8

Edivaldo Júnior não quer ser um novo Tadeu Palácio…

Prefeito sabe que, se não imprimir um ritmo de gestão com a sua cara, mostrando pulso para gerenciar e atitude de líder político, pode amargar o ostracismo a partir de 2020, quando deixar o posto no vazio entre dois pleitos

 

A imagem de insegurança perseguiu o prefeito no primeiro mandato

A imagem de insegurança perseguiu o prefeito no primeiro mandato

Pelo menos no discurso – não dele, mas dos aliados – o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) deve adotar nova postura político-administrativa em sua gestão a partir de janeiro.

Mais ágil, mais firme, mais presente, mais duro.

Fortemente desgastado nos primeiros quatro anos de gestão – a ponto de ser dado como morto político até antes de começar a campanha, que só venceu pelo uso ostensivo e exagerado da máquina administrativa – Holandinha quer mostrar a população uma mudança de perfil pessoal e profissional que lhe garanta estofo suficiente para seguir na vida pública a partir de 2020, quando encerra o segundo mandato.

O prefeito não disputará as eleições de 2018.

Ele próprio prometeu isso ao eleitor de São Luís durante a campanha, e mudar os planos no meio do mandato soaria como traição ao eleitor já desconfiado com sua insegurança. Além disso, nenhum posto em disputa daqui a dois anos tem tanta força para Edivaldo quanto o de prefeito da capital maranhense.

Leia também:

Edivaldo na versão “duro de matar”…

Holandinha tutelado…

Edivaldo Júnior é assim mesmo…

Uma imagem com perfil mais firme, mostrando mais segurança, começou a ser exibida na sabatina O Estado, no segundo turno

Uma imagem mais firme, mostrando mais segurança, começou a ser exibida na sabatina O Estado, no segundo turno

Se não conseguir construir uma imagem sólida  de liderança política – o que não foi feito nos quatro anos sob a tutela do governador Flávio Dino (PCdoB), Edivaldo corre o risco de ser um novo Tadeu Palácio, o ex-prefeito que chegou a se reeleger, mas amargou o ostracismo após o fim do segundo mandato.

E é por isso que cada vez mais aliados pregam uma mudança de perfil no Edivaldo do segundo mandato em relação ao do primeiro.

Mais forte, mais ágil, mais firme, mais presente.

Ele próprio, no entanto, e não apenas seus aliados, precisa dar mostras de que está neste caminho.

E o primeiro passo é tomar o controle absoluto de sua gestão.

Afinal, 2020 é logo ali…

Marco Aurélio D'Eça

8 Comments

  1. Se não quer ser um Tadeu Palácio é só não ir para o grupo Sarney….

  2. Não acho essa comparação adequada! Edivaldo Jr. pode ter muitos defeitos, mas já mostrou que é um politico de grupo, e vence eleições.

  3. Edivaldo tem todo o potencial para ser o melhor prefeito de São luis, como ja segue fazendo o melhor!! nem se compara com tadeu!

  4. Nunca vi em Edivaldo uma postura passiva. Pelo contrario, Ele é um prefeito atuante.

  5. Diferentemente de Tadeu, Edivaldo mostrou um novo jeito de fazer politica, mudou a vida das pessoas, carimbou a gestão em diversos segmentos da sociedade. Principalmente pela licitação de transporte que o mesmo Tadeu não se dipôs a fazer.

  6. E ele vem mostrado isso, mostrando seus trabalhos, projetos e visitas nas redes socias (que tem maior alcance) para a população.

  7. Acho engraçado que mesmo com todo esse “perfil fraco” que você diz que Edivaldo tem, ele foi unanimidade perante a maioria da população, e se reelegeu. E na medida do possível fez até uma boa gestão, imagina se ele fosse um “bom gestor no seu ponto de vista”, teria feito de São Luís uma Manhattan em 4 anos. Rs

  8. Tadeu se enterrou definitivamente na política depois da morte do ” pai” dele, Dr. Jackson Lago e principalmente depois que traiu o partido, o PDT. Maís ainda sim, não destratou a EDUCAÇÃO municipal como Edi-H.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *