2

ISEC está obrigando contratados a abrir mão de seus direitos para receber parte dos atrasados…

Após denúncia de que os R$ 33 milhões do contrato com o instituto foram usados para comprar apoio ao prefeito Edivaldo Júnior, pessoal com carteira assinada foi chamado para assinar carta de próprio punho desfazendo-se de parte do que tinham a receber

 

Imagem mostra contratado assinando pedido de demissão exigido pelo ISEC

Imagem exclusiva mostra contratado assinando pedido de demissão exigido pelo ISEC

exclusivoA declaração abaixo é de uma das contratadas do Instituto Superior de Educação Continuada (ISEC) que não recebe seu salário há sete meses.

Eles não vão pagar os sete meses de atraso em carteira. Estão exigindo que a gente faça uma carta, de próprio punho, pedindo o desligamento. E só vão pagar o mês de fevereiro, mais 1/3 de férias e 1/3 do 13º, com data de 29 de fevereiro na carta”, revelou A. G. S.

A mulher é uma das centenas de indicadas por vereadores para receber salários do ISEC.

A elaboração e o preenchimento da carta pode ser vista na imagem que ilustra este post, feita na última quarta-feira, quando dezenas de contratados foram chamados à sede do instituto.

O depoimento de A.G.S. mostra o clima que se firmou no instituto desde que o ex-juiz da Ficha Limpa, Marlon Reis, pediu ao TRE a cassação do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), pelo desvio dos R$ 33 milhões do contrato, apontado como o maior esquema de corrupção eleitoral já desbaratado em uma eleição municipal em São Luís.

De acordo com o que contou a mulher – que não quis se identificar publicamente, mas deixou seus dados com o titular do blog – o clima no ISEC é de pressão sobre os contratados, sobretudo os indicados por vereadores e lideranças partidárias.

– Eles obrigam a gente a fazer a carta por que afirmam que as denúncias não vão dar em nada. E dizem que é melhor pedir o desligamento e entregar a carteira para dar baixa. Fiz isso na quinta-feira – revelou a ex-contratada, sem definir a qual quinta-feira se referia.

O contrato com o ISEC foi firmado em julho de 2015, ao custo total de R$ 33,2 milhões.

Além da denúncia que pode resultar no afastamento de Edivaldo da campanha eleitoral, o caso está sendo investigado pelo Ministério Público.

E pode resultar também em ação criminal contra o prefeito…

Marco Aurélio D'Eça

2 Comments

  1. eita Edivaldinho se essa galera for procurar o Marlon Reis e contar toda a história para assegurar direitos trabalhistas, vai servir de base e fundamentação para outras coisitas mais ….

    A casa caiu / A farsa acabou / e teve alguém que sefuuu ….

  2. Quem for funcionário do ISEC e tiver nessa situação de constrangimento, procurem o escritório de advocacia do Marlon Reis e por favor não peguem essa carteira de trabalho de volta, deixa lá com eles porque vocês vão receber tudo atualizado com juros, danos morais e outros direitos ….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *