2

Todos o louros a Fábio Câmara…

Presidente municipal do PMDB foi a primeira liderança a tornar pública a ideia de usar o VLT abandonado em São Luís em uma linha férrea que beneficiasse a Zona Rural

 

Fábio Câmara, em campanha, conversando na Zona Rural sobre o VLT

Repercutiu fortemente a notícia de que o prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PCdoB) pretende utilizar o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) – abandonado em um trilho ao relento pelo prefeito Edivaldo Júnior (PDT) – em uma linha que vá de São Luís a Santa Rita.

Mas o projeto de Gonçalo – ou pelo menos parte dele – foi tornado público pela primeira vez ainda na campanha de 2016, em São Luís, pela boca do então candidato do PMDB a prefeito, Fábio Câmara.

A ideia do ex-vereador era utilizar o VLT em uma linha férrea já existente, beneficiando a Zona Rural, beneficiando moradores do Maracanã, Estiva e Pedrinhas, dentre outras comunidades. (Relembre aqui)

Até as estações que Câmara pretendia usar são as mesmas citadas por Gonçalo: Araracanga, Piçarra e Mandubé. (Saiba mais aqui)

Após a campanha, a proposta de Fábio Câmara foi considerada a melhor dentre todas as apresentadas pelos candidatos, beneficiando pelo menos 20 mil moradores da Zona Rural.

Hoje jogado ao relento, o VLT pode ser resgatado por Hilton Gonçalo, de Santa Rita,

Coube a Hilton Gonçalo o mérito de ampliar esta ideia, levando-a para além da ilha de São Luís, chegando até Santa Rita.

Projeto que, sem dúvida tem toda a viabilidade possível para quem quer fazer, ao contrário do prefeito Holandinha.

E os louros a Fábio Câmara por trazer o assunto ao debate…

Marco Aurélio D'Eça

2 Comments

  1. Só o vagão do VLT que tem em São Luís é insuficiente, pois com a construção da Refinaria, precisará de um veículo de massas para levar os operários para Bacabeira. Edivaldo está certo em esperar por uma destinação mais viável pro VLT, sem projeto não adianta!

  2. Achei um projeto super interessante!! o que vai ajudar bastante a locomoção das pessoas para são luis e etc.!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *