4

R$ 2,2 milhões depois, Feira do Anil continua inacabada, denuncia Rose Sales…

Quatro anos após desabamento do telhado, ex-vereadora denuncia que a Prefeitura de São Luís até hoje não concluiu a obra que deixaria o mercado em plenas condições de funcionamento; Ministério Público vai investigar o caso

 

Aspecto da feira logo após o desabamento do telhado; quatro anos depois e nada

A ex-vereadora Rose Sales (sem partido) lamentou esta semana, em artigo divulgado em redes sociais e distribuído à imprensa, o abandono da feira do Anil, que teve o telhado desabado em 2013 e, até hoje, não teve as obras de recuperação concluídas.

– Todos vocês que nos acompanham sabem que a parte detrás do telhado caiu em 13/2/2013; e, que atendendo ao nosso pedido, o prefeito determinou a reforma global da feira, em caráter emergencial, ainda naquela data. E, que só foi iniciada a reforma, em 12/2/2014, quase 12 meses depois da queda do telhado, devido ao desgastante trabalho de acompanhamento e de movimentação do processo de reforma nos órgãos municipais, durante o exercício de 2013 – lembrou Rose. (Saiba mais aqui)

A ex-vereadora conta que, em 2015, a prefeitura entregou a feira supostamente recuperada. Mas, segundo ela, as condições estavam ainda piores e os moradores não aceitaram.

– Tiveram que fazer várias melhorias e adequações, para então organizarmos a mudança (junho/2016) para o espaço que está em funcionamento – conta ela. (Relembre aqui)

Rose Sales com representantes da comunidade em frente à sede das promotoria

Ainda de acordo com Rose Sales, a prefeitura pagou R$ 2,2 milhões pela reforma da feira, que deveria ser entregue com nova estrutura, bancas, boxes, praça de alimentação, projetos de drenagem, de esgotamento sanitário, de iluminação, nova fachada, novo piso.

– Em que foi aplicado esse dinheiro, se a estrutura anterior foi reaproveitada em grande parte dos serviços e a feira continua inacabada? – questionou a ex-parlamentar, que representa a comunidade do Anil.

Na semana passada, a comunidade ingressou com uma Ação Civil Pública na Promotoria de Probidade Administrativa, que resultou na abertura de um inquérito civil.

A Secretaria Municipal de Abastecimento tem 10 dias para apresentar explicações…

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. Olha quando alguém quer visibilidade o que faz. Eu ficaria preocupada se eles tivessem perdido a renda.

  2. Entra governo, sai governo, continua governo e esse vergonhoso problema só tem a sua gravidade aumentada.
    Uma vergonha.

  3. Rose Sales tá querendo causar é polêmica agora que tá oficialmente desempregada.

Deixe uma resposta para HUGO Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *