4

Assis Ramos cobra liberdade do major preso a mando de Flávio Dino…

População de Imperatriz realizará ato público, nesta sexta-feira,  em defesa do oficial da PM preso por se recusar a fazer campanha pela candidata do governador em Imperatriz

 

Assis Ramos na tribuna da Câmara: "absurdo"

Assis Ramos na tribuna da Câmara: “absurdo”

O prefeito eleito de Imperatriz, Assis Ramos (PMDB), classificou e absurda a situação do major Janilson Lindoso, preso por insubordinação após se recusar a atuar na campanha da candidata do governador Flávio Dino (PCdoB) em Imperatriz.

Em discurso na Câmara de Imperatriz, Ramos disse que o oficial da Polícia Militar está sendo submetido ao mais humilhante tratamento.

– O major Janilson) está incomunicável com sua família, situação que passa dos limites, pois não acredito que a dona Greycivane esteja fazendo qualquer teatro, pois a prisão de fato aconteceu – disse ele, que conclamou apoio aos vereadores para sensibilizar o governo estadual.

O vereador Enoc Serafim (PSDB) propôs à Mesa Diretora da Câmara de Imperatriz que encaminhe ofício ao governador e ao comandante-geral da PMMA – assinado por todos os 21 vereadores – para a soltura do major Janilson Lindoso.

Nesta sexta-feira, a população de Imperatriz realiza ato público de protesto á ação do governo contra o oficial da PM, a partir da 9h, em frente ao Estádio Frei Epifânio D’Abadia.

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. A arbitrariedade está tão grande que a sua prisão que era disciplinar já foi transformada em preventiva e já estão nomeando o conselho de Justifiçao tudo para colocar o Major para fora da PMMA. Isso tudo é para agradar quem? Lógico que é a Dino Saruê. Nunca tivemos um posicionamento tão rápido do comando PMMA. A celeridade e o interesse de punir o Major Janilson vem como uma retaliação pelo resultado das eleições na Cidade de Imperatriz.

  2. Já tivemos momentos muito difíceis dentro da PMMA, mas o oficialato jamais passou por um falta de respeito tão grande por parte de um governador e, ainda pior, com a conivência do Comandante Geral da Instituição.
    O constrangimento que o Major Janilson está passando, reflete em todos nós oficiais, que estamos passivos a transgredir e errar a qualquer momento na vida.
    Esse constrangimento patrocinado pelo governador e o comandante, é impensado. O descaso com o oficial começou com a transferência para a capital no período eleitoral, onde o mesmo se encontrava de licença prêmio, e o pior foi a sua condução, algemado e amarrado dentro de um helicóptero, posteriormente colocado dentro de um xadrez comum, junto com presos condenados pela justiça, no presidio chamado de Manelão. Tudo feito de maneira arbitrária sem o reconhecimento dos seus direitos de Oficial superior. Não estou defendendo o Major nem deixando de reconhecer as suas transgressões, pelas quais terá que responder. Defendo, sim, o reconhecimento das suas prerrogativas e a sua valorização como oficial superior da briosa Policia Militar do Maranhão.
    Nessa instituição secular temos exemplos bem práticos de preservação de direitos. Já tivemos oficiais subalterno, intermediário e superior, como os caras pintadas, que se insubordinaram contra o governo Cafeteira, já tivemos oficiais suspeitos por envolvimento com crimes, muito mais graves que uma simples transgressão disciplinar, foram punidos como rege o Regulamento Disciplinar, porém tratados dignamente como oficiais e tendo seus direitos preservados.
    Hoje o que se vê, é uma falta de posicionamento e omissão do
    Estado Maior da PM que se cala e aceita essa humilhação que estão fazendo com um oficial dessa histórica instituição.
    “Ninguém montará em cima de nós se não nos curvarmos”.
    Martin Luther King

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *