11

Quem foi João Castelo?!?

Ex-governador, ex-senador e ex-prefeito, o deputado federal falecido neste domingo foi onipresente na política do Maranhão nos últimos 45 anos; e é um dos poucos líderes maranhenses da história com capital eleitoral cativo e consolidado

 

Em um dos seus últimos discursos na Câmara: presença sempre marcante em Brasília

Poucas lideranças políticas maranhenses têm o curriculum do deputado federal João Castelo (PSDB), falecido neste domingo, 11, em São Paulo.

Castelo esteve presente em todas as discussões eleitorais dos últimos 45 anos no Maranhão, sempre com índices altíssimos de intenção de voto. Foi um dos poucos líderes maranhenses com eleitorado cativo e consolidado, que o seguiu em todas as eleições que disputou.

Com dona Gardênia e os filhos Gardeninha e Joãozinho; o terceiro faleceu ainda jovem

Eleito deputado federal pela primeira vez em 1970, reelegeu-se em 74.

Em 1978 foi nomeado governador pelo presidente Ernesto Geisel.

Seu governo é considerado um dos três mais efetivos da história maranhense, ao lado dos governos José Sarney e Roseana Sarney. Juntamente com os dois peemedebistas, o tucano foi um dos responsáveis pela implantação das bases de modernização de São Luís.

Governador, ajudou a plantar as bases da modernização de São Luís

A força eleitoral de João Castelo era tão consistente que ele se dava ao luxo de passar períodos sem disputar eleições e, mesmo assim, quando voltava, sempre superava a casa do 100 mil votos em qualquer disputa.

Leia também:

Os tempos de Castelo e os tempos atuais…

João Castelo ontem e hoje…

Castelo inicia plano de obras em SL…

O tucano disputou três vezes a Prefeitura de São Luís, antes de ser eleito, em 2008, derrotando o atual governador Flávio Dino (PCdoB).

Com o papa João Paulo II, em 1981, em São Luís, quando exercia o governo

Mesmo já idoso e adoentado, o líder tucano continuou a demonstrar força eleitoral nas eleições deste ano, mantendo a segunda colocação enquanto figurou nas pesquisas de intenção de votos.

É certo afirmar, inclusive, que a desistência de Castelo da disputa também influenciou na vitória do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Castelo estava exercendo o quinto mandato de deputado federal, até sofrer um infarto e ser levado para o Hospital Sírio e Libanês, onde passou mais de 30 dias em coma.

Com o seu falecimento, assume mandato na Câmara Federal a suplente Luana Alves (PSB).

Mas esta é uma outra história…

Marco Aurélio D'Eça

11 Comments

  1. Um grande Maranhão para Todos, esse foi o legado e sempre será do nosso Governador JOÃO CASTELO RIBEIRO GONÇALVES, para sempre um amigo inseparável do povo maranhense. Que DEUS, o receba em seu Reino de LUZ e que a Dona Gardênia seja forte nesse momento de perda juntamente com filhos e parentes do Eterno Governador do Maranhão Sua Excelência Dr. João Castelo Ribeiro Gonçalves!

  2. Castelo não foi muito feliz a frente da prefeitura sua gestão foi um tanto desastrosa, mas não se podia negar seu capital político, enquanto alguns ainda desejam seu apoio, outros desdenhavam, mas esses atuais “representantes” maranhenses da política dificilmente chegarão ao patamar dele ou figurão por mais na vida pública. Meus sentimentos de pesar aos familiares e amigos.

  3. JOÃO CASTELO deixa registrado na sua passagem como homem público, pontos importantes, dos quais um não poderia deixar de o identificar: Ele sempre defendeu uma política de não desempregar, um dos exemplos foi quando traído por uns dos seus principais aliados, ou seja, por Edivaldo Holanda Jr, mesmo traído, fez questão de manter aproximadamente 400 funcionários na condição de SP na Prefeitura de São Luís repito do então na época Dep. Federal Edivaldo Holanda Jr. Essa é uma das provas maiores do carinho que ele tinha pelos maranhenses. JOÃO CASTELO jamais desempregou as pessoas. JOÃO CASTELO nunca deixou de pronunciar que tudo o que fez pelo Maranhão, foi pelo carinho à criatura humana frase que ele sempre repetia “CRIATURA HUMANA”. O legado de JOÃO CASTELO merece respeito. No ensejo, apresento em meu nome e da minha família, minhas condolências à sua família e amigos, onde todos possam ser confortados sob o amor e proteção do nosso Deus de Israel de séculos em séculos. Siga em paz ex-governador, ex-senador, ex-prefeito e ex-Dep. Federal falecido, pois o seu legado no Maranhão sempre será lembrado por quem tem senso de justiça.

  4. O Papa João Paulo II não esteve aqui em 1981,a sua visita ocorreu em 1991.

  5. Tanta falsidade… Deus mi livre, em vida João castelo era taxado de tudo que é coisa por adversarios politicos, e alguns bloqueiros, agora vem um monte desejar sentimentos kkkkkkkkkkk não era e não vai virar santo, agora se sou parente rejeitava em uma nota tambem os sentimentos de falsidade.

  6. Agora o remorso bate na alma daqueles que sempre caluniaram profundamente, somente nós períodos eleitorais, Castelo já não está entre nos para conceder o perdão a esses que tanto o agrediram, a inveja sempre bateram nos coraçoes dos que nunca na vida chegará ser o político que foi o grande Castelo, por tudo quer Castelo fez pelo povo do Maranhão, emprego, água, esporte, moradia, estrada, avenidas, com certeza tem o seu lugar reservado junto ao nosso Pai Eterno.

  7. Lamentável. João Castelo deixou sua marca como tocador de obras. Foi ele que solucionou o problema da buraqueira aqui no Habitacional Turu e na Chácara Brasil. Fez um serviço de qualidade, os adversários diziam que no primeiro inverno o asfalto sonrizal iria se esfarelar. Já vamos para o 5º inverno, sendo que o asfalto não se esfarelou. Meus pêsames à família enlutada.

  8. Perdemos um dos maiores governadores que o Maranhão já teve e disparadamente o melhor prefeito de São Luís em todos os tempos. As obras que João Castelo fez no nosso estado e, principalmente, na cidade de São Luis serão eternizadas e reconhecidas por toda a população honesta. João Castelo foi um político como os demais, mas se destacou como um excepcional administrador e amigo do funcionalismo público e da população de um modo geral a quem ofereceu milhares de oportunidades de emprego. Infelizmente se tornou vítima da inveja e da maledicência imoral de pessoas sem capacidade, notadamente das viúvas do muro da vergonha de Berlim, de quem recebeu um sistemático massacre na forma de desconstrução de sua imagem de homem público. O badernaço de 1989 certamente não será mais lembrado pelos baderneiros da época às vésperas das próximas eleições para prefeito. Mas o legado de João de João Castelo ficará na história política do Maranhão. Descanse em paz Dr. João Castelo e pêsames à sua digna família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *