2

A grave denúncia de Wellington do Curso…

Sob qualquer aspecto que se analise – e por mais autoritário que seja o governo comunista – não há como sustentar um seletivo que tem entre os aprovados uma igreja evangélica e pessoas sem sobrenome

 

ABERRAÇÃO. Igreja aprovada no concurso da SEAP; falta de respeito com o Maranhão

 

Não apenas o governo comunista de Flávio Dino, mas todo o sistema jurídico do Maranhão, Ministério Público, OAB e Sociedade de Direitos Humanos precisam dar respostas à denúncia feita pelo deputado Wellington do Curso (PP).

O parlamentar levou para a tribuna da Assembleia Legislativa relação oficial de aprovados em seletivo da Secretaria de Administração Penitenciária para revelar que, entre os aprovados está uma igreja.

FRAUDE? A lista de aprovados, que tem até gente sem sobrenome

A Igreja Assembleia de Deus Comadesma, de Carolina, foi aprovada com o número de inscrição 0000059652, de acordo com a própria página da Seap.

– Como pode aparecer o nome de uma Igreja selecionada para o cargo de Técnico Penitenciário Administrativo na relação de um Seletivo do Estado? Se a vaga era para pessoa física, como uma pessoa jurídica ganhou a vaga? A vaga reservada é para a igreja? Qual a explicação para uma igreja ser convocada para preenchimento da vaga? – questionou o parlamentar.

DENÚNCIA. Wellington quer explicação do governo e cobrança dos órgãos de fiscalização

Na denúncia de Wellington consta também que o selecionado número 0000062017 está identificado por “Alfredo”, assim mesmo, sem sobrenome algum.

– Quem é esse Alfredo? Alfredo de quê? Não tem sobrenome? São graves denuncias que precisam ser esclarecidas pelo Governador Flávio Dino – questionou o deputado Wellington.

Já se sabe no Maranhão do autoritarismo do governo Flávio Dino, que atropela leis, ignora recomendações judiciais e dá de ombros para o Ministério Público.

Mas este é um escândalo nacional que precisa ser explicado…

Marco Aurélio D'Eça

2 Comments

  1. É difícil de acreditar numa aberração dessas, mas, a denúncia foi feita e agora cabe as autoridades apresentarem as explicações, se é que existe explicação para coisa tão abjeta.
    Com a palavra o Ministério Público e todos mais que são responsáveis pro fiscalizar a correta gestão da coisa pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *