10

Movimentos de sarneysistas indicam que o PMDB apoia discretamente Edivaldo contra Braide…

sarneysistas e Edivaldo Júnior: discreto apoio

sarneysistas e Edivaldo Júnior: discreto apoio

Por Ribamar Corrêa

Por mais que se esforcem, muitos observadores experimentados não conseguem entender o papel do Grupo Sarney, particularmente o do PMDB, na segunda etapa da corrida para a Prefeitura de São Luís.

Está com Edivaldo Jr. (PDT) ou com Eduardo Braide (PMN)?

O que ganha apoiando um ou outro ou ficando neutro?

Desde que foram abertas as articulações para a formação de chapas para disputar a cadeira principal do Palácio de la Ravardière, os líderes sarneysistas têm protagonizado uma sucessão de movimentos que nem de longe lembram lances de líderes políticos articulados, que mexiam as pedras do tabuleiro com precisão matemática, quase sempre desconcertando adversários e levando a melhor nas urnas.

Nessas eleições, o grupo liderado pela ex-governadora Roseana Sarney, que tem como orientador-mor o ainda lúcido e ativo ex-presidente José Sarney, e como operador mais eficiente o senador João Aberto, que preside o PMDB, jogou tão mau em São Luís, que não conseguiu sequer eleger um único vereador.

Nesta 2º turno, de novo o Grupo Sarney parece ter rumo, como movimentos furta-cores, sem transparência, indicando estar se movimentando em favor do prefeito Edivaldo Jr., mas também parece dar passos em direção a Eduardo Braide, e, aqui e ali, dando impressão de que está neutro.

Nada de jogo aberto.

Nove entre 10 observadores interpretaram o discurso do deputado estadual Adriano Sarney (PV) criticando a Eduardo Braide por dizer que não é sarneysista – declarações que ele não dera, como afirmar que não queria o apoio do PMDB.

O pretexto de cobrar “transparência” na campanha e de defender o nome da sua família não convenceu a ninguém.

E a leitura que foi feita pela esmagadora maioria dos observadores foi a de que o discurso foi uma estratégia para favorecer o prefeito Edivaldo Jr., já que a intenção foi cristalina: prejudicar Eduardo Braide, mesmo sem um naco de razão.

O estratagema para prejudicar o candidato do PMN prosseguiu com declarações do próprio senador João Alberto ao fazer no senado um desmentido sem sentido a Eduardo Braide.

Nas últimas 72 horas, todas as conversas de roda política apontam o PMDB articulando apoio por “debaixo do pano” para Edivaldo Jr. e, com isso, ajudando a minar os passos de Eduardo Braide. Continue lendo aqui…

Marco Aurélio D'Eça

10 Comments

  1. Ribamar Corrêa fez uma análise interessante, mas discordo que tenha ocorrido um “movimento sarneysista”. Essa expressão dá ideia de que as declarações de apoio ou críticas a um determinado candidato tenham partido de uma ação política coordenada pelo chamado Grupo Sarney. Entretanto, não há referências claras de que isso tenha ocorrido dessa forma. As declarações de Adriano Sarney sobre Eduardo Braide são exemplo disso. Imediatamente às declarações do deputado, os demais membros do tal Grupo Sarney não fizeram coro. Ao contrário, percebe-se que Adriano falou sozinho e assim o restante do grupo (PMDB e PV) permaneceu. Por outro lado, Adriano Sarney foi imediatamente apoiado pela base governista na Assembleia, a dizer: Rogério Cafeteira, Othelino Neto e Bira do Pindaré. Estes últimos, desde então, passaram a tecer críticas a Braide e às vésperas da votação declararam voto a Holanda Jr. Seguindo o raciocínio proposto pelo autor da postagem, seriam eles, da base de apoio a Flávio Dino na Assembleia, algo como sarneysistas de ocasião? Não, claro que não. Isso demonstra claramente que esse movimento governista, contra Braide, era articulado, coordenado, ou seja, uma situação diferente do que insinua a postagem no blog, de que o Grupo Sarney teria se unido para prejudicar Braide e, secreta e/ou involuntariamente, ajudar Holanda Jr.

    Resp.: Você está equivocado. Após declarações de Adriano, vários outros membros de peso do grupo também falaram a respeito. Exemplo João Alberto, Sarney Filho, Edinho Lobão. Mas o que estranhou é que essa mesma vigilância do legado de Sarney não moveu estes sarneysistas contra as declarações de Edivaldo contra o mesmo grupo Sarney. E foi isto que Corrêa abordou. Só isso.

    • Obrigado pela resposta. O que voce diz faz sentido. Eu não tinha me atendado para João Alberto, Sarney Filho e Edinho Lobão. Ainda assim fico em dúvida sobre se isso foi uma ação articulada em grupo ou se foram ações consequêntes às declarações de Adriano Sarney contra Braide. Por outro lado, esqueci de um detalhe, que talvez corrobore com a teoria de que o grupo Sarney tenha nos bastidores apoiado Edivaldo Jr. O detalhe é que o prefeito parecia preferir as entrevistas e o debate na TV Mirante do que nos outros meios de comunicação. Claro que isso não é suficiente para afirmar que o grupo Sarney o apoiava, mas é bastante para afirmar que isso deixou os antissarney de orelha em pé, creio eu.

  2. O medo da família Sarney (Adriano) e do grupo de Flavio Dino, é o surgimento de um líder natural com a vitória de Eduardo Braide, que já demonstrou ser um político coerente, como quer a população.

  3. Discordo sobre a sua opinião. O deputado Adriano é digno de respeito e admiração pela postura honrada e nobre ao falar a verdade dos fatos. Não é isso que povo tanto espera dos políticos? É o que estamos precisando, ideais, ideologia, coerência, ética e princípios coisa que alguns, senão a maioria não tem.

  4. O deputado Adriano Sarney está de parabéns! Sua postura deveria servir de exemplo a muitos. Pois demonstra compromisso com a coerência na política. Afinal, os 02 candidatos a prefeito são do grupo comunista de Flávio Dino. A diferença que um é totalmente capacho e outro posa de independente. Caso contrário, representaria a negação daquilo que ele tem combatido ao longo do seu mandato.

    #adrianomerepresenta

  5. Caro Marco D’Eça, com todo o respeito que tenho pelo Correa, não concordo com a sua interpretação. Estou colocando em prática uma mudança de paradigma. Daqui para frente será diferente. Chega de porrada, família Sarney não é saco de pancada. Por não termos atitudes como a minha, vingou o falacioso discurso da oligarquia e dos 50 anos. No mais, acordos agora serão as claras. Inovar como foi a Sabatina Verde é necessário e bom para a política. Braide errou ao tentar minimizar o grupo Sarney em seu programa eleitoral e pasmem, “acusar” Edivaldo de ser sarneyista. Ele não é e eu não aceito apoiar Edivaldo, um tutelado do governador. O ciclo da alternância nos ensina com essa lambança que está aí, governo comunista e gestão municipal inertes. Mudança só na propaganda. Tudo farinha do mesmo saco!

    Resp.:Meu caro deputado,
    O termo “acusar” foi usado pelo próprio Edivaldo Júnior, quando afirmou em seu programa: “meu adversário ME ACUSA de ser apoiado pelo grupo Sarney”. E não vi de vossa excelência, com todo o respeito, nenhum contraponto à postura do prefeito, que, data venha, tem o apoio oficial do diretório municipal do PMDB e de vários aliados do senador João Alberto de Sousa, que é um dos mais respeitados sarneysistas maranhenses, como destacou o próprio Corrêa em sua lúcida análise. No mais, grato pela participação.

  6. TODOS OS PODEROSOS CONTRA BRAIDE ESPERO QUE O POVO CONSIGA ENXERGAR ISSO, EU SOU DO POVO EU VOTO CONSCIENTE, EU NÃO TROCO MEU VOTO POR GASOLINA, EU NÃO VENDO MEU VOTO EU VOTO BRAIDE EU VOTO 33

  7. Marcos, essa turma não ficam distante do poder, lembras da eleição da “casa do povo”?
    O grupo que fez a maior bancada votou em massa no candidato do governo, não é de se estranhar que eles trabalhem para eleger quem tem a máquina à sua disposição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *