2

Prefeitura vai iniciar obra de readequação da Guajajaras…

Projeto vai transformar rotatória do Mateus em cruzamento semafórico e deixar com mão única a Avenida Lourenço Vieira da Silva a partir do Terminal da Integração no São Cristovão

 

As mudanças pretendem acabar com os engarrafamentos na Guajajaras

As operações de mudança no trânsito nas avenidas com maior fluxo de veículos continuam a partir desta terça-feira, 15, com obras iniciadas pela Prefeitura de São Luís.

A Secretaria de Trânsito e Transporte inicia a readequação da avenida Guajajaras, melhorando o trânsito em toda via, com a transformação da rotatória do Mix Mateus em cruzamento semafórico.

Outra mudança é a transformação da avenida Lourenço Vieira da Silva em mão única a partir do terminal do São Cristovão, no sentido Guajajaras.

– O acesso para o terminal e cidade operária de quem vem da Forquilha vai se dar através de um retorno de quadra a ser construído por trás do Banco do Brasil, cruzando a Guajajaras e seguindo pela Aavenida 2, até o terminal ou até cidade operária – explica o titular da SMTT, Canindé Barros.

Quem estiver no sentido aeroporto/Cidade Operária vai seguir pela Guajajaras até a esquina dá avenida 2, e segue seu destino até a Cidade Operária.

As obras devem estar concluídas em um prazo de 30 dias…

O mapa acima mostra como se darão as mudanças

Marco Aurélio D'Eça

2 Comments

  1. Quando Edivaldo pretende “readequar” também a merenda escolar, por que ele não fez uma licitação verdadeira, até hoje as merendeiras estão sem receber salários, tiveram que trocar de uniforme com logomarca de “outra” empresa, mas na prática é a SP que continua as carteiras de trabalho continuam na mesma sem baixa, ficou tudo como sempre esteve, a merenda é de qualidade só na propaganda, vou a partir de amanhã tirar do lanche para publicar no facebook para que a população saiba a “boa qualidade da merenda, outra coisa os porteiros não vão receber seus pagamentos que estão atrasados não? ou o prefeito acha que trabalhar sem receber não é trabalho escravo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *