Marco Aurélio D'Eça

13 Comments

  1. O prefeito deve oar muito e pedir perdão a Deus. Ontem no hospital da criança houve cinco óbitos, faltaram dez profissionais de saúde, pq o prefeito não paga os contratados e ainda aumentou de oito para dez plantões, ou seja sobrecarregou os funcionários. Marco, falta materiais básicos de um hospital, os profissionais fazem de tudo mais a demanda é muito grande.

  2. Triste de quem faz um comentário desse ! Maranhão novo sem preconceitos e estereótipo !!!!

  3. Não sei pq a crítica tão grande em cima do Flávio Dino. Deixa bobeira seguir a religião que ele quiser isso não altera em nada o fatô dele ser ateu, evangélico, macumbeiro, católico. Coisas sem nexo! Deixa o cara trabalhar gente parem com imagens que não alteram em nada. Tem políticos por aí usando a religião “macumbeiro’ ‘gurus ‘ como quer e ninguém nunca falou e nem fala não é? !?!?!. …Me compre um bode né marcos deça me poupe. Deixa o cara maranhense não é mais idiota…

  4. Tem comentário sim, amigo Deça.
    Os caras de joelhos ali estão fazendo um cena apenas. Cena barata, grotesca e eleitoreira, devo dizer. Mas só estão ali, antes de mais nada, porque o segmento evangélico há muito se ajoelhou diante da política partidária. Houve um tempo em que púlpito e política eram arenas distintas. Por obra e graça de uma meia dúzia de “líderes”, os crentes, de rebanho, passaram à condição de ‘curral eleitoral’ involuntariamente. Difícil entender porque nunca levantaram suas vozes contra a mão de ferro de uns “líderes” que insistem em negociar seus rebanhos por cargos, verbas para isso ou para aquilo, nomeações, apoio para eventos, prestígio fugaz, etc. E vários políticos não se fazem de rogados em cortejar e atender desejos de pastores, líderes, bispos, apóstolos quando sabem do poder eleitoral de suas congregações.
    Dino, Holanda e outros tantos são capazes de se ajoelhar, chorar, subir ao púlpitos evangélicos e até “falar em línguas” se preciso for para cativar as ovelhas. E continuarão a fazê-lo enquanto o balcão de negócios com os “líderes” estiver aberto. Eu sinto vergonha. Muita vergonha quando vejo a igreja evangélica servir a causas cujo pano de fundo é a política partidária. Vamos por as coisas no lugar, senhores. Eu sugiro que pastor, como o nome inspira, se ocupe em cuidar e e apascentar pessoas (coisa que muitos deles não sabem nem gostam de fazer); que o senhores Dino e Holanda desçam daquele palco, desfaçam o circo, e contenham a desfaçatez; e que os crentes chorem…de lamento pela péssima fase que a igreja vive nas mãos de líderes que já não conseguem distinguir o santo do profano.

    Resp.: Perfeita análise, amigo Jonas…

  5. É bom o “irmão” Edivaldo jamais esquecer que a base do trono de Deus é juízo e justiça conceitos que na política não vale absolutamente nada, mas me conforta saber que um dia todos seremos julgados por nossas boas e más ações, assim está escrito na Bíblia.

  6. Esse pode ajoelhar e orar muito que a taca está chegando e comunista não é ateu!

  7. “quando os justos governam, alegra-se o povo; mas quando o ímpio domina, o povo geme.” (Provérbios 29:2)

    resp.; Imagino como os crentes devem se alegrar com esse governo. Sobretudo os líderes dos crentes….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *