4

Mas, afinal, por que querem afastar Waldir?!?

Começa a soar preconceituosa a pressão da chamada elite da política de Brasília na tentativa e afastar o presidente interino da Câmara Federal; se ele não servia para a presidência, não deveria ter servido, também, para a vice-presidência

 

Tem ganhado ares de puro preconceito a pressão da chamada elite política brasileira para que o presidente interino da Câmara Federal, deputado federal Waldir Maranhão (PP), se afaste do cargo.

Ora, se Waldir Maranhão não serve para ser presidente, por que o elegeram vice-presidente?

É puro preconceito achar que o deputado – duas vezes reitor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) – seja um tolo.

Tolos não se elegem deputado federal.

No cargo já há mais de 10 dias, o deputado maranhense tem demonstrado, na verdade, uma capacidade de resistência digna dos líderes do Congresso.

Maranhão sabe da importância estratégica de seu cargo neste momento de transição política e não vai entregar o poder de mão beijada.

Se quiserem, que o arranquem de lá a fórceps.

Mas parece estar se tornando cada vez mais difícil esta missão, diante da demonstração de uma outra característica do pepessista: o forte poder de articulação, que se contrapõe às raposas paulistas.

Aliados do presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), já demonstram interesse na manutenção de Waldir Maranhão.Membros experientes da mesa, como Beto Mansur (PP-SP), também já admitem conviver com ele.

E os emissários do presidente Michel Temer (PMDB) já sabem que, neste momento, é tolice brigar com quem tem o poder de conduzir a pauta da Câmara, fundamental para as reformas do novo governo.

Waldir Maranhão resiste a mais um final de semana no segundo posto mais importante da República atualmente.

E parece também não se dobrar ao preconceito…

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. Gostaria de ter lido os tais preconceitos, contidos nas pressões feitas pelos opositores do Sr Waldir Maranhão. Mas li o post e até agora, não os li. As pressões se dão por conta do despreparo e falta de vontade própria do deputado. Ser reitor, por escolha do governador, em uma lista tríplice duvidosa é demérito. Ser professor fantasma e ensinar o filho a achincalhar o erário público, mentindo descaradamente, tb não o coloca como digno. Fora a idiotice que ele fez assim que sentou seu nobre traseiro na cadeira de presidente da câmara. O que define este Sr? Vergonha. Ou melhor, a falta dela.

  2. Essa sua pergunta…, como ele se elegeu a deputado sendo duas vezez reitor da UEMA, pergunta aos funcionérios de lá,
    O cara é muito fraco, e ainda é marionete de outros políticos. Será que ele não tem acessores e advogados para orienta-los sobre essa merda que ele fez.

  3. Preconceito Marco?? Por favor… Esse senhor pode até ter sido reitor e ter sido eleito várias vezes para a Câmara mas, com certeza, é um desses pulhas na política que, por sorte ou azar, chegaram onde chegaram. As atitudes demonstram a sua total incapacidade de comandar a Casa… Pessoas assim é que fazer crescer o preconceito contra as nordestinos, pois fazem merda atrás de merda…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *