3

As facções criminosas; um resgaste histórico no Maranhão…

Ainda no início da campanha de 2014 este blog começou a levantar suspeitas do envolvimento de agentes públicos e políticos com facções criminosas; dois anos depois, essas suspeitas ganham ares oficiais com a denúncia da Sociedade Maranhense dos Direitos Humanos

 

ônibus queimado em São Luís; virou rotina na época de campanha

ônibus queimado em São Luís; virou rotina na época de campanha

21 de janeiro de 2014 – Este blog publica o post  “Direitos Humanos da OAB aponta Sindspen como responsável pelo caos em Pedrinhas…”.

Era o início do ano eleitoral e o estado estava em ebulição com constantes ataques a ônibus e rebeliões em Pedrinhas, que ganhavam repercussão nacional e internacional encomendada pelos adversários do governo.

O post do blog se baseou em entrevista do então presidente da comissão, Antonio Pedrosa, à jornalista Mônica Manir, do jornal O Estado de S. Paulo, a quem ele declarou:

– Essa visão de ressocialização entrou em confronto com esse segmento dos agentes penitenciários, ainda mais quando se descobriu a corrupção endêmica que havia dentro dos presídios. Uchôa substituiu os diretores ligados aos sindicatos e aí, coincidentemente, começaram as mortes. Claro que, se não houvesse facções, elas não tinham começado. Mas as facções foram organizadas com o apoio desses segmentos de agentes. (Releia a íntegra aqui)

29 de janeiro de 2014 – Nova postagem do blog revela que o então secretário do sistema penitenciário, Sebastião Uchôa, interceptou conversas telefônicas de membros do Sindspen com líderes de facções criminosas em Pedrinhas. (Releia aqui)

A denúncia, gravíssima, nunca foi apurada pela Secretaria de Segurança, mesmo diante de vários ofícios encaminhados por Uchôa.

Detalhe: todos os acusados atuam hoje exatamente no sistema de Segurança e na penitenciária.

Mas os ataques e as ações criminosas já vinham desde 2103.

Tanto que, em 10 de janeiro de 2014, antes mesmo das primeiras denúncias de envolvimento de agentes políticos com as facções, o então deputado federal Chiquinho Escórcio (PMDB) encaminhou Ofício à Câmara cobrando explicações da Embratur sobre contratos publicitários.

O assunto foi tratado no post “Chiquinho Escórcio cobra explicações sobre contratos da Embratur…”.

Por levantar estes questionamentos, o titular deste blog foi processado pelo então candidato a governador Flávio Dino (PCdoB), em ação que nunca andou na Justiça do Maranhão.

O tempo passou, o comunista foi eleito e cessaram o caos em Pedrinhas, os ataques a ônibus e os arrastões nas ruas de São Luís.

Flávio Dino, seus aliados políticos e membros do Sindspen denunciados oficialmente por envolvimento com facções: tudo engavetado

Dino, seus aliados e membros do Sindspen denunciados oficialmente por envolvimento com facções: engavetado

Agora aparece novamente o mesmo Antonio Pedrosa, ligado aos Direitos Humanos, acusando diretamente o governo Flávio Dino de fazer acordo com facções criminosas para manter Pedrinhas sob controle.

– A sociedade paga um preço muito alto com isso aqui fora, com a diversificação das ações criminosas, onde as facções operam os assaltos a ônibus, os latrocínios e as explosões de banco com muito maior intensidade – afirma Pedrosa. (Releia aqui)

Diante de todo este levantamento histórico, é imprescindível uma investigação federal isenta em Pedrinhas, como propôs o deputado federal Hildo Rocha (PMDB).

Por que, gostem ou não o governador e seus aliados, os fatos estão aí para serem mostrados.

E as coincidências podem não ser meras coincidências…

Marco Aurélio D'Eça

3 Comments

  1. Nossa, como esses jornalista de oposição são fracos mesmos. Só produzem noticias Fakes o tempo todo.

  2. Está aí pessoal. Essa a desculpa do grupo Sarney para sua incompetência na segurança que levaram a criação do Bonde dos 40 e do PCM. Sempre jogando a culpa nos adversários. O caos na segurança que estrelou com crianças queimando dentro dos ônibus é inteira culpa do Grupo Sarney e todo mundo sabe disso.

  3. Caro Marco, a coisa aqui está muito estranha. Primeiro q nós que entramos pelo seletivo, fora aqueles que já eram amigos da casa, somos tratados feito lixo, somos tratados piores que os internos. Aqui está havendo muitas concessoes, coisas que nunca se viu. esse historia de TV para os bons comportados é só mentira, os piores tb tem. o secretario achou uma forma de tornar legal essa regalia. celular é o que mais tem aqui, 80% dos presos usam celulares aqui. nos dias de visita, tem gente que recebe verdadeiros supermercados, sacolas e mais sacolas e muitas entram na base da “vista grossa” as brigas que estão havendo aqui estão sendo abafadas. até o contrato de funeraria foi aditivado. esse padre é um gastador, dá carro alugado pra todo mundo, até pra quem não trabalha em pedrinhas. a farra de carros é muito grande. pagar nós ninguem se interessa, sempr e atrasado. obras e mais obras dentro do sistema, tem gente pra fiscalizar e tirar fotos dessas obras do que gente pra trabalhar e u sar dos beneficios. cada hora muda diretor e cada um que chega muda uma parede e pede obras… isso aqui está um caos
    tenho pena desse governo, pois essa bomba vai cair a qualquer momento no colo dele. esse murilo não passa de um cala boca de preso. agir e trazer melhorias não é o forte dessa dupla de secretarios mineiros.
    essa mulher é uma descompensada, trata todo mundo feito cachorro.
    será que ninguem vai ter misericordia de nos funcionários?
    Pedrosa, mande inverstigar essas concessoes por favor.
    o governo diz que é a secretaria que mais apresentou progressos em seu governo. Mas progresso pra quem?
    as saídas tb debem ser inverstigadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *