3

Peemedebista, Andrea Murad não vê legitimidade em governo Temer…

Deputada manifestou apoio às manifestações da sexta-feira e prega uma Assembleia Nacional Constituinte para promover as reformas que o Brasil necessita

 

ILEGÍTIMO
Andrea Murad não vê possibilidade de Michel Temer promover as reformas

“Está certíssima”, é o que diz a deputada estadual Andrea Murad ao ser questionada sobre a onda de manifestações que tomou o Brasil nesta sexta-feira, 28. Para a parlamentar, apenas através de uma nova constituinte se teria legitimidade para tratar de assuntos como as reformas da previdência e trabalhista.

– Não vejo o atual governo e o atual congresso com legitimidade para modificar direitos fundamentais das pessoas, no caso as aposentadorias, e dos trabalhadores. Um novo governo e um novo congresso poderiam tratar desse assunto, porém, melhor que fosse uma Constituinte exclusiva para fazer todas as reformas para reorganizar o país. A crise de credibilidade que atinge as instituições colocou o país na UTI – diz Andrea, mesmo sendo do PMDB, partido do presidente Michel Temer.

A deputada defende que tais reformas precisam ser tratadas por representantes com legitimidade o que não ocorre hoje com o cenário de caos e instabilidade política tanto no Poder Executivo quanto no Poder Legislativo.

– Não vejo nesse governo e nesse Congresso esse requisito fundamental pela instabilidade causada pela Lava Jato e outras operações de combate à corrupção desencadeadas em tantas frentes tendo como alvos principais membros do Executivo e do Legislativo inclusive os atuais chefes dos poderes da República.  Além dessas duas reformas temos também a reforma política que precisa ser efetivada para regulamentar a atividade partidária e o financiamento das campanhas – defende a deputada.

Andrea declarou ser a favor das mudanças sobre o foro privilegiado e que todo o cidadão deve ser igual perante a lei.

– Não se justifica um juiz, um parlamentar, um governador, um promotor, um procurador, um prefeito ser julgado em instâncias diferentes. Essa lei já deveria ter sido votada há muito tempo. Da mesma forma a lei que regulamenta o Abuso de Autoridade é mais do que necessária porque, ao contrário do que muitos imaginam, protegem o cidadão e não as autoridades contra os abusos que alguns destes cometem no exercício dos cargos que ocupam – comemora a deputada.

Marco Aurélio D'Eça

3 Comments

  1. Deputada devia ler a contituicao primeiro antes de se pronunciar sobre eleicoes gerais

  2. VOTEI EM DEDEA NAO PARA QUERER DAR RASTEIRA EM TEMER QUE TÁ QUASE MORTO,MAS PARA INFERNIZAR ESSE CAPETAO QUE NAO ESTÁ FAZENDO NADA PELO MARANHÃO.
    SE CONTINUAR ASSIM ELA TÁ ATIRANDO NO PROPRIO PÉ. TEM QUE VOLTAR O FOCO PARA COLOCAR DE CÓCORAS ESSES COMUNISTAS DE ERAQUE!

  3. Não tem como negar a legitimidade do Presidente, a própria Deputada fez campanha para a chapa que elegeu Dilma e Temer.
    Posso não concordar com a forma e as medidas tomadas pelo seu governo, mas, que ele é um governo legítimo, isto não se pode questionar.
    Pode-se questionar a ética ou a falta dela no jogo político que o colocou no poder, mas, tudo foi feito com base no interesse das forças políticas dominantes e nas leis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *