4

Erros que ressuscitaram Edivaldo Júnior…

Guerra fratricida entre candidatos do mesmo campo político, falta de planejamento das campanhas e um intenso uso da máquina da prefeitura e do governo, em todos os aspectos, fizeram o prefeito renascer de uma gestão medíocre para praticamente vencer a eleição em 1º turno

 

Edivaldo: de morto e enterrado a herói do povo ludovicense

Edivaldo: de morto e enterrado a herói do povo ludovicense

É quase uma unanimidade entre analistas políticos, população e formadores de opinião: a gestão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) em São Luís foi péssima, medíocre, incapaz de resolver os problemas históricos da cidade.

Mesmo assim, ele pode ser reeleito em primeiro turno no dia 2 de outubro.

Como explicar o paradoxo?

Uma conjunção de erros, falta de planejamento e arrogância dos seus adversários – combinado com um uso da máquina pública em proporções nunca vistas – levaram Holandinha da condição de pária a herói do povo ludovicense.

Os erros começaram com a deputada Eliziane Gama (PPS).

Candidata a prefeita desde o fim das eleições de 2012, a deputada federal era a favorita para ser eleita agora, mas não planejou em nenhum aspecto a sua campanha. Negligenciou todos os fatores que formam um bom palanque – partido, mídia, estrutura, aliados… – e acabou esvaziando-se ao longo do período eleitoral.

Eliziane e Wellington: de aliado a adversários fratricidas

Eliziane e Wellington: de aliado a adversários fratricidas

A candidatura do próprio Wellington do Curso (PP) é fruto de um erro de Eliziane.

Até abril de 2016, Wellington era membro do PPS e aliado destacado de Eliziane na Assembleia Legislativa. A falta de articulação da deputada com sua base levou o parlamentar a deixar a legenda e abrir uma nova frente de interesse na disputa municipal.

Saído de uma hora para outra como candidato, Wellington atraiu o PSB não por seus belos olhos, mas por pura falta de opção do partido do senador Roberto Rocha, que se ressentiu com Eliziane e perdeu espaço no grupo que controla Edivaldo Júnior (PDT).

Combinado com o erro da principal adversária, Edivaldo foi literalmente ao mercado, em busca de apoios, atraindo o maior número possível de partidos em troca de cargos e outras benesses.

Obras como esta, iniciada ontem no Coroado, tentam comprar a consciência do eleitor ás vésperas da eleição

Obras como esta, iniciada no Coroado, tentam comprar consciências às vésperas da eleição

Aliado a isso, teve o derrame histórico de dinheiro por parte do governo, para que o prefeito pudesse jogar o entorpecente asfalto na periferia de São Luís, comprando votos com obra de última hora.

A compra continuou na mídia, com a montagem de uma poderosa rede de comunicação, capaz de qualquer coisa para garantir a vitória do prefeito.

E deu no que deu.

Todo este conjunto de fatores somado à omissão do Ministério Público Eleitoral e à leniência da Justiça, fizeram um prefeito morto, derrotado e rejeitado ressuscitar para manter-se no poder por mais quatro anos.

E é isso que se desenha aos olhos do povo…

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. Vc fala que Edivaldo não foi “capaz de resolver problemas históriscos” olha o tamanho da incoerência dessa colocação. Sei que vc é pago para escrever dessa forma, mas não creio que vc realmente acredite nisso no que escreva. Na omissão que São Luís se encontrava em pratricamente todos os seus quase 500 bairros, na área da Saúde, Educação, Transporte e afins, Edivaldo fez foi muito. E acredito que os trabalhos tendem a continuar, seria burrice sim, arriscar o que já está sendo posto em prática, por Eliziane ou o transloucado WC.

  2. O erro maior é continuar assistindo passivamente o prefeito mentir desavergonhadamente e ninguém tomar medidas e coragem para desmascara-lo.
    O mestre da propaganda nazista disse : “uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”.
    Acorda Povo!

  3. Ta reclamando de que, vcs sempre fizeram isso, na época de do último governo estadual, a maquina funcionava como um rolo compressor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *