1

Empresa investigada no Tocantins recebeu R$ 8,1 milhões do governo maranhense…

 

Empeng Engenharia pertence a empresário maranhense que chegou a ser preso em operação da Polícia Federal

 

Flávio Dino e auxiliares em uma das obras tocadas pela Epeng no Maranhão; pagamentos já efetuados

O governo Flávio Dino (PCdoB) já pagou, por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra), R$ R$ 8,1 milhões a uma empreiteira acusada de desviar – num esquema com outras seis empreiteiras ou consórcios – pelo menos R$ 200 milhões de um empréstimo do internacional de R$ 1,2 bilhão no estado do Tocantins.

Segundo dados do Portal da Transparência do Maranhão, a Empresa de Projetos de Engenharia Ltda. (Epeng), do empresário maranhense Fancisco Antelius Vaz – que chegou a ser preso no estado vizinho durante a Operação Ápia -, faturou R$ 7,6 milhões pela obra de construção e melhoramentos do trecho entre o entroncamento da MA-132 com a MA-034, em Buriti Bravo, e o entroncamento da MA-282 com a MA-034, no povoado Café Buriti.

Em conjunto com a empresa FN Sondagens, a Epeng detém, ainda, outro contrato com a Sinfra: para construção de uma ponte sobre o Rio Pericumã, na MA-211, entre Bequimão e Central do Maranhão, na Baixada Maranhense.

Por esse contrato, chegaram a ser empenhados R$ 2,25 milhões em 2016, mas não houve pagamento naquele ano. Já em 2017 foram quitados R$ 546 mil.

A polícia acredita que os desvios no Tocantins chegam a R$ 200 milhões, dinheiro que teria sido repassado às empresas contratadas – a Epeng, inclusive – mesmo sem a conclusão das obras contratadas pelo Executivo.

Há suspeitas de que parte dos recursos tenham sido desviados para campanhas eleitorais.

de o EstadoMaranhão

Marco Aurélio D'Eça

One Comment

  1. Antelius começou a ganhar dinheiro vendendo provas para o vestibular da UEMA nos anos 70.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *