4

Os esquemas da Leiaute no Maranhão…

Empresa bahiana que agora ganhou mais R$ 3,5 milhões em contratos no Porto do Itaqui, presta serviços em campanhas do governador Flávio Dino desde 2010, numa relação marcada por interesses contrariados e pressões de lado a lado

 

A logomarca da Leiaute: ações no Maranhão desde 2010

A logomarca da Leiaute: ações no Maranhão desde 2010

O contrato de R$ 3,5 milhões da empresa Leiaute Propaganda é apenas mais um benefício da relação que a empresa tem com o governador Flávio Dino (PCdoB) desde sua campanha eleitoral de 2010.

Este blog acompanha desde então os negócios da empresa bahiana e seus agentes. Uma relação, diga-se de passagem, conturbada e recheada de interesses contrariados de lado a lado.

Em 2013, após eleição do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), este blog chegou a apontar que a Leiaute venceria uma licitação na Prefeitura de São Luís, em 2013, o que de fato ocorreu exatamente nos moldes em que contou o post “A Crônica de um golpe anunciado…”

Já na campanha de 2014, a Leiaute voltou a atuar com Flávio Dino.

Mas algo deu errado na relação, o que levou a empresa a perder espaços no governo comunista, a  ponto de questionar judicialmente o resultado de uma licitação da qual participou na Secretaria de Comunicação Social.  (Releia aqui)

A relação entre Leiaute e Flávio Dino chegou a derrubar dois auxiliares do governador.

Em julho de 2015, caiu o então presidente da Comissão de Licitação do governo, Paulo Guilherme Araújo, que acompanha o governador desde os tempos em que o comunista comandava a Embratur.

A história também foi contada neste blog, no post “Crise na Secom derruba braço direito de Dino na CCL..”.

Depois, o próprio Robson Paz, que chefiava a Secom, também foi destituído, ficando subordinado diretamente ao lugar-tenente do governador, o jornalista Márcio Jerry, que acumulou Comunicação e Articulação Política.

Agora, a Leiaute finalmente ganha um contrato no governo, de R$ 3,5 milhões para cuidar da Emap.

Como se as coisas começassem a caminhar do seu jeito…

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. Se foi tudo dentro da legalidade qual a irregularidade nesse ato? Ainda não consegui detectar problema algum.

  2. Ainda não vi fraude alguma nisso, pois não existe lei que proíba empresas que doem dinheiro para campanhas participarem de licitações, me corrija se estiver errado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *