que o ato iria prejudicar sua administração, mais já se passam quase três anos de sua gestão e o problema nunca foi resolvido. Mais será por quer não revogou a Lei como foi falado na matéria publicada na imprensa?

    • Você conhece a cidade de Timon? veja lá. Você anda de ônibus rotineiramente? Experimente. Você é empresário ou gerente de empresa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *